Últimas

GOVERNO DO PARANÁ VAI OFERECER “DE GRAÇA” CIRURGIA DE MUDANÇA DE SEXO: “NÃO VAMOS PERMITIR QUE O CONSERVADORISMO ATRAPALHE”

O governo paranaense, por meio de sua Secretaria da Saúde, anunciou ontem (23) que irá possibilitar a cirurgia de mudança de sexo para transsexuais, conforme noticiou a Agência de Notícias do Paraná.

A intenção do governo é habilitar o Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná junto ao Ministério da Saúde, de modo que os recursos pagos para tais cirurgias sejam oriundos do governo federal. Entretanto, até que o convênio seja firmado, o dinheiro virá do bolso dos pagadores de impostos paranaenses.

“Nós abrimos nossas portas com o objetivo de melhorar as questões relacionadas à transexualidade, pois tudo que tem algum impacto na vida dos cidadãos paranaenses nós temos que resolver. Vamos aproveitar a disponibilidade de HC e não permitir que o conservadorismo atrapalhe o que diz respeito à saúde pública”, disse o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto.

Michele Caputo Neto, Secretário de Saúde do Estado do Paraná. Foto: aen.pr.gov

O procedimento incluirá retificação de dados civis, retirada de mamas ou construção próteses mamárias, retirada de útero etc.

O governo garantiu que repassará à Prefeitura de Curitiba (que será parceira do projeto) o dinheiro necessário a todo o processo de mudança de sexo.

“O HC existe para atender às necessidades da população, além de também ter um importante papel formador. As cirurgias do processo transexualizador são uma lacuna que ainda temos no Paraná, mas com esta parceria vamos avançar na habilitação dos serviços e preencher esse espaço”, disse a superintendente do Hospital de Clínicas, Claudete Reggiani.

Camille Vieira da Costa, coordenadora do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública, disse que:

“Ficamos muito surpresos com a abertura dada pela Secretaria da Saúde, pois sabemos que esta é uma pauta que ainda enfrenta muitos preconceitos. Também contamos com o apoio da secretaria municipal, do Conselho Regional de Medicina (CRM/PR), da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/PR), e de outras instituições predispostas a concretizar essa política no Estado. Estamos muito otimistas.”

Segundo dados do Centro de Pesquisa e Atendimento para Travestis e Transexuais, no primeiro semestre de 2017 cerca de 400 consultas médicas e 780 atendimentos psicológicos foram feitos à população transsexual. O pagador de imposto paranaense também teve de bancar aproximadamente 43 mil comprimidos e 700 ampolas de hormônio durante o mesmo período.





Via Breitbart Brasil

Nenhum comentário