Últimas

UNIÃO EUROPEIA TEM FINANCIADO GRUPOS TERRORISTAS QUE PROMOVEM BOICOTE À ISRAEL

União Europeia dá milhões a grupos que promovem boicotes contra Israel 

Por JNS 28 de Maio de 2018 em Israel Breaking News

“Não entreis no caminho dos ímpios; Não andeis no caminho dos homens maus.”
Provérbios 4:14



Um novo estudo publicado na sexta-feira pelo Ministério de Assuntos Estratégicos de Israel revela que a União Europeia, em contradição com as suas próprias políticas, fornece milhões de euros anualmente a organizações não-governamentais (ONGs) com laços conhecidos com grupos terroristas e que promovem deslegitimação e boicotes do Estado de Israel. 

Segundo o relatório, mais de uma dúzia de ONGs que promovem boicotes anti-Israel receberam cerca de 5 milhões de euros por ano em financiamento da União Europeia. Além disso, estima-se que vários milhões de euros adicionais foram canalizados para ONGs promotoras de boicote através de terceiros que recebem assistência da União Europeia. 

"Esse [financiamento] contrasta directamente com a posição oficial da UE, com a Alta Representante Federica Mogherini [tendo] enfatizado a oposição da União Europeia aos boicotes contra Israel e a sua firme rejeição das tentativas da BDS de isolar Israel", observou o relatório. 

Exemplos do relatório incluem a ONG Norwegian People's Aid (NPA), um grupo que recebeu € 1,76 milhões em 2016. O NPA foi investigado e multado em US $ 2 milhões no mês passado pelo Departamento de Justiça dos EUA depois de ter sido descoberto que o grupo realizou um projecto em conjunto com as organizações terroristas do Hamas e Frente Popular de Libertação da Palestina (FPLP), e prestou serviços ao Irão. Tanto o Hamas quanto a FPLPsão reconhecidos como entidades terroristas pela União Europeia, pelos Estados Unidos e por Israel.

Ainda esta manhã (escrevemos o post ontem, dia 29 de Maio de 2018, esta manhã foram centenas de mísseis sobre casas, escolas, hospitais, etc.) os terroristas do Hamas bombardearam Gaza com dúzias de mísseis:

O sistema anti-míssil de Israel fez o seu trabalho, mas ainda assim foi atingido um infantário. Toda a Imprensa internacional diz que "Israel bombardeou Gaza". Os terroristas assumiram a autoria do bombardeamento, mas nem assim a corja imunda dos jornalistas diz a verdade.




Crianças de Sderot observam os efeitos de mais este bombardeamento do Hamas. Estes mísseis são pagos pelos contribuintes europeus.


Outros grupos mencionados no relatório incluem o Trocaire, da Irlanda, que promove petições na União Europeia para impor sanções económicas contra Israel; o PAX na Holanda, que apoia abertamente e promove o movimento BDS; o Un Ponte Per, que promove activamente o BDS na Itália; o EuroMed na Dinamarca, que trabalha sistematicamente para suspender o Acordo de Associação entre Israel e a UE; e Wzr on Want no Reino Unido, que há anos participa em campanhas pedindo o boicote de empresas que operam em Israel.

O relatório do ministério também observa que fundos da União Europeia foram canalizados através de terceiros para o Centro Palestino para os Direitos Humanos (PCHR) e Al-Haq, que têm ambos ligações com a organização terrorista PFUdesignada pela União Europeia.



Depois dos túneis, dos homens-bomba, dos bombardeamentos com mísseis, dos assassinatos a tiro, dos raptos com torturas e execuções, dos papagaios de papel incendiários, e de tantas outras atrocidades, agora os terroristas de Gaza usam drones com explosivos para atacar Israel. Estes drones são pagos pelos contribuintes europeus.




"Essas descobertas levantam a preocupação de que o dinheiro dos contribuintes europeus está a ser usado para manter laços com organizações terroristas designadas pela UE", disse o relatório.
O relatório enfatizou que é concedido financiamento da União Europeia para além do que é concedido independentemente pelos seus Estados membros. Assim, muitas das organizações recebem “duplo financiamento”, da União Europeia e de países europeus individuais. 


Mais de 300 papagaios incendiários, transportando cocktails molotov e muitos com suásticas pintadas, foram largados sobre Israel nas últimas semanas, provocando elevados danos nas culturas e no ambiente.


Numa declaração sobre a publicação do relatório, o ministro israelita dos Assuntos Estratégicos, Gilad Erdan, pressionou pela mudança: “É inconcebível que a União Europeia esteja a dar milhões em dinheiro dos contribuintes europeus a organizações que promovem boicotes contra Israel - algumas dos quais também estão ligadas a grupos terroristas designados pela UE. Eu espero que a UE defenda a sua política declarada de oposição aos boicotes anti-Israel e de não apoiar organizações com ligações ao terror”.



Os terroristas do Hamas (financiados pela União Europeia), destruíram pela terceira vez nas últimas semanas aas infra-estruturas através das quais Israel fornece a Gaza os bens de que a população refém do Hamas necessita. O objectivo é culpar Israel.

A delegação da União Europeia em Israel disse que não recebeu nenhuma informação do governo israelita sobre este assunto, mas que gostaria de verificar as informações relativas a este financiamento. “Estamos certos de que o financiamento da União Europeia não visa apoiar actividades de terrorismo ou do BDS, como sugere este relatório”, disse a delegação num comunicado.



Por: Yossi Lempkowicz/EJP


Via http://amigodeisrael.blogspot.com/
Postar um comentário