Últimas

PUTIN ACUSA VÁRIOS PAÍSES DO G20 DE FINANCIAREM O ESTADO ISLÂMICO

Putin acusa vários países do G20 de financiarem o EI

Estou estranhando muito o papel de "bom moço" dado a Putin nestes últimos tempos ... adotando medidas conservadoras, e agora confrontando aqueles que financiam o ISIS... tenho estranhado esse papel de "salvador", "agente pró-vida", e de "doutor da verdade"... essa encenação surgindo de pano de fundo à farsa do ISIS, vindo da Rússia e FSB (ex-KGB comunista) está eximiamente calculada para parecer ser verdadeiro...

E se Putin vencer o ISIS? será ele o "vitorioso", "o salvador do mundo"? e ainda mais com a confiança de muitos cristãos conservadores que acreditam neste conto?

É assim que eles fazem... conte 99 verdades e 1 mentira, sendo esta mentira fundamental para alcançar seus objetivos...
---

"O financiamento, como sabemos, provém de 40 países, entre eles vários países do G20", disse em conferência de imprensa após a reunião do grupo dos 20 países mais ricos do mundo, realizada na cidade de Antalya, na Turquia.

Na mesma ocasião, Putin abordou a necessidade de se cumprir a resolução adoptada pelo Conselho de Segurança da ONU para prevenir o financiamento do terrorismo.

"Os trágicos eventos que ocorreram em Paris confirmaram que temos razão" ao propor uma coligação antiterrorista internacional, afirmou o presidente russo.

O responsável pediu também que a legitimidade da operação aérea russa contra as posições do EI na Síria deixem de ser alvo de discussão e que os países reúnam esforços contra o terrorismo, concretamente para prevenir atentados no mundo todo.

"Infelizmente, ninguém está a salvo de atentados terroristas. Por exemplo, a França estava entre os países que mantinham uma postura muito firme contra o presidente sírio, Bashar al Assad", disse."Isto salvou Paris dos ataques terroristas? Não", lembrou.

E destacou, "parte da oposição armada síria considera possível iniciar acções armadas contra o EI caso sejam apoiados pelo ar, e nós estamos dispostos a prestar esse apoio".

O chefe do Kremlin sublinhou que continuam a ser analisadas todas as versões sobre a causa da queda do Airbus russo que caiu com 224 passageiros a bordo a 30 de outubro na península egípcia do Sinai.

"Se houve uma explosão, entre os destroços da aeronave, entre os pertences dos passageiros, devem ter ficado restos de substâncias explosivas. Certamente as conclusões definitivas só poderão ser tomadas após o término das investigações", disse.

Via: http://economico.sapo.pt/

Nenhum comentário