Últimas

ESTADO ISLÂMICO PROMETE EXTERMINAR OS JUDEUS: “NÃO VAI SOBRAR UM EM ISRAEL”


O Estado Islâmico pretende exterminar os judeus.

É o que promete em hebraico fluente um jihadista mascarado, vestindo uniforme de combate e segurando uma arma automática, em novo vídeo divulgado pelo grupo terrorista – e já banido do Youtube.

Traduzo para o português a partir da tradução em inglês do The Times of Israel:

“Esta é uma mensagem para todos os judeus, que são o ‘inimigo número um’ dos muçulmanos.

A verdadeira guerra não começou e tudo que vocês experimentaram até agora tem sido uma brincadeira de criança – nada comparado com o que vai acontecer com vocês em breve, inshallah [se Deus quiser].

Prometemos a vocês que, em breve, nenhum judeu vai sobrar em Jerusalém ou em Israel e nós vamos continuar até erradicarmos essa doença do mundo.”

Neste momento, o vídeo mostra um mapa com 2 bandeiras do Estado Islâmico (ISIS, na sigla em inglês) e representações de seus soldados em torno das fronteiras de Israel.


O jihadista então celebra os recentes esfaqueamentos de israelenses cometidos por palestinos – que mostrei e comentei aqui -, bem como o estado permanente de medo resultante deles:

“Olhem o que aconteceu com vocês em alguns ataques com veículos e facas cometidos por nossos irmãos na Palestina. Vocês perderam a cabeça [entraram em desespero] e começaram a temer cada motorista que acelerava. Vocês estavam mesmo com medo de cada pessoa que carregasse algo em sua mão.

O que vai acontecer com vocês quando dezenas de milhares [de combatentes muçulmanos] chegarem de todo o mundo para abatê-los?

As fronteiras de Sykes-Picot não irão protegê-los e, assim como borramos as fronteiras entre a Síria e o Iraque, vamos fazê-lo entre a Síria e Jordânia e, em seguida, a Síria e a Palestina.

Vamos avançar em direção a vocês de todos os lados, a partir do norte e do sul, do Sinai, de todos os lugares. Nós vemos seus crimes todos os dias e iremos acertar as contas.”

O vídeo termina com o jihadista puxando uma faca para fora de seu colete, citando escrituras islâmicas e prometendo que os muçulmanos serão vitoriosos sobre os judeus.

Só faltou ele agradecer ao presidente dos Estados Unidos, Barack Hussein Obama, que, ao retirar as tropas americanas do Iraque para posar de pacifista, permitiu o avanço desses monstros.

Via: http://veja.abril.com.br/

Nenhum comentário