CRIANÇA ESPERANÇA? PLANO DA UNESCO ENSINA ABORTO E DIREITO À MASTURBAÇÃO PARA CRIANÇAS DE 5 ANOS - Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar

Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar

Últimas

CRIANÇA ESPERANÇA? PLANO DA UNESCO ENSINA ABORTO E DIREITO À MASTURBAÇÃO PARA CRIANÇAS DE 5 ANOS


A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) é ligada ao Unicef e muito conhecida no Brasil pelo apoio à Campanha Criança Esperança, promovida anualmente pela Rede Globo.

Por conta dos muitos boatos sobre aplicação dos recursos angariados, a TV Globo insistiu em veicular na sua programação que o dinheiro arrecadado pela Campanha é repassado integralmente para a Unesco que apoia diversos projetos no país.

O que a população precisa saber é da denúncia feita por grupos a favor da vida e da família. Essas organizações alertam aos cidadãos para o apoio da Unesco a projetos de caráter moral duvidoso.

No Brasil, o órgão ligado às Nações Unidas, lançou a versão da Orientação Internacional Sobre Educação e Sexualidade (2010), dividido em módulos para as faixas-etárias de 5 a 8 anos; 9 a 12 anos; 12 a 15 anos e 15 a 18 anos. A cartilha é destinada a escolas, professores e educadores em saúde.

” Se quisermos ter um impacto sobre crianças e jovens antes que se tornem sexualmente ativos, a educação abrangente em sexualidade deve se tornar parte do currículo escolar formal, administrada por professores bem treinados e com apoio” diz a Orientação que sugere a educação sexual para crianças a partir dos 5 anos, como meio de combater doenças relacionadas ao sexo como a Aids.

Em todo o texto a palavra “sexo” para designar se a pessoa é homem ou mulher é abolida e substituída por gênero. Logo no início há a explicação, “a diversidade é uma característica fundamental da sexualidade”.

O documento passou por severas críticas até seu lançamento. No conteúdo eles abordam e dão respostas, embora que insuficientes às críticas como a que segue abaixo:

Orientação prescreve educação sexual para crianças a partir dos 5 anos.

“A educação em sexualidade é contra nossa cultura ou religião”, diriam os que eles rotulam de conservadores.

Diz a resposta da Orientação: “a Orientação Técnica Internacional sublinha a necessidade da relevância cultural e de adaptações locais, engajando e criando apoio entre os guardiões da cultura numa dada comunidade. As partes envolvidas, incluindo líderes religiosos, devem participar da elaboração da futura forma da educação em sexualidade.Entretanto, o guia também enfatiza a necessidade de modi ficar normas sociais e práticas nocivas que não se alinham com os direitos humanos e aumentam a vulnerabilidade e o risco, especialmente para meninas e mulheres jovens”.

Observem, a UNESCO até aceita a participação de lideranças religiosas na elaboração de um programa de educação sexual, entretanto, enfatiza a necessidade de modi ficar normas sociais e práticas nocivas que não se alinham com os direitos humanos e aumentam a vulnerabilidade e o risco, especialmente para meninas e mulheres jovens. Se um colégio de matiz católica, por exemplo, entende que não é adequado falar sobre masturbação para uma criança de 5 anos, isso pode ser considerado uma ‘prática nociva que não se alinha aos direitos humanos’, logo precisa ser mudada. A criança precisa ser informada segundo o documento que pode tocar em suas íntimas, que isto dá prazer e não traz nenhuma consequência negativa.
Didática do permissivismo

O programa é didático e ensina o passo-a-passo como introduzir educação sexual – basicamente confundido com a prática sexual – nas escolas.

O blog fez o resumo de alguns despropósitos listados para ser ensinado em cada faixa-etária. Há ensinamentos sobre a masturbação, que é normal para crianças a partir de 5 anos; que relação sexual sem penetração é meio seguro para prevenção de gravidez e que o uso correto de preservativos é meio eficaz de combater as doenças transmitidas pelo sexo. Logo de cara é prescrito que se deve ensinar às crianças que família é qualquer conglomerado de pessoas, aquela que conhecemos e chamamos de família tradicional, formada por pai, mãe e filhos, seria apenas uma delas.

Orientação Internacional é didática.

Projeto com apoio internacional

É esta a educação que você deseja para seus filhos e parentes? O programaconta com apoio internacional e tem objetivos bem claros.

O site da Abril.com publicou matéria na qual representantes da família criticaram o projeto de educação sexual da Unesco. “Assim você tem uma situação onde as crianças precisam ser ensinadas antes de sua adolescência, esta não é a maneira de fazer essa educação”, disse Colin Mason em entrevista ao “The New York Times”, representante daPopulation Research Institute, organização que combate o aborto.

O documento fundamenta o comportamento sexual a partir do empoderamento, ou seja, o adolescente tem o direito por si, sobre seu corpo. Nem a família ou a religião podem sugerir outro comportamento à sua opção de ter uma vida sexual ativa, por exemplo.
Apoio ao aborto

O blog do prof. Felipe Aquino exortou que o Unicef, órgão a que está ligado a Unesco, também financia projetos de aborto a meninas da África.


O Instituto Católico para a Família e os Direitos Humanos (C – FAM) denunciou que o UNICEF (Fundo da ONU para a Infância)financia uma organização sulafricana que induz as meninas a manter um comportamento sexual e homossexual e a praticar abortos sem o consentimento de seus pais.

A organização abortista denominada“Lovelife” (Amor e Vida) assegura em sua página na Internet que o UNICEF é a que “maiores fundos provê” para a realização desses programas.
Segundo a C-FAM “a organização parece muito ansiosa para empurrar as meninas para o aborto, já que lhes indica as clínicas abortivas como a Marie Stopes International, (MSI), totalmente grátis, entre outras coisas”.


Mediante a a campanha “Lovelife” difunde entre as meninas idéias como estas:

“Vocês têm direito a consultar a conselheiros em matéria sexual. Têm direito a praticar um aborto. Se as pessoas não querem ajudá-las, não desanimem. Sigam tentando. Vocês não necessitam de permissão de ninguém para fazer um aborto”.

Via: http://blog.opovo.com.br/ancoradouro e Canção Nova

Nenhum comentário