Últimas

A 3ª GUERRA ESTÁ PRÓXIMA: RÚSSIA ORDENA SEUS FUNCIONÁRIOS E FAMÍLIAS A VOLTAREM DO EXTERIOR; CONFIRA AS ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Resultado de imagem para third world war putin obama

Mesmo com os representantes russos tentando minimizar as tensões, a Rússia ordenou para que seus funcionários tragam todos os seus parentes que vivem no exterior de volta para a casa, em meio as crescentes tensões de uma guerra global.

O cenário de tensão é a seguinte.

  • Autoridades russas ‘disseram aos seus funcionários trazerem parentes de volta a casa;
  • A omissão de ambas as partes coloca em risco, acordos entre as super potencias.
  • As tensões aumentam depois da piora nas relações entre Rússia e os EUA sobre crise na Síria.
  • EUA tem interrompido suas negociações sobre a Síria e acusa a Rússia de ataques hackers.
  • Rússia mudou seu sistema de mísseis com capacidade nuclear para mais próximo da fronteira com a Polônia.
  • O governo dos EUA, acusam a Rússia de tentar influenciar as eleições norte americanas a favor de Donald Trump.

A Rússia está requisitando a todos os seus funcionários para trazerem todos os seus parentes que vivem no exterior para casa, em meio ao aumento das tensões sobre a perspectiva de uma guerra global, que tem sido afirmado.



Políticos e figuras de alto escalão disseram ter recebido um aviso do presidente Vladimir Putin para trazer seus entes queridos para casa (Rússia) de acordo com a mídia local.

Essa solicitação vem depois de Putin ter cancelado uma visita planejada para a França em meio a uma crise de fúria de Putin a alegação Francesa sobre o papel de Moscou no conflito sírio e apenas alguns dias depois do Kremlin mover seus mísseis com capacidade nuclear perto da fronteira com a Polônia.

O ex-líder soviético Mikhail Gorbachev também alertou que o mundo está em um “ponto perigoso”, devido ao aumento das tensões entre a Rússia e os EUA.

De acordo com o site russo Znak.com, as pessoas da administração publica, administradores regionais, os legisladores de todos os níveis e empregados de empresas públicas, foram orientadas a trazerem os seus filhos das escolas estrangeiras de volta a Rússia imediatamente.

O não cumprimento da ordem, colocará a promoção dos funcionários em risco, relatou a mídia local.

A razão exata para a ordem ainda não está clara, mas o analista político russo Stanislav Belkovsky é citado pelo Daily Star dizendo:




“Isto é tudo parte do pacote de medidas destinadas a preparar as elites para uma possível “grande guerra”.

As relações entre a Rússia e os EUA estão no seu mais baixo nível desde a Guerra Fria e azedaram ainda mais nos últimos dias depois de Washington cancelar as suas negociações sobre a Síria e acusar a Rússia de ataques de hackers contra setores nortes americanas.

O Kremlin também suspendeu uma série de pactos nucleares com os EUA, incluindo um acordo de cooperação simbólica para cortar estoques de plutônio para armas.

Alguns dias atrás, foi relatado que a Rússia havia mudado mísseis com capacidade nuclear para perto da fronteira com a Polônia com as tensões escalando entre a Rússia e o Ocidente.

A Rússia enviou seu sistema de mísseis Iskander para Kaliningrado, um enclave russo no Mar Báltico próximos aos países membros da OTAN, da Polónia e da Lituânia.

Esses países agora estão ao alcance das forças nucelares russa, incluindo Berlim.

Funcionários polacos cujo a capital Varsóvia é um alvo em potencial, descreveram o movimento como um ato “extremamente preocupante e ameaçador”.


A decisão de Putin de cancelar sua visita Paris, veio um dia depois que o presidente francês, François Hollande disse que as forças russas e sírias tinham cometido um “crime de guerra”, na cidade de Aleppo após um comboio de ajuda humanitária ter sido supostamente atacado por caças russos.

Putin estava com viagem marcada a Paris para 19 de outubro onde inauguraria o centro espiritual de uma nova igreja ortodoxa russa perto da Torre Eiffel, mas Hollande insistiu que o seu homólogo russo também teria participado do ataque ao comboio na Síria.


Há uma falta de entendimento entre a Rússia e a França sobre a situação na Síria, especialmente sobre a cidade de Aleppo, mas Moscou está sempre aberta para o diálogo, disse o presidente russo, Vladimir Putin, em entrevista à TF-1 nesta quarta-feira (12). Via Sputnik Nnews

O cancelamento sem precedentes de uma visita tão perto de ser realizada, é um “passo sério a reminiscência da Guerra Fria”, disse o analista russo de política externa Fyodor Lukyanov.


“Isso faz parte da escalada mais amplo nas tensões entre a Rússia eo Ocidente, e da Rússia e da NATO”, disse a AFP.
O Kremlin também está extremamente enfurecido pelo banimento de suas equipes para-olímpicas nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. O motivo do banimento são os supostos casos de doping patrocinados pela Rússia a seus atletas.

Enquanto isso, o conselheiro superior dos EUA da candidata presidencial Hillary Clinton, disse que o FBI está investigando o possível envolvimento da Rússia em hacking de milhares de e-mails pessoais da candidata.

Mas as autoridades russas têm vigorosamente rejeitado as acusações de intromissão nas eleições presidenciais dos Estados Unidos e rejeitou as alegações de que Moscou está por trás de uma série de quedas recentes em instituições norte-americanas.

O General aposentado russo, Evgeny Buzhinsky disse à BBC:


“É claro que há uma reação. Tanto quanto a Rússia vê-lo, como Putin vê-lo, é o confronto de grande escala em todas as frentes. Se você quer um confronto, você vai ter um.


“Mas isso não vai ser um confronto que só irá prejudicar os interesses eleitorais dos Estados Unidos. Você quer um confronto? Você vai ter um em todos os lugares. “
No início desta semana, o secretário do Exterior Britânico, Boris Johnson, entrou na “guerra”, chamando os ativistas anti-guerra para protestarem em frente à embaixada russa em Londres.


Responsável pelos Negócios Estrangeiros do Reino Unido considera que “todas as provas” apontam para a responsabilidade russa no bombardeamento de um comboio humanitário da ONU na cidade de Aleppo. Via Publico


Johnson disse que os “poços de indignação estão crescendo e esgotando” e que os grupos anti-guerra ainda não estavam expressando indignação suficiente referente ao conflito em Aleppo.


“Onde está a “Coalizão de Guerra” no momento? Onde eles estão?’ Disse ele durante um debate parlamentar.

Ao que parece, uma possível guerra direta entre Rússia e EUA, é mais real do que se parece e isso irá arrastar todos o mundo a uma Guerra Nuclear.

Fonte: Daily Mail via Conflitos e Guerras
Via: https://blogaultimatrombeta.wordpress.com

Nenhum comentário