Últimas

ABERRAÇÃO: CROSS-DRESSER E CARTUNISTA LAERTE QUER SACUDIR O SEU “BADALO” NO BANHEIRO DAS MULHERES!

ewzt14wy58pme4x1s9j0csbscsd

Em uma noite de terça, uma senhora entra no banheiro feminino da Real Pizzaria e Lanchonete, na zona oeste de São Paulo. Ela veste uma minissaia jeans, uma blusa feminina listrada, meia-calça e sandália.

Momentos depois, é proibida de voltar ao banheiro pelo dono do estabelecimento. Motivo: uma cliente, com a filha de dez anos, reconheceu na senhora o cartunista da Folha Laerte Coutinho, 60, que se veste de mulher há três anos.

Ela reclamou com Renato Cunha, 19, sócio da pizzaria. Cunha reclamou com Laerte. Laerte reclamou no Twitter. E assim começou a polêmica. O caso chegou ontem à Secretaria da Justiça do Estado.

A coordenadora estadual de políticas para a diversidade sexual, Heloísa Alves, ligou para Laerte e avisou: ele pode reivindicar seus direitos. Segundo ela, a casa feriu a lei estadual 10.948/2001, sobre discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero.

Proibido de entrar no banheiro feminino, mesmo tendo incorporado as roupas de mulher ao dia a dia, Laerte diz que pretende acionar a lei.

Ele conta que, avisado pelo dono, tentou argumentar com a cliente. “Até brinquei e passei para a minha personagem Muriel e disse: mas sou operado! E ela: mas não é o que você diz por aí.”

Laerte, que se define como alguém “com dupla cidadania”, diz que passou a usar o banheiro feminino após aderir ao crossdressing (vestir-se como o sexo oposto) e se “consolidar” como travesti, mas não tem preferência por um banheiro específico.

“É uma questão de contexto, de como estou no dia. Não quero nem ter uma regra nem abrir mão do meu direito”, disse o cartunista.

Cunha, o sócio da pizzaria, diz que não sabia da “dupla cidadania” do cartunista nem que o caso iria gerar polêmica.

“Eu nem sabia o que era crossdressing. Houve a confusão, e no final eu cometi esse erro de falar: se o senhor puder usar o banheiro masculino, por favor.” Ele diz que se arrependeu do pedido.

Ontem, a proibição gerou comentários e dividiu usuários das redes sociais. A discussão ganhou apoio entre associações de travestis e transexuais.

Segundo Adriana Galvão, presidente da Comissão da Diversidade Sexual e Combate à Homofobia da OAB-SP, não há lei específica sobre o tema.

Meus comentários

Ah, o Euclides Santeiro me lembrou dessa barbaridade na caixa de comentários de um post anterior, e eu não podia deixar passar. Antes de tudo, obrigado Euclides.

Enfim, essas demandas de “minorias”, por qualquer coisa, usando estratégias como Sensibilidade Artificial Histérica e Julgamento pelo Futuro (como pode ser visto na rotina Simulação de luta por falsos direitos), iam acabar nisso. Agora, qualquer um que se considera de uma “minoria” reclama por qualquer coisa, achando que tem direitos a coisas que na verdade não tem. Tudo passa a ser motivo para drama, protesto, não importa o nível de ridículo em que a coisa chegue.

Agora, a demanda vem do “cross-dresser” Laerte. Ele no máximo seria um travesti, mas não um homossexual/bissexual. (Talvez até seja, mas não é o que ele declara)

E agora ele quer o direito de… ir no banheiro das mulheres!

Agora ficou fácil. Se um barbado quiser ir ver a mulherada em seu banheiro, basta repetir o discurso do cartunista maluquinho: “É uma questão de contexto, de como estou no dia”. Ou seja, se hoje alguém quiser ver a mulherada se trocando, basta dizer que está em dia “female”.

Se já existia a luta dos gays por eles serem respeitados em sua escolha de orientação sexual, Laerte quer ser respeitado em relação a “como se sente no dia”. Se ele se sentir “mulher”, quer ficar com a mulherada. Se ele se sentir “homem”, fica no banheiro dos homens.

Mas vejam que coisa. Agora, lá na academia, basta algum marmanjo dizer que hoje está se sentindo “mulher”, para entrar no vestiário feminino, tirar a sunga e curtir o momento. Se elas reclamarem, é só colocar uma peruca.

Para entender o absurdo de toda a situação, basta imaginar uma comédia italiana, feita em 1976, intitulada “Spogliamoci cosi, senza pudor”. Era uma daquelas comédias eróticas ingênuas que passavam na TV Record (antes do bispo) há muito tempo, lá pela madrugada.

Da mesma forma, a situação criada por Laerte é tão ridícula que só pode ser levada na base da piada.

É claro que os leitores que comentaram na matéria não perdoaram. Vou mostrar alguns que achei mais espirituosos e/ou relevantes:

  • “Ainda hoje cedo na Tele-aula, veremos a legalização/incentivo da pedofilia, da zoofilia e o debate da primeira cena de lambida de saco em plano americano na novela das 9 – Boa noite, pessoal!”
  • “Partindo dos princípios desses camaradas todo homem pode entrar nos banheiros femininos. Se não for assim onde está a igualdade? Por quê só o Laerte, por exemplo?”
  • “Deu agorinha na TV – Mãe Natureza é presa por negar direito a gravidez a um cross-dresser!”
  • “Amanhã na Phôolea: ‘Ginecologista preso porque recusou exame em cross-dresser!’”
  • “Hoje vou mijar de rir com os coments – tá demais – ah, vou mijar no banheiro correspondente -‘tipo assim’: estou portando bolas e taco (modesto!), banheiro masculino”
  • “O negocio dele é com homem, então deveria mesmo é frequentar o banheiro masculino! Não estaria ele(a) procurando a coisa certa no banheiro errado?”
  • “Lixão cavernoso: sai lacraia, sai lacraia…”
  • “Na casa desse elemento falta um espelho.”
  • “Se minha Filha esta no banheiro e vem um fulano vestido de saia entrando no mesmo… eu chamo a policia… quer ser Bich@, fique a vontade.. e todo direito seu…pois e teu fiofó que vai arder e não o meu… mas tudo tem limite…”
  • “Agora pensa bem: Eu lá, no banheiro arrumando minha roupa e entra um homen… ser mulher ou homen não é definido pela roupa e sim pelo sexo, francamente.”
  • “Gente o problema é que você nunca sabe o que é o quê ou quem é quem nesse universo… digo isso com todo respeito do mundo. Não podemos dizer nada, questionar ou pedir que somos homofóbicos… veja a situação do dono do restaurante…”
  • “Vinguem-se meninas… venham frequentar o banheiro masculino; prometemos não criar caso!”
  • “Também quero meu direito de frequentar o banheiro feminino pra ver todas aquelas gatinhas levantando ou baixando a roupa…”
  • “Caro Sr. Laerte. O Senhor ja esta um pouco velhinho pra querer ver mulher pelada no banheiro. Comporte-se.”
  • “E lá vai a f0lha defender a sua menina(o); se a moda pega, daqui à pouco, os pedófilos vão começar a se vestir de mulher para seviciar meninas em banheiros. Tem que pegar essa aberração e dar ums palmadas no meio da perna para ele se lembrar dos bagos. “
  • “Ha – ha – ha … É mesmo o fim do mundo?! Sério? Manda este sujeito $##@$#$@#…Onde já se viu uma mulher que entra no banheiro com uma menininha e é obrigada a ver uma cena DANTESCA desta? Fala sério, nosso pais esta virando um palco de horrores. Ninguem é obrigado a ver um velho horrendo deste com a toca do urso de fora isso é a visão do inferno a menininha vai ter que passar por tratramento psicologico. quem deveria ser processado é ele com base no ECA (estatuto da criança e adolecente). “
  • “Pensei que fosse a Graça da Petrobrás.”
  • “Esse cara se veste de mulher, mas não respeita as mulheres.”
  • “Crie vergonha na cara e pare de zombar da sociedade e dos direitos LGTB. Sou Gay, porém tenho bom senso. Quer continuar com a sua bizarrice aos 60 anos? Continue! Mais respeite o direito do próximo. Onde já se viu um cara que nem homossexual se considera querer utilizar o banheiro feminino? ( E ainda se fosse não concordo com isso). Esse cara denigre a imagem dos Gay’s que já não é boa perante a sociedade. Movimentos LGBT, processo nesse cartunista que virou oportunista!!”
  • “Caro Laerte, não duvido do teu caráter e nem questiono a tua opção sexual, mas se todo homem vestido de mulher ganhasse o direito de entrar no banheiro feminino… nem tenho palavras. Não sou gay, mas lamento o prejuízo que o teu ato impensado traz a uma possível tolerância(por parte da sociedade) a diversidade. “
  • “Que não se leve as crianças ao banheiros, porque depois elas não irão dormir a noite.”
  • “Tantas coisas uteis pelo que este cartunista poderia estar brigando, tantas coisas erradas acontecendo neste pais, e o cara vai na justiça pelo direito de usar o banheiro das mulheres?”
  • “Pobre Laerte, bom cartunista, mas ficou doido, tem que internar…”
  • “Passou a vida inteira usando o banheiro masculino. Agora que resolveu usar saias quer encher o saco para respingar o vaso sanitário feminino! Vá pentear macacos, Laerte!”
  • “Sem vergonha! Safado. Esse aí tem que ir é para a cadeia. Deveria ser preso por falsidade ideológica, por ser uma coisa e se apresentar travestido como outra coisa, por tentativa de atentado ao pudor e por constrangimento às mulheres por invadir banheiro feminino .”

E assim por diante…

É importante ridicularizarmos a atitude desse Sr. Laerte e de qualquer um que o apoiar, pois, se começarmos a passar a mão na cabeça de pessoas que surgem com essas demandas atualmente, o que teremos que tolerar no futuro?

Via https://lucianoayan.com/2012/01/28/bizarro-cross-dresser-laerte-quer-sacudir-o-seu-badalo-no-banheiro-das-mulheres/

Nenhum comentário