GOVERNO ALEMÃO PEDE QUE BONECAS ESPIÃS SEJAM DESTRUÍDAS - LIBERTAR.in - Ministério CASA DE YISRAEL

News

25 de fev de 2017

GOVERNO ALEMÃO PEDE QUE BONECAS ESPIÃS SEJAM DESTRUÍDAS

Resultado de imagem para BONECA Cayla espiã

As autoridades da Alemanha pediram aos pais de todo o país, que destruam as bonecas Cayla que compraram para suas filhas.

Cayla é considerada uma boneca espiã. Quando é tirada de sua caixa, ela faz perguntas às crianças como: seu nome, o nome de seus pais, qual escola frequentam e o local onde vivem.

A boneca interage com as crianças em inglês e espanhol


Através de uma conexão à internet e com um dispositivo Bluetooth, ela ouve e fala com as crianças que brincam com ela, o que desde o ano passado tem gerado preocupações de segurança.

Mas agora, a Agência Federal de Redes da Alemanha, a qual supervisiona as telecomunicações na nação europeia, emitiu a recomendação de que a boneca seja destruída.

Sua tecnologia pode revelar dados pessoais que estão sujeitos a hackers, uma vez que isso foi provado no passado.

Os pesquisadores dizem que os intrusos podem utilizar suas funções tecnológicas para escutar e falar com as crianças, e inclusive podem ouvir o que acontece a 10 metros de distância da boneca.


Desde 2015 foram detectados casos nos quais a informação obtida pela boneca era vulnerável a hackers


Desde então, surgiram várias queixas apresentadas por grupos de consumidores nos EUA e na União Europeia.

O grupo Vivid Toy, o qual distribui a Cayla, disse anteriormente que os casos de hackers foram detectados e solucionados por especialistas, embora os especialistas advertiram que o problema não tenha sido solucionado.
"Ela é muito mais que boneca", dizem seus fabricantes

A advertência da Agência Federal de Redes da Alemanha veio após uma estudante, Stefan Hesse, da Universidade de Saarland, apresentar preocupações legais sobre Cayla.

Via https://elmicrolector.org/2017/02/21/autoridades-alemanas-recomiendan-a-los-padres-que-destruyan-las-munecas-cayla-de-sus-hijas/
: http://www.anovaordemmundial.com/

Nenhum comentário:

Últimos mais vistos

Mais vistos em 10 anos de site