Últimas

FEMINISTAS LANÇAM BOMBAS INCENDIÁRIAS CONTRA IGREJA NA ARGENTINA

Resultado de imagem para crowd

Um ataque com bombas incendiárias, do tipo molotov, contra uma igreja na cidade de Trelew, sul da Argentina, marcou o 33º Encontro Nacional de Mulheres (ENM), realizado de 13 a 15 de outubro.

As pautas dos encontros estavam focadas na promoção do aborto e da ideologia de gênero. No domingo (14), as participantes fizeram uma marcha pelas ruas da cidade, onde pediam, entre outras coisas “Estado laico”, pois culpavam a Igreja Católica pela decisão do Senado em não legalizar o aborto.

Fotos e vídeos divulgados nas redes sociais mostram um grupo de feministas atacando a paróquia Nossa Senhora Auxiliadora enquanto havia fiéis dentro do templo, celebrando uma missa.

Prédios públicos e residências também foram atacados, deixando um rastro de destruição após a passagem das feministas. Além dos coquetéis molotov, jogaram pedras contra os prédios e picharam slogans do movimento nas paredes. Entre eles: “Aborte sua heterossexualidade”, “Igreja e Estado tem de ser separados”, “Morte aos machos não é uma metáfora” e “lesbianize-se”.

A polícia foi chamada e dez mulheres foram presas em flagrante.

O ENM atraiu cerca de 50.000 mulheres para Trelew e políticos locais estão denunciando que o governo federal doou dinheiro para ONGs que promoveram o evento, sob a justificativa de “debater a situação das mulheres”.


Vilma Ripoll, do Movimento Socialista dos Trabalhadores, justificava a promoção de uma “apostasia coletiva” onde as mulheres pediriam a desfiliação da Igreja Católica negando o batismo.
Outros ataques

Não foi o primeiro ataque contra igreja desde que o projeto de legalização do aborto foi rejeitado na Argentina em agosto deste ano.

Em setembro, uma escola católica na cidade de San Justo foi pichada com mensagens de ódio contra a Igreja Católica, enquanto estudantes arrancaram as imagens religiosas sob a justificativa de defenderem a separação entre Igreja e Estado. Com informações ACI Prensa






Via Jarbas Aragão - Gospel Prime
Postar um comentário