Últimas

ESTADO ISLÂMICO ASSUME AUTORIA DO ATAQUE EM ORLANDO - A MANIPULAÇÃO DA MÍDIA E A HIPOCRISIA ESQUERDISTA


O grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e da Síria (ISIS, na sigla em inglês) assumiu a autoria do massacre de Orlando, com 50 mortos e 53 feridos, por meio de dois comunicados, escritos em árabe e em inglês, divulgados por meio das redes sociais da agência de informações Amaq, que funciona na sua órbita. Tradicionalmente, e por motivos religiosos, os radicais islâmicos intensificam seus ataques no mês do Ramadã, que dura até 6 de julho. Segundo o comunicado em inglês: “Fontes da Agência Amaq: o ataque contra um clube de homossexuais em Orlando, Flórida, que deixou mais de 100 mortos e feridos, foi executado por um soldado do Estado Islâmico”. O comunicado em árabe seguiu a mesma linha.

O Estado Islâmico geralmente reivindica a autoria de atentados executados no ocidente com certa rapidez, inclusive os que são realizados por lobos solitários, pessoas que operam por iniciativa própria, sem coordenação com nenhuma célula, mas inspiradas pela ideologia jihadista desse grupo que controla partes da Síria e do Iraque.

O suposto autor do massacre, Omar Mateen, americano de 29 anos, ligou para o número de emergência 911, antes de começar o ataque ao clube, e proclamou sua afiliação ao ISIS, segundo fontes policiais citadas pela imprensa local americana, como a emissora de televisão NBC. A chamada foi gravada e está sendo analisada pelos agentes que tocam a investigação.

No entanto, quando o ISIS emitiu seu boletim diário, poucas horas depois do massacre, mencionava todas as suas atividades neste 12 de junho, mas não falou nada sobre o massacre de Orlando. Ainda assim, desde 2014, os líderes desse grupo terrorista deram permissão a qualquer pessoa para a execução de atentados terroristas em seu nome, sem necessidade de pedir permissão. Por isso, ratificou o apoio posteriormente, por meio da agência Amaq.

O caso de Mateen é similar ao do autor do massacre de San Bernardino, Syed Farook, que ano passado matou 14 pessoas. No mesmo dia dos assassinatos, ele publicou uma mensagem no Facebook em que proclamava sua lealdade ao Estado Islâmico. (El País)


A manipulação da mídia esquerdista

A mídia esquerdista está tratando o ataque do terrorista islâmico à Boate Gay de Orlando como se um eleitor de Trump, diante da facilidade de adquirir armas nos EUA, tivesse resolvido dar vazão ao seu "ódio homofóbico" numa monótona madrugada de domingo.

1) Não importa se o Estado Islâmico reivindicou o atentado do Lobo solitário, se ele ligou para o 911 para se identificar como um soldado do ISIS. 

2) Não importa que ele tenha saudado Alá antes de atirar e se era filho de afegãos que amam a Sharia.
 
3) Não importa se ele era eleitor do partido Democrata (que supostamente apoia a diversidade de Gênero) e se ele escolheu uma área dos EUA em que é por lei Gun Free Zone (território em que armas são proibidas, portanto, ele sabia que ninguém ali teria uma para se defender). 

Nada disso importa para a mídia, que não vê esses jovens inocentes covardemente mortos por uma ideologia anticristã como pessoas, mas sim como uma excelente oportunidade de acelerar as mentiras da agenda da ideologia sexista da extrema esquerda e jogar no colo da direita conservadora as mazelas da política desastrada da implantação da Cultura Marxista e do fascismo politicamente correto... Precisamos falar sobre o Islã.


Hipocrisia esquerdista

Se, em vez de um muçulmano, fosse um cristão o assassino dos 50 gays nos Estados Unidos, como estaria nesse momento a indignação nas redes sociais?

Onde está a campanha LGBT contra a cultura homofóbica islâmica?

Por que ninguém tem coragem de expor o preconceito islâmico contra os gays da mesma forma que combatem as discriminações vindas do cristianismo?

Por que quando um muçulmano comete um crime de sangue e ceifa dezenas de vidas inocentes, os defensores do "politicamente correto" e a mídia ocidental toleram isso e veem apenas como um ato de radicalismo isolado, mas quando é um cristão ( padre, pastor, político, cidadão) que comete o "crime" de emitir opiniões e crenças de acordo com sua fé, logo é insultado nas redes sociais, chamado de retrógrado, ignorante e preconceituoso?

Por que o Cristianismo, sem derramar uma gota de sangue, é sempre zombado e desmerecido por crer no que sua consciência e fé lhe dizem que deve crer?

E por que praticantes do islamismo, que em atos extremistas como o de hoje, provocam mortes e assassinatos, nunca, eu disse (NUNCA) são sequer mencionados nos debates e indignações nas redes sociais?


Nenhum comentário