Últimas

ESTADO ISLÂMICO PEDE QUE TERRORISTAS FINJAM SER CRISTÃOS


Uma denúncia está deixando autoridades europeias alarmadas.Segundo o jornal inglês The Independent, os terroristas do Estado Islâmico publicaram um manual que ensina os jihadistas a escaparem das equipes de segurança.

O documento de 64 páginas encoraja os militantes a cometerem ataques ao estilo “lobo solitário”, como os realizados em Paris, no último mês de novembro.

Visando enganar as forças de segurança, o material traz recomendações para que os terroristas aparem a barba e usem loção pós-barba. Porém, o que mais chama atenção é pedido para que eles finjam ser cristãos.

A publicação on-line está em inglês e árabe e insiste que isso pode ser fundamental para que eles tenham sucesso em suas operações. Começa explicando que as forças de segurança procuram primeiramente por homens de barba e com vestes muçulmanas.

“Como vocês sabem, os cristãos – mesmo ateus ocidentais criados no cristianismo – usam cruzes em seus pescoços. Você não deve usar uma corrente com uma cruz se tiver um nome muçulmano em seu passaporte, pois isso pode parecer estranho”, enfatiza.

Eles acreditam que tudo é válido para que os terroristas suicidas não sejam detectados e impedidos de agir, até mesmo fingir ser o que eles mais desprezam.

Logo na introdução, afirma que hoje é “a era dos lobos solitários” e que eles terão maior “sucesso em suas operações” se souberem fingir e conseguir se misturar em meio às multidões sem chamar atenção.

Embora esteja sendo divulgado como uma nova estratégia, na verdade existe uma antiga prática islâmica, chamada ‘taqiyya’ que permite que um muçulmano viva uma ‘vida pecaminosa’ ou até mesmo negue sua fé se isso o ajudar a cumprir seu ‘propósito maior’.

Ao total, o manual dos ataques contém 12 capítulos, com instruções sobre vários assuntos, incluindo aplicativos de smartphones que podem ajudá-los a acessar a internet sem serem rastreados.

Também insiste para que os ataques terroristas sejam realizados em locais com grande concentração de pessoas e música alta (que abafaria os tiros ou explosões) como clubes ou casas de espetáculo. O modelo seguido pelos soldados que atacaram o Bataclan em Paris.

Além desse manual, o Estado Islâmico já publicou outros, que ensinam, por exemplo, como construir um carro-bomba.

Via: Gospel Prime

Nenhum comentário