Últimas

NINGUÉM SOBREVIVERIA EM UMA GUERRA ENTRE RÚSSIA E EUA, DIZ PUTIN

Imagem relacionada

O presidente russo Vladimir Putin disse em uma entrevista ao diretor norte-americano Oliver Stone que ninguém sobreviveria se uma guerra entre Rússia e Estados Unidos tivesse início, segundo informações publicada pela Sputnik Internacional nesta terça-feira.

“Não acho que alguém sobreviveria [com tal conflito]”, afirmou Putin ao ser questionado se os EUA seriam dominantes em uma “guerra quente” com os russos. Esse pequeno trecho da entrevista foi divulgado pelo canal de TV norte-americano Showtime.

De acordo com a imprensa dos EUA, como parte dos preparativos para a entrevista, Stone e Putin assistiram ao filme “Doutor Fantástico”, de 1964, obra do cineasta norte-americano Stanley Kubrick que trata de um conflito nuclear fictício entre os EUA e a União Soviética.

O líder russo disse, em uma entrevista citada pelo site norte-americano The Daily Beast, que Kubrick previu algumas questões contemporâneas do ponto de vista técnico. No entanto, a ideia de uma arma de retaliação tornou-se ainda mais perigosa hoje, com a elaboração de armas mais sofisticadas e complexas.

Stone deu o DVD com o filme para Putin, que posteriormente descobriu que a embalagem não continha nenhum disco dentro, o que o levou a definir a situação como um “presente americano típico”, informou a mídia norte-americana.

Com quatro partes, a entrevista de Putin a Stone deverá ser exibida pelo canal de TV Showtime entre os dias 12 a 15 de junho.

Em outros trechos divulgados, Stone pergunta a Putin sobre como ele lida com a segurança pessoal e sobre a conversa que o presidente russo manteve com o ex-presidente Bill Clinton, a respeito a possibilidade da Rússia integram a OTAN.

Na sexta-feira, Putin disse em uma mesa redonda do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo (SPIEF), ao tratar dos laços bilaterais com Washington que a Rússia, que continuaria o diálogo com o presidente dos EUA, Donald Trump, para normalizar os laços, mas a tarefa exigia vontade política dos dois países.

Fonte: Sputnik

Nenhum comentário