Últimas

EVO MORALES CRIMINALIZARÁ A EVANGELIZAÇÃO BOLÍVIA

Imagem relacionada

A Confederação dos Trabalhadores da Imprensa da Bolívia e as Assembléias de Deus da Bolívia, que reúne várias igrejas cristãs, declararam-se em um estado de emergência nacional devido a alguns artigos do Código do Sistema Criminal que foram identificados como ameaçando o exercício de seus trabalhos pelo ambiguidade e impressão de seus conteúdos.

O comitê executivo da imprensa identificou os artigos 309, 310 e 311 relacionados ao insulto, difamação e difamação, incluindo a mídia no texto penal e o artigo 195 (crimes contra a liberdade de imprensa) relacionados com a "revelação de segredos", violando a Lei de Imprensa e a mesma Constituição Política do Estado.

"Não permitiremos, sob nenhum pretexto, ações que afetariam diretamente as liberdades e os princípios em que a imprensa nacional se rege" , afirma o comunicado.

Afirma que a liberdade de expressão não é uma concessão do Estado, mas um direito humano, através do qual os cidadãos exercem o direito de receber, disseminar e buscar informações, de modo que a censura prévia, a obstrução, a ditadura direta ou indireta sobre qualquer expressão, opinião ou informação disseminada, deve ser proibida.

Por sua parte, as Assembléias de Deus, ao justificar a declaração de emergência nacional, instruíram seus líderes a ler os artigos 88, 137 (homicídio), 157 (aborto) e 205 (má prática) do Código Penal, mas especialmente 88 que colocariam restrições e sanções até "o ponto que não conseguimos ganhar vive diretamente".

Artigo 88, promulgado, castiga com pena de prisão de 7 a 12 anos a pessoa que, por si só, recruta pessoas por sua participação em conflitos armados ou em organizações religiosas ou religiosas ", de acordo com o parágrafo 11.

Ele adverte que também haveria restrições e sanções para a realização de atividades grupais. "Estamos em uma situação de emergência, e a situação é muito séria", diz uma declaração que instrui cadeias de jejum, campanhas de oração e se é possível realizar serviços de oração em cada igreja.

As observações de ambas as instituições são complementares das dos profissionais de saúde, da Igreja Católica, da Central Obrera Boliviana, dos transportadores de longa distância, das empresas de combustíveis, das associações de advogados, associações profissionais, comitês cívicos de Santa Cruz, Cochabamba e Potosí que providenciam medidas de protesto a partir da próxima semana.





Via http://www.lostiempos.com/actualidad/pais/20180107/iglesias-cristianas-prensa-declaran-emergencia-nuevo-codigo-penal
Postar um comentário