Últimas

CHEFE DO PARLAMENTO HÚNGARO ADVERTE SOBRE "GOVERNO MUNDIAL" ANTI-HUMANO

Imagem relacionada

Tecnocratas estão eliminando as identidades religiosas, nacionais e sexuais, diz ele

Um importante político húngaro alertou sobre um "governo mundial" tecnocrático que está trabalhando para apagar o individualismo e criar um mundo homogêneo, sem fronteiras, de ateus mentalmente controlados.

László Kövér, presidente da Assembleia Nacional da Hungria, acionou o alarme contra o globalismo durante uma conferência no início desta semana.

"A nova técnica e ideologia do governo visa criar (sociedades) sem identidade", disse Kövér, afirmando que "tanto as maiorias quanto as minorias étnicas" estão sendo alvo de um "governo mundial" em constante expansão.

"Eles querem despojar as pessoas de suas identidades religiosas, nacionais, familiares e até sexuais, de modo que não sejam mais capazes de reconhecer, expressar ou impor seus próprios interesses", afirmou. "Os colonos em potencial ocuparão a mente das pessoas e das comunidades para serem cativadas".

Kövér é um membro fundador do partido conservador Fidesz que atualmente controla o governo e é fortemente apoiado pelos húngaros, devido em grande parte às posições assumidas pela liderança do partido e pelo primeiro-ministro Viktor Orbán contra as fronteiras abertas, a migração e a islamização da Europa.

Na semana passada, Orbán dirigiu-se a uma multidão histórica em Budapeste, que havia participado de um feriado nacional em comemoração à luta pela independência da Hungria, durante a qual declarou: "Nossa maior batalha está prestes a começar".

"Estamos lutando contra um inimigo que é diferente de nós. Não aberto, mas oculto; não direto mas astuto; não honesto mas básico; não nacional mas internacional; não acredita em trabalhar mas especula com dinheiro; não tem pátria mas sente que é dono do mundo inteiro", continuou ele, fazendo uma referência clara à "máfia de George Soros", os defensores mais agressivos do globalismo. "Esta é a nossa pátria, a nossa vida, e já que não temos outra, vamos lutar por ela até o fim e nunca desistiremos."

"A África quer derrubar nossa porta e Bruxelas não está nos defendendo", disse Orbán. "A Hungria e a Europa enfrentam uma onda de migração em massa que põe em perigo o modo de vida de seus povos. A Europa está sob invasão. A situação é que aqueles que não bloqueiam a migração em suas fronteiras estarão perdidos".

As advertências de Orbán complementam Kövér, já que a agenda do governo global está sendo implementada por tecnocratas não eleitos em Bruxelas que estão transformando sistematicamente a civilização ocidental, apagando princípios tradicionais, envenenando a cultura e inundando a Europa com milhões de estrangeiros com valores radicalmente diferentes.

Em 8 de abril, os húngaros vão às urnas em uma eleição crucial que afetará não apenas o futuro imediato da Hungria, mas também moldará o destino da Europa.

Segundo as últimas pesquisas de opinião, Fidesz detém 49% de apoio.







Via: http://www.anovaordemmundial.com/ e https://newswars.com/hungarian-politician-warns-of-anti-human-global-government
Postar um comentário