CRISE: DÓLAR CHEGA A R$ 4,05 E ATINGE A MAIOR COTAÇÃO NA HISTÓRIA DO REAL - Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar

Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar

Últimas

CRISE: DÓLAR CHEGA A R$ 4,05 E ATINGE A MAIOR COTAÇÃO NA HISTÓRIA DO REAL


Cerca de 6 meses atrás eu disse que o dólar chegaria e passaria a casa de R$4,00...
Palavra cumprida...

E o Brasil segue rumo ao fundo do poço...
pois é... tudo o que se semeia, se colhe.

Deus está permitindo estas coisas para disciplinar este país através do seu juízo, por causa da abundante iniquidade deste povo...
Qual a solução para o Brasil?
Só Jesus!E para isso é necessário abandono e arrependimento de pecados, como roubos, corrupção, prostituição, idolatria, e então, uma conversão genuína à Cristo.
---

O dólar comercial iniciou o dia rompendo o teto de R$ 4 e cravando o maior patamar intradia desde a adoção do câmbio flutuante, em 1999. A moeda atingiu a máxima de R$ 4,0666, mas agora reduz um pouco o ritmo de valorização. Às 16h16, a divisa era negociada a R$ 4,0416, alta de 1,56%.

O que está por trás do movimento de hoje é ainda a preocupação com o rumo do ajuste fiscal. E o noticiário é considerado negativo. O adiamento do envio da proposta da CPMF ao Congresso e sinais de distanciamento entre o Executivo e o PMDB são citados como pontos que acrescentam tensão. Também há expectativa pela votação da pauta bomba: hoje o Congresso pode votar 32 vetos presidenciais que, se derrubados, afetam a situação fiscal. Estudos do governo mostram que a eventual derrubada dos vetos presidenciais pelos parlamentares implicaria um rombo estimado em R$ 127,8 bilhões em quatro anos.

Também vale lembrar que, hoje o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, recebe representantes da agência de classificação de risco Fitch. Nos últimos dois pregões, rumores de que a agência rebaixaria o rating do Brasil - talvez até em dois degraus - têm servido de argumento para a disparada do dólar e dos juros futuros.

O fato de o dólar alcançar a marca de R$ 4 tem importância também do ponto de vista técnico. Esse nível aciona ordens de stop-loss (ordens de interrupção de perdas) e zeragem de posição, o que acaba potencializando a alta da cotação.

Além das questões domésticas, o câmbio sofre pressão do ambiente externo nesta manhã, onde as moedas de outras países emergentes também operam em queda firme em relação ao dólar. A preocupação com o quadro econômico global e as incertezas sobre qual deve ser o rumo da política monetária americana no curto prazo geram uma onda de desvalorização tanto de commodities como de moedas de países que produzem e exportam essas matérias-primas.

Por volta das 13h20, o dólar subia 1,71% em relação ao rand sul-africano, avançava 1,27% ante o peso mexicano, ganhava 0,52% da lira turca e tinha ganho de 0,21% ante a rupia indiana. Na comparação ao dólar canadense, o dólar tinha valorização de 0,2%, enquanto o dólar australiano cedia 0,87% na comparação à divisa americana.

(Lucinda Pinto | Valor)

Nenhum comentário