Últimas

JIHAD SEXUAL NA SUÉCIA: QUASE METADE DAS VÍTIMAS SÃO CRIANÇAS!

Resultado de imagem para ABUSO INFANTIL ISLÃ

NOTA: Antes de ler este artigo, tenha em consideração que a SUÉCIA tem o primeiro governo FEMINISTA do Mundo. Um governo de extrema-esquerda, escusado será dizê-lo.


Estupro desenfreado na Suécia, após anos de imigração muçulmana. Uma percentagem alarmantemente alta das vítimas são crianças.

A violação na Suécia tem aumentado desde que o país começou a receber um grande número de migrantes e refugiados muçulmanos.

De acordo com as estatísticas, 92% de todos os estupros graves (estupros violentos) são cometidos por migrantes e refugiados.

O "top 10" das origens nacionais dos estupradores mostra apenas um país não-islâmico (Chile). A maioria dos estupradores são iraquianos, seguidos por refugiados e migrantes do Afeganistão, Somália, Eritreia, Síria, Gâmbia, Irão, "Palestina", Chile e Kosovo. Os migrantes e refugiados do Afeganistãosão 79 vezes mais propensos a cometer estupro.


O mesmo padrão é visto em toda a Europa Ocidental, e em muitos lugares, ele tem um impacto na demografia nos espaços públicos. Como acontece nos países islâmicos, muitos países com um grande número de migrantes muçulmanos têm agora menos mulheres que homens nas ruas.

Uma pesquisa sueca mostra que 34% das mulheres suecas, por medo de serem estupradas, escolheram usar rotas alternativas e outros meios de transporte. 12% dizem que ficam em casa porque têm medo de sair. E 23% acham que sua qualidade de vida é afectada pelo aumento da insegurança - mais 13% que no ano anterior.

48 por cento das mulheres alemãs dizem que têm medo de andar em certas áreas no seu próprio bairro. 44% delas acreditam que a sua segurança pessoal está ameaçada pela imigração dos "países islâmicos".

Borwin Bandelow, professor de Psiquiatria na Universidade de Göttingen, afirma que os medos das mulheres são "bem fundamentados".


Novos dados da agência nacional de estatísticas da Suécia, BRÅ: 3.448 estupros foram reportados nos primeiros seis meses de 2017, um aumento de 14% em relação ao semestre anterior. Ao todo, 9.680 crimes sexuais foram cometidos de Janeiro a Junho.
De acordo com um relatório da BRÅ a partir de 2013, apenas 23% dos crimes sexuais na Suécia são relatados, o que significa que o número real de crimes sexuais nos últimos seis meses na Suécia é de cerca de 42 mil.
Com uma população feminina de aproximadamente 5 milhões, o risco de as mulheres se tornarem vítimas de crimes sexuais durante toda a vida na Suécia é significativamente alto.
10news.one

-------------------------------------------


Estivemos indecisos entre arquivar este artigo na secção MULHERES, CRIANÇAS ou SUÉCIA. Acabámos por escolher a secção JIHAD SEXUAL

Lembramos, como sempre, que esta notícia é uma gota de água no Oceano. O Islão está presentemente numa fase em que se acha fortalecido, e espalha as suas leis pelos quatro cantos do Mundo. Basta dar uma vista de olhos nos sites que indicamos na barra lateral, sob a designação O TERRORISMO GLOBAL.

Alguns sites de Contra-Jihad em Português:
Contra Jihad
Ex-Muçulmanos
Islam Watch
Islão a Nu
Lei Islâmica em Ação
Muammad e os Sufis
Olho na Jihad
Perigo Islâmico
Por Que Nunca Serei Muçulmano


O governo feminista sueco não considera grave quando os muçulmanos estupram mulheres e crianças.



Mesmo quando as vitimas morrem durante o processo e os agressores continuam o estupro, indiferentes.

O estupro islâmico é considerado um direito pelos muçulmanos, pois a sua religião permite-lhes a posse de escravos e escravas sexuais. Ver por exemplo:

"Quando eu quero uma escrava sexual, vou ao mercado e compro-a!"

As mulheres, que são também mães, continuam infelizmente cegas e surdas para o horror da invasão islâmica. Nos homens já perdemos a esperança. Em resposta à epidemia de estupro islâmico na Europa... vestem saias!



"Viúvas e órfãos" da guerra na Síria...

Temos para nós que tudo isto é mau demais para que as pessoas acreditem, mesmo quando as fontes são, como neste caso, institutos de estatística, relatórios e porta-vozes policiais e a Imprensa. Quando, apesar da islamofilia oficial, estes dados são do conhecimento público, imagine-se o que está escondido.








Via: Amigo de Israel

Nenhum comentário