HAMAS ‘PROMOVE’ O ACORDO DO SÉCULO DE DONALD TRUMP, DIZ FATAH - LIBERTAR.in - Ministério CASA DE YISRAEL - Igreja da Rua

News

2 de jan. de 2020

HAMAS ‘PROMOVE’ O ACORDO DO SÉCULO DE DONALD TRUMP, DIZ FATAH


Em mais um sinal de crescente tensão entre os dois partidos rivais, a facção governante palestina Fatah na segunda-feira acusou o líder do Hamas Ismail Haniyeh de “promover” o plano de paz a ser anunciado pelo presidente dos EUA, Donald Trump, no Oriente Médio, também conhecido como o “acordo do século”.

A mais recente alegação ocorreu depois que o Hamas anunciou que suas forças de segurança prenderam vários oficiais da inteligência da Autoridade Palestina por suspeita de ajudar Israel a matar o comandante militar da Jihad Islâmica Palestina Baha Abu al-Ata na Faixa de Gaza em novembro.

As tensões do Hamas- Fatah provavelmente dificultarão os esforços para realizar eleições presidenciais e parlamentares palestinas há muito atrasadas. Os dois partidos na segunda-feira acusaram-se de trabalhar para sabotar as eleições propostas.

O Hamas concordou em participar da votação. A AP, no entanto, diz que não realizará as eleições a menos que Israel permita que moradores de Jerusalém Oriental votem na cidade.

Uma declaração emitida pela “Comissão de Informação e Cultura” da Fatah alegou que a atual turnê de Haniyeh em vários países visava “promover o Acordo do Século e solidificar o projeto de um estado palestino na Faixa de Gaza”.

Haniyeh iniciou sua turnê no início de dezembro visitando o Egito, onde manteve conversas com o general Abbas Kamel, chefe do Serviço Geral de Inteligência do Egito. Mais tarde, Haniyeh visitou a Turquia e o Catar e deve visitar a Rússia e outros países, incluindo Kuwait, Malásia e Mauritânia, nas próximas semanas.

Denunciando a turnê de Haniyeh como uma “conspiração”, o Fatah acusou o líder do Hamas de tentar “se envolver com Trump e o [primeiro-ministro Benjamin] Netanyahu para aprovar o acordo do século, a fim de liquidar a causa palestina”.

Segundo o Fatah, desde o seu estabelecimento o Hamas procurou se apresentar como uma alternativa à OLP, com o apoio dos serviços de segurança israelenses.

“Haniyeh não representa o povo palestino”, afirmou o comunicado do Fatah, alertando os partidos internacionais e regionais contra o acordo com o líder do Hamas. “Em vez disso, ele representa aqueles que estão conspirando contra o povo palestino.”

Fontes palestinas em Ramallah alegaram que a Autoridade Palestina pediu às autoridades egípcias que proibissem Haniyeh de deixar a Faixa de Gaza. O pedido, no entanto, foi recusado pelos egípcios, disseram as fontes.

Várias autoridades palestinas em Ramallah condenaram veementemente o Hamas por acusar oficiais de inteligência da AP de envolvimento no assassinato de Abu al-Ata.

O secretário-geral da OLP, Saeb Erekat, disse que as “invenções do Hamas visam ocultar seu envolvimento em projetos falsos para liquidar a empresa nacional palestina”. Ele também acusou o Hamas de trabalhar para “consolidar a divisão entre a Cisjordânia e a Faixa de Gaza, de acordo com “acordo do século”.

Outro funcionário da OLP, Ahmed Majdalani, acusou o Hamas de fazer parte da “campanha de incitação” israelense contra a liderança da AP. O Hamas, ele disse, está tentando acusar outras pessoas do que está fazendo.

“Nosso povo está farto da tentativa desesperada do Hamas. para evitar a reconciliação [com o Fatah] e as novas eleições gerais ”, acrescentou Majdalani.

Adnan Damiri, porta-voz das forças de segurança da AP na Cisjordânia, afirmou que o Hamas e Israel estavam trabalhando juntos para minar a AP.

“O anúncio do Hamas de que prendeu uma célula pertencente ao Serviço Geral de Inteligência da Palestina coincidiu com a reunião do Gabinete de Israel, que decidiu cortar os fundos palestinos”, disse Damiri, referindo-se à decisão de domingo de deduzir NIS 150 milhões do dinheiro dos impostos que Israel transfere-se para a Autoridade Palestina para compensar pagamentos a prisioneiros palestinos e famílias de palestinos mortos durante ataques a israelenses.

Respondendo às acusações do Fatah, o porta-voz do Hamas Hazem Qassem afirmou que Abbas estava tentando evitar a realização de novas eleições.

Qassem disse que as acusações também visam desviar a atenção do “escândalo nacional exposto pelo Hamas a respeito do envolvimento do serviço de inteligência da AP no assassinato do mártir Baha Abu al-Ata”.

O porta-voz do Hamas também atacou a AP por sua contínua coordenação “traiçoeira” de segurança com Israel. “O Fatah deve interromper sua retórica irresponsável, que visa envenenar a arena nacional”, disse Qassem.

Fonte: The Jerusalém Post.

Via https://www.ultimosacontecimentos.com.br/2019/12/30/hamas-promove-o-acordo-do-seculo-de-donald-trump-diz-fatah/

Nenhum comentário:

Últimos mais vistos

Mais vistos em 10 anos de site