LIDERADO POR ERDOGAN, CÚPULA DE ORGANIZAÇÃO DE PAÍSES ISLÂMICOS EXIGE QUE MUNDO RECONHEÇA JERUSALÉM COMO CAPITAL PALESTINA - LIBERTAR.in - Ministério CASA DE YISRAEL

News

14 de dez de 2017

LIDERADO POR ERDOGAN, CÚPULA DE ORGANIZAÇÃO DE PAÍSES ISLÂMICOS EXIGE QUE MUNDO RECONHEÇA JERUSALÉM COMO CAPITAL PALESTINA

Resultado de imagem para ERDOGAN oci

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, liderou uma cúpula extraordinária da Organização para a Cooperação Islâmica (OCI), em Istambul nesta quarta-feira (13). Eles pedem o reconhecimento internacional de Jerusalém Oriental como capital palestina.

Em seu discurso fervoroso diante de dezenas de líderes representando mais de 50 nações islâmicas, o turco acusou os americanos de provocarem um incêndio que “queimará toda a região e o mundo”.


“Não pode haver uma paz regional e global se uma solução para a questão da Palestina não for encontrada”, afirmou Erdgoan, acrescentando que “não podemos ficar olhando uma situação da qual depende o nosso futuro. Esta decisão é também um golpe contra nossa civilização”.


Embora não tenha dito quais os próximos passos, afirmou que os muçulmanos de todo o mundo devem se unir contra a decisão americana.

O presidente turco, que preside atualmente a OCI, subiu o tom e acusou Israel de ser um “Estado terrorista” que viola os direitos dos palestinos. Também criticou a postura americana.


“Os Estados Unidos se mantêm ao lado de quem torna a paz impossível, não daqueles que a desejam. Desta forma, encorajam os extremistas”, reclamou, usando os mesmos argumentos que vinha usando em discursos públicos na Turquia nos últimos dias.

Seu foco não é só os islâmicos, pois mandou um recado à União Europeia: “Os países europeus devem deixar de submeter-se à retórica de Israel de não reconhecer a Palestina”. Para a OCI, é necessária uma intervenção do resto do mundo na disputa de território israelense-palestina, pois “com essa decisão, os EUA deixaram de ser um pacificador”.

“Proclamamos Jerusalém Oriental capital do Estado da Palestina e convocamos os outros países a reconhecerem o Estado da Palestina e Jerusalém Oriental como sua capital ocupada”, insistiram os líderes em uma nota divulgada ao final de uma cúpula.
Abbas rejeita acordos anteriores

Durante a cúpula em Istambul, o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, anunciou que para eles os Acordos de Oslo, assinados em 1993 e qualquer outro assinado desde então, perderam sua validade após a decisão de Donald Trump de reconhecer Jerusalém.


“A decisão sobre o Jerusalém nos libera de todo acordo que tenhamos assinado. Por exemplo, os Acordos de Oslo. Nós o assinamos, mas agora já não estamos comprometidos com nenhum acordo, desde o de Oslo até hoje”, enfatizou o líder palestino.

Pediu também que as Nações Unidas possam assumir o lugar de Washington como medidor de futuros acordos relativos à paz no Oriente Médio. Abbas insiste que a decisão de Trump foi o “maior crime”, uma ameaça à paz na região e que Israel é um “poder invasor” que executa uma política de apartheid em relação aos palestinos. finalizou dizendo que recorrerá ao Conselho de Segurança da ONU para “cancelar” o que os EUA estão fazendo. Com informações das agências










Por Jarbas Aragão - Gospel Prime

Nenhum comentário:

Últimos mais vistos

Mais vistos em 10 anos de site