Últimas

MUÇULMANOS ATACAM EUROPEUS POR NÃO CUMPRIREM O RAMADÃ, MAS GOVERNO E MÍDIA ABAFAM POR SER "A CULTURA DELES". HOMEM É ESFAQUEADO APENAS POR FUMAR

Resultado de imagem para europeu atacado muçulmanos ramadã

O Ramadã é o mês em que os muçulmanos mais assassinam em nome da sua divindade. Todos os anos, o site The Religion of Peace (A Religião da Paz) leva a cabo a triste contabilidade do mês sagrado do Ramadã.

Mas, para o Islão, todos os meses são meses de matar. Por exemplo: no mês de Abril de 2017, foram assassinadas 1336 pessoas em nome do deus Alá, os feridos graves foram 946, os ataques suicidas foram 30, os ataques ao todo foram 165 e os países atingidos foram 25.


Ao 6º dia de Ramadã de 2017 já vamos com 29 ataques e 345 mortos. Nos mesmos períodos, nenhuma outra das centenas de milhar de religiões que há neste planeta matou ou atacou quem quer que fosse.

Mas nem só de assassínios e bombas vive o Ramadã. Ainda hoje, em Paris, um homem que foi a um estabelecimento comprar uma cerveja. Um muçulmano atacou-o com um facalhão, porque segundo o Islão, não se deve beber álcool. Ainda por cima no Ramadã:


Também em França, um muçulmano desata a partir garrafas, porque é Ramadão:

  

Também em França, um muçulmano ataca pessoas e vira mesas porque, sendo Ramadão, não se pode comer durante o dia:


Ficamos apenas com três exemplos, para não cansar muito. De Paris, uma sociedade já fortemente islamizada, com a conivência das autoridades (ver a propaganda oficial de conto de fadas no post anterior).
Estes três breves exemplos servem para ilustrar:

a) a natureza intrinsecamente violenta e bárbara do Islão;
b) a incapacidade que os muçulmanos têm de tolerar outras culturas e deixar de impor a deles;
c) o espírito supremacista e conquistador do Islão, que, onde quer que chegue, trata imediatamente de esmagar os nativos, começando pelas mais disparadas exigências.

O único problema dos muçulmanos com Israel é que este é um país não islâmico (ainda que ridiculamente pequenino) no meio de um vasto continente islâmico, algo que eles não toleram, nem em termos geográficos nem em termos pessoais. A visão islâmica do mundo é que quem não é muçulmano deve ser morto, e ponto final.


Massacre de Manchester: o terrorismo islâmico é a expressão da total intolerância e do mandamento religioso de exterminar os "infiéis". Seja em Londres, seja em Jerusalém.


Alemanha: Muçulmanos matam homem à facada por fumar no Ramadão




Shhhh... Não se passou nada... É a cultura "deles"... Não sejam racistas...


Ainda esta manhã, mais 38 vítimas do Ramadão, nas Filipinas. Embora o Estado Islâmico tenha reivindicado a autoria do massacre, e embora o muçulmano tenha chegado ao hotel a disparar indiscriminadamente sobre os "infiéis", os media (bem como a Polícia local) dizem que se tratou "apenas de uma tentativa de roubo".

Ao 7º dia do Ramadão, a contabilidade vai em 416 mortos em 33 ataques terroristas. Fora aqueles de que não sabemos, porque são sacrificados a Alá lá nas profundezas das Áfricas ou das Ásias.

Qualquer dos sites que se dedicam a recolher, compilar e contabilizar as atrocidades islâmicas, dão a conhecer milhares delas, neste Ramadão, igual a todos Ramadões desde que os há.


Aqui na Europa, vamos sabendo daquilo que a Polícia não consegue esconder, pois as ordens são para isso.

Por exemplo:

O senhor Abed Hannan Yaqoub (na imagem acima, com os filhos), um refugiado curdo, foi hoje chacinado em Oldenburg, na Alemanha, por um grupo de árabes:





Mas qual foi o crime do senhor Aqoub, para ser esfaqueado até à morte por um grupo de muçulmanos?

Estava a fumar. E é Ramadão.

Um episódio de barbárie islâmica entre milhares que todos os dias a Imprensa "séria" escamoteia e os sites de re-informação revelam.

Alguém consegue imaginar por exemplo imagens como as do post anterior a passarem nos telejornais


Lá se ia a narrativa dos desgraçadinhos e com ela a saborosa perspectiva eurocrata, esquerdista e globalista de islamização da Europa e substituição populacional.



O Mensageiro de Allah (ﷺ) disse: "Fui vitorioso pelo terror".

- Sahih al-Bukhari 2977, (sobre a Jihad), livro 56, Hadith 18



O The Religion of Peace tem uma lista de notícias ao minuto. Uma amostra:

Man Stabbed to Death for Violating Ramadan Rules - in Germany…

British Islamic Organizations Refuse to Issue Fatwa against Terrorists…




Via Amigos de Israel

Nenhum comentário