Últimas

A VACINA CONTRA O HPV “SERÁ O MAIOR ESCÂNDALO MÉDICO DE TODOS OS TEMPOS”


Bernard Dalbergue é um médico francês que trabalhou durante 20 anos na indústria farmacêutica. Foi demitido depois da fusão de seu laboratório com a gigante farmacêutica americana Merck Sharp & Dohme (MSD).Atenção: Essa empresa americana não tem nenhuma relação com a farmacêutica alemã Merck, apesar do nome similar.

O supervisor e encarregado das relações com os hospitais, descobriu a corrupção do sistema sanitário: os pacientes são sacrificados no altar da rentabilidade.

Dalbergue publicou o livro "Omerta dans les labos pharmaceutiques: confessions d'un médecin" - "Omertá nos laboratórios farmacêuticos: confissões de um médico".

Em uma entrevista (tradução em espanhol) ele conta coisas muito interessantes como, por exemplo, o número entre 18.000 e 30.000 das mortes relacionadas com o uso de medicamentos (somente na França) e de umas 20.000 mortes reconhecidas pela Comissão Européia.

Este médico, que conhece bem o interior do laboratório da MSD, fala abertamente sobre a vacina contra o papilomavírus (HPV) que este laboratório fabrica com o nome de Gardasil, que é exatamente a vacina utilizada no Brasil.


"Consideremos o caso da Gardasil para medir a magnitude deste escândalo: todo o mundo sabia no momento de obter a autorização nos EUA para a comercialização desta vacina que ela não acrescentaria rigorosamente nada.

Diane Harper, líder de opinião nos Estados Unidos, soou o alarme no início, observando que aquilo era um engano e uma fraude.

Ou consideremos outro caso, o do Vioxx, um anti-inflamatório responsável por milhões de mortes por acidente vascular cerebral e parada cardíaca, um caso de corrupção que varreu ao menos 30.000 vidas.

Mas a MSD lançou uma falsa novidade do medicamento Vioxx, oArcoxia.

Rejeitado no outro lado do Atlântico, foi admitido para sua comercialização na Europa. Assim, os médicos prescrevem Arcoxia, que se trata do mesmo medicamento chamado Vioxx".

Arcoxia é encontrado nas farmácias, se prescrito, entra no sistema pago pela Segurança Social, e é extremamente perigoso.


Gardasil é uma vacina inútil e estão pagando uma verdadeira fortuna. E em todos os níveis de decisão isso é conhecido.

Bernard Dalbergue disse: "Você pode encontrar casos de síndrome de Guillain-Barré, paralisia dos membros inferiores, placas de esclerose induzida e encefalopatia induzida. Mas quando se trata de proteger milhões de pessoas contra a varíola ou poliomelite, não se obtêm um omelete sem antes quebrar os ovos. Isto é... minha previsão é que a Gardasil será o maior escândalo médico de todos os tempos. O certo é que não se tem nenhum efeito sobre o câncer de colo de útero e sim muitos efeitos secundários, incluindo amorte e que está lá para benefício exclusivo dos laboratórios".

E por que não é retirado a Gardasil e outros medicamentos? Porque os interesses financeiros são muito mais importantes que a retirada de um medicamento"...

Bernard Dalbergue afirmou que o laboratório teria que refazer o sistema de farmacovigilância. Quando foi descoberto a caneta injetora contra a hepatite C, ele foi até os responsáveis da companhia para informar-lhes do problema com produto, que poderia matar por ineficácia, e indicou que era necessário levar ao conhecimento das autoridades sanitárias sobre os efeitos adversos dos produtos, a famosa farmacovigilância.

"Então isso levou à minha demissão imediata. Nunca havia visto algo parecido em minha vida: a Indústria ignorava os dados da farmacovigilância, pondo em perigo a saúde e violando todas as normas éticas".

Pessoal, isto é muito sério! Temos que nos informar muito bem antes de ingerir qualquer medicamento, ou tomar alguma vacina. Hoje em dia os interesses financeiros são muito mais fortes do que a preocupação com o bem estar da população. Fiquem alertas ecompartilhem essa informação com os amigos!

Fontes: Notícias Naturais, Periodismo Alternativo, Miguel Jara,Ddata, Medicamentos, Salud y Comunidad

Nenhum comentário