EUGENIA: EXPERIMENTOS COM ARMAS BIOLÓGICAS DESENCADEIAM OUTRO SURTO DE EBOLA... OMS ESTÁ EM PÂNICO - LIBERTAR.in - Ministério CASA DE YISRAEL

News

29 de jul de 2019

EUGENIA: EXPERIMENTOS COM ARMAS BIOLÓGICAS DESENCADEIAM OUTRO SURTO DE EBOLA... OMS ESTÁ EM PÂNICO

Image: Bioweapons experiments have unleashed another Ebola outbreak in Africa… and the WHO is panicking

Pela quinta vez na história, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou uma emergência de saúde global, desta vez em resposta a um surto de Ebola que continua a assolar a República Democrática do Congo.

De acordo com dados oficiais, cerca de 2.500 pessoas já foram infectadas desta vez - e algumas dessas pessoas infectadas podem ter entrado nos Estados Unidos, já que o governo tem importado “refugiados” congoleses através de San Antonio, Texas, e distribuindo-os em todo o país.

Um conhecido campo de testes para experimentação de armas biológicas, a África é onde os surtos de Ebola geralmente começam. Mas eles geralmente ficam contidos na África, razão pela qual as autoridades de saúde estão começando a entrar em pânico com a perspectiva de que uma pandemia global possa estar em andamento.


Apesar de declarar este surto de Ebola como uma emergência global, o diretor geral da OMS, Dr. Tedros Adhanom Ghebreyesus, parou de classificá-la como uma emergência “internacional” - a implicação é que a doença ainda está contida no Congo, apesar de ainda ser uma ameaça para o país e para o resto do mundo.

Para onde o Ebola está se espalhando ainda é uma incógnita, já que os migrantes congoleses continuam a entrar nos Estados Unidos via Texas, ameaçando vidas e a liberdade dos cidadãos americanos que nunca votaram em permitir tal invasão em primeiro lugar.

O que sabemos é que pelo menos 1.700 pessoas morreram até agora como resultado deste último surto de Ebola, que foi recentemente detectado na cidade de Goma, que tem uma população de aproximadamente dois milhões de pessoas.

"Esta ainda é uma emergência regional e de forma alguma uma ameaça global", insiste o presidente do comitê de emergência da OMS, da Universidade de Zurique, na Suíça.

Não se deixe enganar: surtos de doenças na África são esforços para uma verdadeira pandemia global

As outras quatro emergências globais de saúde declaradas pela OMS incluem uma em 2016 para a epidemia do Zika vírus; outra em 2014 para o Ebola na África Ocidental; outra nesse mesmo ano sobre o ressurgimento da pólio em um punhado de países; e a infame, em 2009, para a gripe.

Esta última declaração vem cerca de um ano depois de o Ebola ter atingido o Congo pela primeira vez e começou a se espalhar rapidamente, apesar dos esforços para detê-lo. Ghebreyesus diz que é a pior doença possível para impactar uma das áreas mais perigosas do mundo, e que pode continuar até 2020.

Atualmente, é o segundo maior surto de Ebola na história, próximo ao de 2014-2015, que teria infectado cerca de 29.000 pessoas, resultando em mais de 11.000 mortes.

O que é interessante sobre esses surtos é que eles frequentemente aparecem em conjunto com os chamados da “elite” para melhor “controle populacional”, que é exatamente o que aconteceu alguns anos atrás, quando um surto de peste começou não muito tempo depois que o príncipe William declarou publicamente que eram necessários "esforços de despovoamento urgentes" para salvar o mundo.

Como o editor do Natural News, Mike Adams, alertou na época, os globalistas do estado profundo estão realmente criando, e depois usando como armas, essas doenças mortais como um ato de genocídio médico contra os “comedores inúteis” do mundo, que aparentemente incluem negros da África.

Veja, a "elite" não pensa realmente que vidas negras importam, pelo menos além de seus votos. E como os negros na África não podem votar nas eleições em que a “elite” tem poder, eles são alvos fáceis de eliminação.

“Um programa encoberto de despovoamento está sendo conduzido pela Organização Mundial da Saúde, visando africanos para o extermínio por meio de produtos químicos de infertilidade administrados sob o disfarce de 'vacinas'.”

“Essas vacinas, notavelmente, contêm produtos químicos que são administrados sem o consentimento informado das mulheres que estão sendo injetadas. Na verdade, as mulheres são deliberadamente mentidas e ditas que as injeções são destinadas a 'proteger sua saúde'. Mas a verdadeira razão para essas vacinas é exterminar os negros em nome da 'ciência' e 'medicina'".





Via: http://www.anovaordemmundial.com/ e https://www.naturalnews.com/2019-07-28-bioweapons-experiments-unleashes-ebola-outbreak-in-africa.html

Nenhum comentário:

Últimos mais vistos

Mais vistos em 10 anos de site