Últimas

PALESTINOS ABREM "EMBAIXADA" NO BRASIL; ENQUANTO ISSO DILMA REJEITA ISRAEL

A meio de um intenso conflito diplomático entre o governo esquerdista brasileiro e o governo de Jerusalém que tem originado um "vazio diplomático" entre os dois países, e cuja origem tem a ver com a recusa do governo de Dilma em aceitar um embaixador israelita com características sionistas, o Brasil permitiu-se receber na sua capital aquilo a que os palestinianos e o governo brasileiro designam como"embaixada".

O edifício que aloja esta "embaixada" fantoche - pois não existe nenhum verdadeiro estado palestiniano que possibilite a abertura de embaixadas - foi ontem mesmo inaugurado em Brasília com a presença do representante da Autoridade Palestiniana no Brasil, Ibrahim Alzeben, vários representantes esquerdistas do governo brasileiro, representantes de países árabes e membros da comunidade árabe local.

Uma semana antes, Alzeben assistiu à cerimónia comemorativa do Dia da Memória das Vítimas do Holocausto organizado pela comunidade judaica na capital brasileira, tendo na altura afirmado:"Não podia faltar. É muito importante lembrar esta data."

Duvido muito sinceramente das intenções deste palestiniano...

UM RISCO PARA A SEGURANÇA NACIONAL

A proximidade desta nova "embaixada" - a primeira no hemisfério ocidental - aos principais edifícios públicos do governo brasileiro, incluindo o palácio do Planalto, o edifício do Congresso, o Tribunal Supremo e vários ministérios tem sido amplamente criticada, tendo em vista factores de segurança.

"Os diplomatas (palestinianos) e seus veículos não podem ser investigados. A embaixada é agora uma área da soberania do Hamas" - desabafou uma fonte militar anónima numa entrevista à revista Veja publicada no ano passado. "O sítio é estratégico. Os terroristas podem ter acesso a toda a estrutura governamental em menos de meia hora."

Construída num enorme terreno doado pelo anterior governo de Lula da Silva, a embaixada ocupa um espaço considerado grande em comparação com o de outras missões diplomáticas. Tendo no seu topo um domo dourado, o edifício faz imediatamente lembrar o Domo da Rocha, no Monte do Templo, em Jerusalém.

O presidente da Autoridade Palestiniana Mahmoud Abbas lançou a primeira pedra do edifício em 2011.

O Brasil reconheceu o "estado da Palestina" em 2010.

Desde Dezembro que não há embaixador de Israel no Brasil, uma vez que o embaixador nomeado por Benjamin Netanyahu, Dani Dayan, não recebeu a aprovação de Dilma Rousseff sob a alegada acusação de ter sido líder de aldeamentos na Samaria, algo que a esquerdalha classifica como "colonatos" em "territórios ocupados."

Lamento bastante esta abertura do actual governo do Brasil a uma política que só favorece os promotores do terrorismo islâmico, à custa da verdadeira diplomacia com um país que só tem a beneficiar o Brasil. Ao contrário dos palestinianos, que só têm a exportar...o terrorismo.

Fonte: Shalom, Israel! e http://www.ultimosacontecimentos.com.br/

Nenhum comentário