Últimas

INACREDITÁVEL! DIVULGADA A NOVA IDEIA ESQUERDISTA DA AGENDA GLOBAL: A IDEOLOGIA CANIBALISTA


Depois da normatização do homossexualismo como um "terceiro sexo", com sua ideologia de gênero, do aborto, do poliamor, da pedofilia, entre tantos outros, conheça agora mais uma etapa da agenda esquerdista para a destruição da sociedade humana: o canibalismo como uma ideologia.

Daqui a pouco irão fazer protestos e criar um Partido Canibalista para defender a minoria canibal!

É o fim dos tempos mesmo!
---

Com a premissa, "O que há de errado em comer pessoas?", artigo expõe as maravilhas de se comer carne humana

Você já leu uma notícia que fez você esfregar os olhos porque pareceu tão ultrajante que não pode ser verdade?

Eu acho que você pode ter feito exatamente isso com a notícia dessa história. Eu sei porque eu esfreguei os olhos quando o editor a designou.

Mas sim, a essência é absolutamente verdade: liberais insanos agora pensam que está "na moda" comer outras pessoas.

Conforme observado pelo The Federalist Papers, também não é um "clickbait". É um verdadeiro negócio.

Um artigo da revista Wired postula esta questão: "O que há de errado em comer pessoas?"- depois continua a extorquir as "virtudes" de se comer humanos.

Sob a categoria de "Alimentos" - nem mesmo fingiu, o escritor Richard Wordsworth, em seu artigo de 28 de outubro, sugere que "todos nós possamos jantar canapés de celebridades desenvolvidos em laboratório (sim, infelizmente isso existe - celebrity cubes - carnes cultivadas em laboratório com DNA de celebridades)" e "pedaços levemente temperados de nossos 'entes queridos'"

"Mas o mundo está pronto para o canibalismo sintetizado?"

Ele realmente sente que é necessário fazer essa pergunta e depois explorá-la como uma opção viável? Sim, aparentemente - e, infelizmente, a revista Wired também a explorou.

E, surpreendentemente, ele exprime essa insanidade ridícula na premissa de que "um suculento hambúrguer humano" seria "garantido sem crueldade" porque, no futuro, a "carne humana" será cultivada em laboratório. Então, você sabe, "ninguém pede por uma perna como ingrediente de seu tagine em cozimento lento", e "ninguém tem que morrer nos dias de hoje".

Acha que ele está se referindo à carne de animais? Porque se ele está, as pessoas normais não se referem à carne animal com termos humanos. A carne animal não é um "ente querido" porque não tem identidades humanas. Acontece que, são animais criados especificamente para consumo.

Você pode não concordar com essa premissa e está tudo bem; você certamente tem o direito de discordar e comer o que quiser, de qualquer maneira que desejar (pessoalmente, por aqui, gostamos de alimentos orgânicos, não transgênicos, sem glúten, sem antibióticos, como muitos de vocês também).

Mas sugerir que comer carne humana cultivada em laboratório do que, digamos, carne bovina, porco, frango ou peixe cultivado em laboratório como uma opção melhor é simplesmente loucura. Não é um "clickbait" louco, o verdadeiro negócio. É insanidade.

"No Ocidente, isto é um grande tabu", disse Wordsworth ao Dr. Bill Schutt, professor de biologia e pesquisador associado em residência no American Museum of Natural History.

Como o autor de "Coma-me: uma história natural e não natural do canibalismo", ele observou ainda que nossos valores culturais e morais simplesmente não se alinham com a sugestão de que os humanos são "alimentos".

"Especialmente o canibalismo medicinal que ocorreu recentemente na Europa. Eu acho que era algo que as pessoas provavelmente não estavam particularmente orgulhosas, uma vez que descobriram que a medicina moderna tinha melhores soluções do que comer partes do corpo", acrescentou.

No entanto, Wordsworth (e outros) estão tomando o conceito de carne humana cultivada em laboratório - incluindo os chamados "celebrity cubes", que apresentam o DNA de celebridades - como uma alternativa séria mais à frente'.

O Dr. Koert Van Mensvoort, diretor da Next Nature Network e parceiro da Eindhoven University of Technology na Holanda, acredita que, em algum momento, algumas pessoas não terão problemas em comer outras pessoas.

"Em geral, acho que haverá enorme relutância em relação à carne humana in vitro", disse ele a Wordsworth. "Será muito, muito agradável. Talvez um restaurante de muito alta gastronomia ofereça essa experiência única, uma experiência especial para a qual você paga muito dinheiro.

"Ou pode ser um ritual: quando você se casar, você consome um pedaço de carne do outro, apenas uma vez. Não estou promovendo isso, só acho que é uma conversa fascinante. Os problemas são muito mais sociais e culturais do que técnicos ou médicos", acrescentou.

Tão louco como tudo isso soa, o que é ainda mais louco é que esses cavalheiros parecem acreditar que os órgãos legisladores dos EUA e do Ocidente não encontrariam problemas éticos com isso e não os proibiriam antes mesmo de começar.

Vamos torcer. Enquanto isso, eu vou pedir frango livre de antibióticos com alguns vegetais livres de transgênicos e sem pesticidas, por favor.





Via: http://www.anovaordemmundial.com/ e https://www.wired.co.uk/article/lab-grown-human-meat-cannibalism
Postar um comentário