Últimas

CIENTISTAS USAM ESTIMULAÇÃO CEREBRAL PARA “FAZER VOCÊ PARAR DE ACREDITAR EM DEUS”

Magnetic test on man

O Daily Express está relatando hoje que os cientistas estão usando eletroímãs para literalmente alterar (e, assim, controlar) os pensamentos e crenças das pessoas.

Antes de começarmos a falar sobre como esta tecnologia não é nova, aqui está a essência:

Um experimento bizarro que afirma ser capaz de fazer os cristãos não acreditarem mais em Deus e fazer os britânicos abrirem os braços para os migrantes em experimentos, há quem possa achar uma ameaça a seus valores...

Usando uma técnica chamada estimulação magnética transcraniana (EMT), os pesquisadores seguramente desligam certos grupos de neurônios no cérebro dos voluntários.

O EMT, o qual é utilizado para tratar a depressão, envolve a colocação de uma grande bobina electromagnética contra o couro cabeludo, o qual cria correntes eléctricas que estimulam as células nervosas na região do cérebro envolvidas no controle do humor.

Os pesquisadores descobriram que a técnica alterou radicalmente as percepções religiosas e o preconceito... A crença em Deus foi reduzida em quase em um terço, enquanto que os participantes tornaram-se 28,5 por cento menos incomodados pelos números de imigração.

E esse pequeno vislumbre é apenas a ponta do iceberg da moderna tecnologia do controle da mente.

Um dos engenheiros sociais que dirigem este estudo é o Dr. Keise Izuma da Universidade de Iorque, um professor do Departamento de Psicologia. Sua bio no site da faculdade diz: "Meus interesses de pesquisa estão na área da neurociência cognitiva social e incluem fazer decisões sociais, comportamento pró-social, influência social, mudança de atitude e consistência cognitiva (por exemplo, a teoria da dissonância cognitiva, teoria do equilíbrio)."

Reflita isto por um momento... "neurociência cognitiva social" para incluir "comportamento pró-social". O bom médico foi co-autor de um artigo de 2013 intitulado "Manipulação social sobre a preferência no cérebro humano." Agora ele está usando a estimulação cerebral para mudar as crenças das pessoas em Deus ou sobre a perturbadora crise imigrante de tantas pessoas na Europa ... muito pró-Governo da parte dele.

O estudo foi feito em colaboração com o Dr. Colin Holbrook da UCLA, cujos interesses incluem "Detecção de Ameaça, Moralidade, Agressão, Preconceito grupal, Psicologia evolutiva e Neurociência social." o Dr. Holbrook, aliás, acaba de receber uma doação de $360.000 do Laboratório de Pesquisa da Força Aérea dos EUA para o trabalho em "Grupo de influência e atribuição de propriedades mentais aos Aliados, Antagonistas e Automatos." Ótimo.

Compare a experiência deles em um vídeo de quatro anos atrás que mostra o repórter da BBC Michael Mosley tendo partes de seu cérebro literalmente desligadas com a mesma tecnologia. Ouça a extensa lista de coisas que os cientistas podem alterar ou inibir usando eletroímãs.
Com esta tecnologia, o córtex visual de uma pessoa pode ser desligado para que ele não possa ver. A interferência pode ser ainda mais específica, nos tornando incapazes de distinguir rostos. Eles podem impedir alguém de realizar ações básicas, como mover membros ou dedos. Eles podem nos impedir de ser capazes de calcular números, de poder contar, ou até mesmo ser capaz de falar.

"Você pensa em algo que você pode fazer e nós basicamente interferimos sobre isso com esta máquina", diz o cientista no vídeo acima com um sorriso.

Então, por extensão, não é de estranhar certos comportamentos de neurocientistas pró-sociais com doações militares estarem alegando que eles também podem usar essa tecnologia para influenciar ou controlar pensamentos ou sentimentos de uma pessoa sobre algo como, digamos, Deus. Ou fazê-los se sentirem melhores sobre uma crise fabricada de imigrantes. Ou vacinas. Ou baseball. Ou qualquer coisa parecida.

E algumas pessoas ainda pensam que o MKUltra parou nos anos 70.

Certamente esta tecnologia viria a calhar, eu não sei, dar impulso à economia ou influenciar as crenças políticas ou pacificar as massas. Por que não.

Bem, por um lado, estes exemplos particulares exigem que uma máquina seja colocada contra o crânio.

A verdadeira questão é, eles têm a tecnologia que lhes permite fazer isso sem colocar fisicamente uma máquina diretamente contra sua cabeça?

Você só assistiu a um vídeo na qual a estimulação cerebral foi usada para desativar a capacidade do homem falar segundo sua vontade como um interruptor de luz.

Há alguns anos atrás, subitamente, houve uma onda de jornalistas com um problema semelhante. Eles estavam bem no meio de uma transmissão, quando, de repente, eles tornaram-se incapazes de falar. Todas as palavras que saíram de suas bocas degradaram-se dentro de segundos em tolices completas.

Assista a esta compilação, postado em 2012.


Mais tarde fomos informados que todas essas pessoas estavam alegadamente sofrendo de uma enxaqueca complexa, cujos sintomas imitam um acidente vascular cerebral.

Embora isso possa ser verdade, há quanto tempo tem repórteres de TV no ar? Desde 1952? E quantas vezes, em todas essas décadas, você já testemunhou este problema de fala estranha em não apenas um repórter, mas cinco? De repente, há um surto disto ocorrendo várias vezes ao vivo no ar no mesmo curto período de tempo?

Em 2010, o mesmo ano que Mosley teve partes do seu cérebro desligado em um especial da BBC, o Departamento de Defesa divulgou um boletim de notícias, intitulado "Controle Remoto da Atividade Cerebral Usando Ultra-som", que detalha a nova pesquisa feita pelo Dr. William J. Tyler, professor assistente na School of Life Sciences da universidade do estado do Arizona, o qual foi financiado por uma doação da Agência de Projetos de Pesquisa Avançada de Defesa (DARPA).

O conceito é muito semelhante ao EMT, apenas feito remotamente.

Aqui estão alguns trechos:

Os elétrodos utilizados na Estimulação Cerebral Profunda (ECP) no tratamento de distúrbios do movimento tais como o mal de Parkinson requerem neurocirurgia, a fim de implantar elétrodos e baterias em pacientes. A estimulação magnética transcraniana (EMT) utilizada para tratar a depressão resistente a drogas e outros transtornos não necessitam de cirurgia, mas tem uma baixa resolução espacial de aproximadamente um centímetro e não pode estimular circuitos cerebrais profundos, onde muitos circuitos doentes residem.

Para superar as limitações acima, meu laboratório projetou uma nova tecnologia que implementa o ultra-som pulsado transcraniano para estimular remotamente e diretamente os circuitos cerebrais sem a necessidade de cirurgia. Além disso, mostramos que esta abordagem neuromodulação ultrasônica confere uma resolução espacial de aproximadamente cinco vezes maior do que a EMT e pode exercer seus efeitos sobre os circuitos subcorticais cerebrais no interior do cérebro.

Em 2010, eles admitiram que isso poderia ser feito remotamente.

O próximo passo seria supostamente usar transdutores matrizes graduais para influenciar os padrões de circuitos do cérebro e atividade das ondas cerebrais, além de transdutores ultrassônicos capacitivos micro-usinado (CMUTs) para estimular o cérebro.

A tecnologia está quase sempre apresentada ao público sob a luz mais benevolente possível. Estamos sempre assegurados de que ele está sendo criado sob o pretexto de, digamos, ajudar pessoas que têm o mal de Parkinson ou para os soldados que sofreram lesões cerebrais traumáticas no campo de batalha, mas vamos apenas cortar essa besteira e ser honesto com nós mesmos.

Estes exemplos não são as únicas pessoas na quais essas tecnologias podem ser utilizadas, e basta olhar para quem está financiando a maior parte dela: o complexo militar-industrial.

Agora eles estão brincando de alterar crenças e emoções das pessoas sobre coisas como religião e política.

Esta não é, de longe, a única tecnologia que pode alterar as ondas e funções cerebrais de uma pessoa. Estes exemplos são gotas em um barril.

Considere a engenharia social, no mundo cada vez mais politicamente correto no qual nos encontramos hoje. Estamos de pé no precipício tecno-feudalístico onde a big data reunirá o pré-crime ao estilo Minority Report. Crimes pensados já estão sendo punidos. Enquanto toda a tecnologia por si só é inerentemente neutra, quem desenvolve e maneja aquela tecnologia e suas verdadeiras motivações são o que deve ser plenamente consideradas aqui.

Será que estamos determinados a viver o clássico cult de John Carpenter de 1988 Eles Vivem? De muitas maneiras parece que já estamos lá. A questão não é que eles podem fazê-lo, eles farão.

Os governos têm uma extensa e bem documentada história de pesquisar a mente e o controle de comportamento sobre os indivíduos e as massas. Em dezembro de 1965, conforme a iniciativa ultra secreta de controle da mente da CIA, o MKUltra, estava em andamento, o The New York Times publicou um artigo "Controle da Mente a Caminho, Adverte Cientista" detalhando um arrepiante trecho de uma reunião anual da Academia Americana de Ciências realizada em Berkeley, Califórnia.

Vamos deixá-lo aqui com mais uma citação.

"Este grandioso empreendimento, esta audaz nova ciência da mente, já fez alguns grandes avanços, e está à beira de algumas realizações mais significativas", disse Dr. Krech [professor de psicologia na Universidade da Califórnia]. "Talvez até mesmo em alguns dos estudos de hoje esteja o começo de avanços genuínos para a compreensão da mente. Se não hoje, então amanhã - ou no dia posterior, ou no ano seguinte. Não preciso soletrar para você que tal compreensão da mente pode significar em termos de controle da mente."

"Eu não acho que estou sendo melodramático," disse o Dr. Krech: "Ao sugerir o que nossa pesquisa pode descobrir pode levar com ela até mesmo implicações mais graves do que o terrível, em ambos os sentidos da palavra, realizações de físicos atômicos. Não vamos viver na posição deles de sermos surpreendidos tolamente, perplexos ingenuamente, e comover cheio de culpa publicamente com o que eles causaram."
Fontes:
- Activist Post: Scientists Use Brain Stimulation To “Make You Stop Believing In God”
- Express: Scientists claim they can change your belief on immigrants and God – with MAGNETS
- Activist Post: 10 Modern Methods Of Mind Control
- University of York: Keise Izuma
- Colin Holbrook, PhD: Research Scientist (PDF)
- Science: Remote control of brain activity using ultrasound
- Brain Stimulator: Doctor Approved Announcement
- Mccoyote: MKULTRA

Via: anovaordemmundial.com

Nenhum comentário