Últimas

SÉRIE DE TV MOSTRA O PRÓXIMO PAPA COMO UM JOVEM TIRANO; OU O ANTICRISTO

Actor Jude Law as Pope Pius XIII

Estrelado por Jude Law, a série de “The Young Pope” [O Papa Jovem] chega à televisão em outubro. Os dois primeiros episódios exibidos no Festival de Cinema de Veneza, na Itália, chamaram a atenção da mídia por seu tom provocador.

Criada pelo diretor italiano Paolo Sorrentino, os 10 episódios vão contar a história fictícia do papa Pio XIII, um órfão norte-americano que desde criança foi preparado para assumir o trono da Igreja Católica.

Diane Keaton interpreta a irmã Mary, uma freira nascida nos EUA que educou Lenny (nome de nascimento de Pio), e serve como sua secretaria e conselheira. Em uma das cenas ela olha para o jovem e diz “posso ver a face de Cristo em você”. Num outro momento ela diz que “mais de um bilhão de pessoas estão esperando que ela lhes diga o que fazer”.

As cenas exibidas em Veneza mostram uma figura autoritária e cínica, que sabe a extensão do seu poder, mas não parece se importar muito com Deus na equação. Em um dos diálogos, ele afirma com um sorriso: “Não tenho pecados”.

“O personagem do filme é diametralmente oposto ao papa atual, mas parece apontar que o sucessor de Jorge Mario Bergoglio poderá ser um Pontífice mais conservador”, acredita Sorrentino. Em um momento onde Francisco faz uma campanha mundial pela união de todas as religiões, a imagem de um papa com vocação para tirano que fala sobre guerras é um grande contraste.

Ganhador do Oscar por “A Grande Beleza”, o diretor italiano aborda na série temas que podem ser considerados tabus, como violação de segredos confessionais, marketing religioso, masturbação, casamento gay e acúmulo de riquezas dentro da Igreja Católica. “É ilusão pensar que a Igreja sofreu mudanças com o papa Francisco. Meu papa fictício pode se tornar, no futuro, algo muito verossímil”, provoca.
Um tipo de Anticristo

Para alguns analistas cristãos, a imagem, ainda que fictícia, colabora na preparação para a vinda de um líder religioso carismático que encarnará o mal. Não está claro se o final da série mostrará que ele é um tipo de Anticristo – não o próprio –, mas o material divulgado chamou a atenção da revista pentecostal Charisma, que seguidamente analisa as mensagens subliminares em programas de TV.

Na trama, Lenny foi eleito por uma articulação do cardeal vivido por James Cromwell. Astuto, irônico, pedante, amargurado e cruel, Pio XIII tem um discurso que mostra como o poder eclesiástico não significa que exista temor de Deus. Para os críticos, a produção irá mostrar os bastidores do Vaticano, de modo similar como House of Cards revelou o jogo de poder político.

De acordo com Belfast Telegraph, a coprodução da HBO com a Sky e o Channel+, deve chegar ao Brasil no início de 2017.



por Jarbas Aragão - Gospel Prime

Nenhum comentário