PRÍNCIPE SAUDITA ADVERTE QUE GUERRA COM O IRÃ PODE GERAR “COLAPSO NA ECONOMIA MUNDIAL” - LIBERTAR.in - Ministério CASA DE YISRAEL

News

30 de set. de 2019

PRÍNCIPE SAUDITA ADVERTE QUE GUERRA COM O IRÃ PODE GERAR “COLAPSO NA ECONOMIA MUNDIAL”


O príncipe herdeiro da Arábia Saudita alertou em entrevista ao domingo que os preços do petróleo podem subir para “números inimaginavelmente altos” se o mundo não se reunir para deter o Irã, mas disse que prefere uma solução política a uma militar.

“Se o mundo não tomar uma ação forte e firme para deter o Irã, veremos outras escaladas que ameaçarão os interesses mundiais”, disse o príncipe Mohammed bin Salman ao programa da CBS “60 Minutes”.

O príncipe herdeiro, em entrevista realizada na terça-feira, disse que concordou com o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, de que os ataques de 14 de setembro às instalações de petróleo do reino eram um ato de guerra do Irã.

Mas ele disse que preferia uma resolução pacífica porque “isso é muito melhor que o militar”. Ele acrescentou que uma guerra entre a Arábia Saudita e o Irã entraria em colapso na economia global. Os Estados Unidos, as potências européias e a Arábia Saudita culparam os ataques ao Irã. Teerã negou qualquer envolvimento.

O presidente dos EUA, Donald Trump, deve se reunir com o presidente iraniano Hassan Rouhani para elaborar um novo acordo sobre o programa nuclear e a influência de Teerã em todo o Oriente Médio, disse o príncipe herdeiro.

Dias antes do aniversário de 2 de outubro de 2018, a morte do jornalista Jamal Khashoggi em um consulado saudita na Turquia, o príncipe herdeiro disse: “Absolutamente não”, quando perguntado se ele ordenou o assassinato. Mas ele disse que assumiu total responsabilidade, uma vez que foi cometido por indivíduos que trabalhavam para o governo saudita.

Os preços do petróleo subiram cerca de 12% no dia 16 de setembro, depois que o ataque cortou a produção do reino pela metade e intensificou as preocupações de ações retaliatórias no Oriente Médio. Inicialmente, os preços subiram cerca de 20%, com o petróleo Brent registrando seu maior ganho intradiário desde a crise do Golfo de 1990-1991, antes de recuar, já que vários países disseram que usariam suprimentos de emergência para manter o mundo abastecido com petróleo.

O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, descartou o envolvimento do Iêmen e acusou o Irã de liderar os ataques.

A Arábia Saudita geralmente envia mais de 7 milhões de bpd de petróleo para destinos globais e há anos atua como fornecedora de último recurso do mercado. A Saudi Aramco tem procurado se preparar para uma venda de ações que a tornaria a maior empresa listada do mundo.

Fonte: The Jerusalém Post.



Nenhum comentário:

Últimos mais vistos

Mais vistos em 10 anos de site