Últimas

SERÁ? JURISTAS INCITAM AS FORÇAS ARMADAS A TOMAR O PODER


O Judiciário Brasileiro está desmoralizado por conta da Constituição Federal de 1988 ter sido usurpada pelas decisões arbitrárias e comunistas do Supremo Tribunal Federal(STF).

Com o atropelamento do judiciário pelo governo corrupto de Dilma Rousseff/PT, as instituições passaram a não funcionar dentro da Lei e da Ordem.

Isto se deve à corrupção sistêmica implantada pelo Foro de São Paulo, onde Lula e o ditador Fidel Castro são os cabeças.

A operação Lava Jato revelou que o Executivo Federal assumiu a posição de corrupto e corruptor, aliciando o Poder Legislativo e o Judiciário, além de arrastar as demais instituições do Brasil.

E o pior de tudo, colocar os Generais das Forças Armadas sob o comando de eminentes réus na operação Lava Jato, a citar, os comunistas Jaques Vagner/PT-BA, da Casa Civil e Aldo Rebelo/PC do B/SP, da Defesa.

Esta mais que provado que os três poderes estão à serviço de uma partido político de ideologia esquerdista, e não da nação conforme manda a LEI.

Portanto, os três poderes perderam a sua legitimidade constitucional, passando a ser promotores dos planos comunistas de perpetuação no poder pelo poder.

Diante deste quadro de extrema gravidade para o Brasil, o programa Direito e Justiça em Foco entrevistou os jurista Dr. Ives Gandra Martins e o Dr. Carlos Henrique Abrão.

Na entrevista, Ives afirma que cabe as FORÇAS ARMADAS restabelecer a LEI e a ORDEM do Brasil, e não voltar ao poder como em 64.

Com esta afirmação, a chama da Intervenção Militar Federal voltou a ser acesa em todas as mentes intervencionistas no Brasil e no mundo.

Ives incita as FORÇAS ARMADAS à tomarem o PODER CENTRAL para que o Brasil tenha a possibilidade de restabeler a LEI e a ORDEM, já que os três poderes estão corrompidos, usurpados e sem legitimidade jurídica.

Ele relembra que o nome da presidente comunista Dilma Rousseff/PT, foi citado 11 vezes na Operação Lava Jato em delações dos réus já presos, que o presidente do senado Federal, o senador Renan Calheiros/PMDB-AL, está sendo investigado por crimes de Lavagem de Dinheiro, Peculato, Falsidade Ideológica, Utilização de Documentos Falsos, o qual teve a quebra do sigilo bancário e fiscal autorizados pelo STF.
Já o deputado Eduardo Cunha/PMDB-RJ, presidente da câmara dos Deputados Federais, foi citado inúmeras vezes na Operação Lava Jato com acusações de manter contas secretas no exterior, envolvimento direto nos esquemas de corrupção dentro da Petrobrás e liderar uma quadrilha de corruptos.

Duas casas legislativas tem seus presidentes citados no maior esquema de corrupção da história do mundo; o STF demonstra claramente que existe para servir as ordens do Partido dos Trabalhadores(PT), por ser formado por 8(oito) Ministros indicados pelo PT.

E para piorar, a presidente comunista Dilma Rousseff/PT, se apresenta como um mero objeto de uso político para o Brahma(Luiz Inácio Lula da Silva).

Ives reafirma que o artigo 142 da Constituição Federal respalda as FORÇAS ARMADAS à agirem imediatamente para frear o avanço da corrupção sistêmica no Brasil, de forma que os generais do Exército Brasileiro devem anunciar a tomada do PODER CENTRAL DO PAÍS para cumprir a LEI, protegendo os valores da Pátria e o restabelecimento da ORDEM entre os poderes constituidos.

Já no artigo 49, inciso 11da Constituição Federal, Ives alerta que:
É da competência exclusiva do Congresso Nacional:
XI - zelar pela preservação de sua competência legislativa em face da atribuição normativa dos outros Poderes;

Esse artigo responde a invasão de direitos legais do Senado Federal e da Câmara dos Deputados Federais, exercida pelo STF(Supremo Tribunal Federal), que desacatou a constituição e o regimento interno das casas legislativas, em detrimento de benesses ao PT e aos acusados na operação Lava Jato.

Ou seja, Ives alerta que devemos repudiar a invasão que o STF impõe à competência da União, amesquinhando a Câmara dos Deputados, tornando-a uma casa inferior em relação ao Senado Federal, de forma que o senado passou a não mais julgar os atos de improbidade da presidente da república, mas da própria câmara, tornando-se poderes banalizados.

E neste contexto, o desembargador Dr. Carlos Henrique Abrão alerta que o judiciário do Brasil entrou num sistema de“banalização da judicialização no país”.

“Tudo hoje passa nas mãos dos tribunais em primeira e segunda instância, e isto não é bom. Pois devemos preservar os princípios da separação dos poderes.
E mais do que tudo, nós temos que olhar que o estado "babá", que cria benefícios sociais não vá transformar a cidadania em uma cidadania xyzwhijp.
Então o Brasil precisa reagir, precisa viver em um estado de indignação, para remover todo este entulho, este lixo que não é reciclável.
E se não houvesse uma mobilização pela sociedade civil, nós correríamos o risco de viver o maior retrocesso em 2016."pontou.

Pode-se perceber que os juristas em todo o Brasil se mobilizam pelo DESPERTAR DA LUTA PATRIÓTICA, como recomendou o NOBRE GENERAL MOURÃO, demitido do comando do Exército no Sul do País, apenas por dar esta declaração à sociedade.

XXX...XXX


"PESSOAL,
ACHO QUE ESTÁ MAIS DO QUE NA HORA DE FALARMOS A VERDADE, TAL QUAL IVES GANDRA TEM A CORAGEM DE FAZER!
O PRECONCEITO CONTRA A TOMADA DO PODER PELAS FFAA, CALA A TODOS!
MAS O QUE SE PRETENDE COM ISSO? DEIXAR QUE OS VERMELHOS TOMEM O PAÍS? SE EM 1964 eles NÃO CONSEGUIRAM ESSE INTENTO FOI PORQUE O EXÉRCITO NÃO DEIXOU!
As FFAA CUSTARAM A DEVOLVER O PAÍS À DEMOCRACIA? ATÉ PODE SER, MAS FOI O ÔNUS QUE PAGAMOS!
AGORA É JUSTO SUSTENTARMOS ESSA FACÇÃO CRIMINOSA QUE ESTÁ NO PODER HÁ QUASE 15 ANOS, E QUE TRANSFORMOU O BRASIL NUM FAVELÃO? FACÇÃO QUE NÃO QUER SAIR DO PODER, QUE NOS AMEAÇA, NOS ROUBA, NOS CONDUZ? QUE PASSOU ANOS DESACREDITANDO O EXÉRCITO BRASILEIRO, HUMILHANDO-O DE TODAS AS MANEIRAS POSSÍVEIS? NÃO BASTA???
SE NÃO CONTARMOS COM O EXÉRCITO QUEM VAI NOS DEFENDER DOS PELEGOS DO exército stédile DO LULLA, OU DOS SEM LEIS DO lulla?
PENSEMOS NISSO! OU O EXÉRCITO ACABA COM O PT OU O PT ACABA COM NOSSA LIBERDADE!"


Via: http://www.militar.com.br/

Nenhum comentário