Últimas

MARK ZUCKERBERG DIZ QUE É PRECISO UMA "SUPERESTRUTURA GLOBAL PARA FAZER A HUMANIDADE AVANÇAR SOB O CONTROLE TOTALITÁRIO"


Como você vai de um nerd que desenvolveu um popular site de mídia social para o maior árbitro do universo e futuro da humanidade? Fácil: você transforma essa criação de sites de mídia social em uma plataforma de vários bilhões de dólares e pronto, credibilidade instantânea.

Ao meu conhecimento, o fundador do Facebook e desistente de Harvard, Mark Zuckerburg, não tem nenhum treinamento avançado ou educação sobre sociologia e governo. Mas devido seu site de mídia social ser o maior mundo, ele tem terabytes de dados pessoais de mais de 1,8 bilhão de usuários ativos de valor incalculável. E ele, obviamente, acredita que isso o qualifica para planejar o futuro do planeta.

Em um trecho do The New York Times intitulado, "O Facebook pode corrigir seu próprio pior erro?" Zuckerberg diz que acredita que o mundo precisa de uma "superestrutura global para fazer a humanidade avançar", e que se sente qualificado para ajudar a fazer isso acontecer. E, claro, o Facebook é o veículo para isso.

"Mark Zuckerberg agora reconhece o lado perigoso da revolução social que ele ajudou a começar", escreve o autor Farhad Manjoo. "Mas essa é a ferramenta mais poderosa para a conexão na história humana capaz de se adaptar ao mundo que ela criou?"

Conforme relatado pelo site Breitbart, Manjoo se reuniu com Zuckerberg para falar sobre a sua criação de mídia social e a variedade de questões que a empresa enfrenta. Durante a conversa, Zuckerberg afirmou que havia uma necessidade de desenvolver a infra-estrutura social necessária para a humanidade "chegar ao próximo nível".

"Há uma infra-estrutura social que precisa ser construída para os problemas modernos para que a humanidade chegue ao próximo nível", disse Zuckerberg. "Ter mais pessoas orientadas não apenas para coisas de curto prazo, mas para construir a infra-estrutura social de longo prazo que precisa ser construída sobre todas essas coisas com a finalidade de permitir que as pessoas se reúnam, será uma coisa muito importante nas próximas décadas."

O que, exatamente, esse jargão significa? Que tipo de "infra-estrutura social"? Construída sobre todas as "coisas"? As pessoas estão sendo impedidas de "se unirem" agora? E por que é "uma coisa realmente importante" que deve ser feita no futuro? Qual é o objetivo, o objetivo final? E, claro, a grande questão, quem controla esse processo ?

Mais tarde, ele falou sobre uma "superestrutura global abstrata para fazer avançar a humanidade", explicando que "estamos chegando a um ponto onde as maiores oportunidades que eu penso sobre o mundo... problemas como prevenir pandemias de se espalharem ou acabar com o terrorismo, todas essas coisas, elas exigem um nível de coordenação e conexão que eu não acho que podem ser resolvidas pelos sistemas atuais que temos".

Manjoo diz que embora as declarações de Zuckerberg não sejam realmente nada revolucionárias ou controversas, é sua posição não-eleitoral e não-governamental como comandante supremo do Facebook que torna o que ele está sugerindo problemático e preocupante.

"Zuckerberg está argumentando sobre uma espécie da versão da era digital do desenvolvimento institucional global que o mundo ocidental envolveu-se após a segunda guerra mundial," escreve Manjoo. "Mas devido ele ser um chefe-executivo e não um presidente eleito, há algo assustador sobre seu projeto."

Você acha?

"Ele está posicionando o Facebook - e, considerando que ele comanda o controle absoluto de voto da empresa, ele está se posicionando - como um facilitador crítico da próxima geração da sociedade humana. Um pequeno problema com sua missão é que ele demonstra megalomania, embora um tipo particularmente sincero."

Ou não tão sincero.

Olha, é bom que os bilionários queiram "ajudar" a humanidade a satisfazer as necessidades básicas e superar problemas irritantes. Mas mortais inferiores estão fazendo este trabalho todos os dias, em níveis locais e regionais, através de contribuições individuais e como membros de organizações existentes. Pensar que uma plataforma de mídia social pode servir como algum tipo de motor global de mudança social não é benevolente, é a conversa de um ditador que quer usar seu poder para remodelar o mundo sob sua própria visão, concordando o mundo ou não.

Além disso, Zuckerberg é uma figura de extrema esquerda atualmente atolado em dogmas do autoritarismo e da filosofia da elite globalista, que reivindicou algum status especial ou direito de decidir o destino de todos.

Pense nisso: Quem criar a "superestrutura global" que irá guiar a humanidade, vai querer controlar essa superestrutura. Isso não é liberdade, isso é tirania.





Via: http://populationcontrol.news/2017-05-22-facebook-founder-mark-zuckerberg-global-superstructure-needed-to-advance-humanity.html, http://www.breitbart.com/tech/2017/05/21/mark-zuckerberg-we-need-a-global-superstructure-to-advance-humanity/ e http://www.anovaordemmundial.com

Nenhum comentário