Últimas

"NÓS NÃO VAMOS PARAR DE CAÇAR OS CRISTÃOS", DIZ LÍDER MUÇULMANO DA INDONÉSIA


1.000 igrejas já foram fechadas na região Indonésia de Aceh, desde 2006. A região é um dos locais da Indonésia onde a Sharia (tradição islâmica) é praticada.

As Religiões minoritárias têm sofrido com a maioria muçulmana da Indonésia, desde a implementação de uma lei de nove anos para promover a "harmonia religiosa". 1.000 igrejas já foram fechadas na região Indonésia de Aceh, desde 2006.

Na prática, isto significa que o direito dos não-muçulmanos locais deve obter 60 signatários de uma fé diferente, bem como a permissão da autoridade local antes que eles possam construir um teplo para realizar seus cultos.

Se uma igreja é considerada fora dos padrões com relação às licenças de construção, pode ser demolida.

Aceh é a única parte da Indonésia onde a Sharia é praticada e seus 'imames' (líderes islâmicos) já teriam ordenado o incêndio de igrejas. Os cristãos foram sujeitos a ataques regulares de violência da multidão.

No início deste mês, o Instituto Gatestone divulgou um relatório intitulado "A Jihad Indonésia em igrejas cristãs", que afirmava que imames tinham pedido aos muçulmanos que incediassem igrejas com tochas.

"Nós não vamos parar de caçar os cristãos e deixar as igrejas em chamas. Os cristãos são inimigos de Alá", disse um líder islâmico, de acordo com o relatório.

Em outubro, a Reuters informou que várias igrejas haviam sido destruídas depois que os moradores muçulmanos, incluindo membros do grupo radical islâmico 'Defensores de Frente', haviam exigido que estas fossem fechadas.

Em Aceh Singkil, milhares de cristãos fugiram depois de uma igreja ter sido incendiada, deixando uma pessoa morta.

A polícia no distrito de Aceh Singkil utilizou marretas e machados para derrubar as igrejas - montadas por pouco mais que pequenas estruturas de madeira - enquanto membros cristãos da comunidade assistiam àquela cena, muitos deles chorando.

Via: Guia-me

Nenhum comentário