Últimas

SERVIÇO DE NOTÍCIAS ALEMÃO PATROCINADO PELO ESTADO SE RECUSA A RELATAR UM MÉDICO ASSASSINADO PELO REFUGIADO


Na semana passada, um médico foi esfaqueado até a morte por um solicitante de asilo de 26 anos da Somália em Offenburg. A maioria dos meios de comunicação informou legalmente sobre isso. No entanto, o Tagesschau, um serviço de notícias patrocinado pelo estado, não o fez.

O Dr. Kai Gniffke, editor-chefe do Tagesschau deu um passo além e divulgou uma declaração em seu blog argumentando que, embora trágico, essa história não tinha importância nacional ou internacional. Interessantemente nacional e até mesmo várias tomadas internacionais como o The New York Times discordaram.

É claro que o Tagesschau pode se dar ao luxo de escolher o que relata, porque não importa quão baixos sejam seus índices, seus salários são garantidos por meio de pagamentos compulsórios pelo contribuinte. O salário médio de jornalistas como o Sr. Gniffke é de cerca de 11.000 euros por mês.


Por outro lado, relatos valiosos para os dias Tagesschau após o assassinato foram: "Iniciando uma nova empresa em uma sauna ", " E-scooter na moda mas irritante" e no mês passado "Trump bagunça o nome de sua esposa".

Chegamos a um ponto em que as vidas alemãs absolutamente não importam para os meios de comunicação estatais, desde que sejam contrárias à sua narrativa de "Bem-vindos aos refugiados".

A hipocrisia dos chamados “jornalistas”, que na verdade nada mais são que glorificados ativistas de esquerda, continuará, enquanto os pagamentos compulsórios permanecerem no lugar para financiar seus altos salários.





Via https://voiceofeurope.com/2018/08/state-sponsored-german-news-service-refuses-to-report-on-doctor-murdered-by-refugee/
Postar um comentário