Últimas

MAIS MATERIAL RADIOATIVO SERÁ LANÇADO NO OCEANO PACÍFICO A PARTIR DA USINA DE FUKUSHIMA


A usina nuclear de Fukushima Daiichi foi uma das 15 maiores usinas nucleares do mundo, até sofrer danos maciços quando o Japão foi atingido primeiro por um terremoto de magnitude 9,0 e, em seguida, por um grande tsunami, em 11 de março de 2011. Quase 16 mil pessoas morreram no desastre e outras 160 mil perderam suas casas e empregos.

O Japão esteve envolvido em uma extensa campanha de limpeza desde então.

Agora, o The Telegraph informa que a Tokyo Electric Power Co. (TEPCO), que opera a usina nuclear e foi responsável pela limpeza da bagunça, anunciou a liberação de trítio radioativo direto para o Oceano Pacífico. O anúncio foi recebido com indignação por grupos ambientais e locais.

Entre os mais afetados pelo desastre estão os pescadores de Fukushima. Mesmo dois anos após as operações de limpeza, o The Guardian informou que mais de 300 toneladas de águas subterrâneas radioativas ainda estavam se infiltrando no Oceano Pacífico diariamente, não só matando a vida marinha, mas destruindo o setor pesqueiro local. Afinal, ninguém quer arriscar comer peixes radioativos.

"Eu não pude pescar desde o tsunami", disse Kazuo Niitsuma, um pescador local de 63 anos, ao The Guardian na época. "As pessoas querem ter certeza de que estão comprando peixe seguro, e não podemos dar-lhes essa garantia no momento. ...Em momentos como este, parece que o problema nuclear nunca será resolvido, e para isso a Tepco e o governo devem assumir a responsabilidade".

A TEPCO fez tudo menos aceitar essa responsabilidade. Depois que eles inicialmente não conseguiram lidar com a água contaminada e então fizeram tudo o que podiam para esconder a extensão do problema, muito poucas pessoas têm fé em qualquer coisa que eles digam.

Eles estão insistindo inflexivelmente que o trítio radioativo que vão despejar no oceano não será um problema porque ele será diluído no vasto corpo de água. A empresa tem lutado para encontrar uma maneira de lidar com as 770 mil toneladas de água radioativa contaminadas e armazenadas em 580 tanques no local. Embora a maioria dos materiais radioativos tenham sido filtrados da água, eles não conseguiram se livrar do trítio.

Os grupos ambientais se recusam a aceitar essa explicação, insistindo que a empresa teve muito tempo para encontrar uma solução que não prejudique ainda mais o setor pesqueiro local e destrua mais vida marinha.

"Este acidente aconteceu há mais de seis anos e as autoridades deveriam ter conseguido criar uma maneira de remover o trítio em vez de simplesmente anunciar que vão despejá-lo no oceano", disse Aileen Mioko-Smith, ativista da Green Action Japão, ao The Telegraph.

Quem pode confiar na palavra de uma empresa que conspirou com o governo nas semanas e meses após o desastre para cobrir sua gravidade? Um relatório interno, que incluiu o testemunho de dezenas de funcionários da TEPCO, confirmou que eles foram instruídos a permanecer em silêncio sobre o colapso. Esta mentira desperdiçou inúmeras centenas de milhares de pessoas para a radiação e futuras consequências para a saúde, incluindo o câncer.

A presidente da TEPCO, Naomi Hirose, admitiu na época: "Eu diria que foi um encobrimento. É extremamente lamentável "

É realmente lamentável que a empresa responsável por este desastre não tenha assumido a responsabilidade de limpá-lo e proteger os meios de subsistência daqueles na área, como os agora desesperados pescadores de Fukushima.






Via: http://www.anovaordemmundial.com e http://www.newstarget.com/2017-09-13-more-radioactive-material-to-be-released-into-the-pacific-ocean-from-the-failed-fukushima-power-plant.html

Nenhum comentário