Últimas

CASAL GAY DA HILLSONG DIZ TER SIDO SEMPRE “ABERTO E FRANCO” SOBRE SEU RELACIONAMENTO


Eles são dois atores e cantores que se tornaram estrelas jovens, no mundo dos musicais da Broadway. Bastante conhecidos por serem namorados, Josh Canfield e Reed Kelly, ficaram no centro de uma controvérsia mundial nas últimas semanas.

Depois te se tornarem celebridades, tendo participado do reality show Survivor, ambos fizeram recentemente papeis de destaque em musicais na Broadway. Canfield como Libério na montagem de “Dr. Jivago” e Kelly com a personagem principal de “Spiderman” [Homem-Aranha].

Ao mesmo tempo, eles prestaram anos de serviço na igreja Hillsong de Nova York. Afirmando serem cristãos comprometidos, sentiram-se atacados em sua moral e sua fé após a repercussão de umaentrevista à revista Playbill, especializada nas produções artísticas de Nova York.

Canfield e Reed ficaram noivos e comentaram com a revista que eram membros da igreja, inclusive participando do louvor e dirigindo o coral. Seus nomes já haviam aparecido em uma reportagem sobre gays na igreja feita pelo jornal The New York Times no final de 2014. Na ocasião, Brian Houston, o pastor-sênior da igreja que tem sede na Austrália, disse que a Hillsong não tinha mudado sua postura em relação ao casamento tradicional. Contudo, Houston não desmentiu a informação que havia gays no grupo de louvor.

Em julho deste ano, a história dos dois atores ganhou destaque na mídia cristã após um blog “denunciar” a postura da Hillsong sobre gays. A notícia teve uma repercussão rápida e avassaladora, pois para muitos leitores era difícil desassociar o fato de que gays cantavam no louvor na igreja em Nova York com a visão que se tinha do famoso grupo de louvor da igreja na Austrália.

Esse tipo de reação é comum toda vez que algum mal feito de um pastor de uma igreja local acaba refletindo em toda uma denominação.

Devido as centenas de sites e blogs cristãos terem publicado a matéria, o pastor Brian Houston se viu obrigado a “corrigir” os relatos, publicando no site oficial da igreja uma nota onde nega que a Hillsong apoie o estilo de vida LGBT e outro texto onde confirma que gays podem ser membros da igreja, mas não podem ocupar posições de liderança.

Uma série de sites importantes na mídia americana chegaram a pedir desculpa por terem divulgado a informação e consideraram a resposta de Houston satisfatória. Outros sites criticaram a postura “morna” da Hillsong, que não deseja afastar os homossexuais da igreja, recusando-se a chamar de “pecado” o que a Bíblia claramente classifica assim.

Quando a controvérsia parecia ter acabado, Canfield e Kelly decidiram dar a sua versão do caso. Umlongo texto publicado no Twitter e no Facebook, reafirmaram terem dirigido o coro e participado do grupo de louvor da igreja em Nova York.

Ao mesmo tempo que lamentaram a repercussão, comprometeram-se a continuar na Hillsong e como representantes dos “cristãos gays”, continuar o diálogo com a liderança da denominação sobre a comunidade LGBT.

No longo texto endereçado aos seus amigos, Canfield e Kelly disseram: “Temos sido abertos e francos sobre o nosso relacionamento desde o início”.

Embora classifiquem todo o episódio “frustrante e um pouco agressivo”, pois a revelação acabou “interferindo tão facilmente com o diálogo saudável e estável que temos mantido” com a Hillsong. Ao mesmo tempo, estão felizes por serem “liderados por pastores que se empenham, cheios da graça, em continuar a tentar discernir a vontade de Deus sobre este assunto”.

Confirmaram ainda que Josh trabalhou com a Hillsong por oito anos, como: “diretor do coro, diretor vocal, e parte da equipe de adoração”, enquanto Reed também cantou no coro. Com informações deChristian Today

Confira o desabafo (aqui na íntegra em inglês):

Aos nossos amigos …

Estamos escrevendo este post em resposta a tantos de vocês que gentilmente nos deram uma força. Vocês têm se perguntando por que temos recebido tantos comentários odiosos em todas as nossas redes sociais na semana passada, pois alguns de vocês foram inclusive marcados.

O drama que se desenrola atualmente é pelo fato de estarmos fortemente envolvidos em nossa igreja, a Hillsong NYC. Josh trabalhou com a Hillsong por oito anos, de diversas formas: diretor do coro, diretor vocal, e parte da equipe de adoração. Eu estava lá desde o início do nosso relacionamento, mais de três anos atrás. Eventualmente, comecei a cantar no coro e abri meu apartamento como local de encontro para um grupo de conexão dos membros da Hillsong que trabalham na Broadway e nas comunidades teatrais.

Temos sido abertos e francos sobre o nosso relacionamento desde o início. Devido à nossa abertura e grande exposição ao público por causa do programa “Survivor”, da rede CBS, temos tido uma ampla conversa com os pastores da Hillsong NYC sobre a postura da igreja de não afirmar o estilo de vida LGBT. A Hillsong tem muitas igrejas em todo o mundo, muitas em lugares onde o casamento gay é legal agora. Então isso tem sido um diálogo permanente buscando descobrir como e onde nós, como parte da comunidade LGBT, nos encaixamos. Como família da igreja, estamos navegando nestas águas desconhecidas de mudanças na cultura e na sociedade.

Alguns dias atrás, um blogueiro que não quis se identificar e que escreve sobre os últimos dias, decidiu atacar a nós e a nossa igreja (por permitir que sirvamos lá), nos acusando de ” abraçar o pecado sem arrependimento”, pelo fato de sermos homossexuais. Infelizmente, e não há surpresa nisso, a maioria das fontes de notícias ultraconservadoras reproduziu amplamente isso – dando voz a este homem uma divulgação para todo o mundo, e isso nunca deveria ter ocorrido. Sem mencionar que isso atingiu diversas comunidades cristãs ao redor do mundo, pois muitos olham para a nossa igreja como um modelo de cristianismo moderno a ser imitado. (Nós nunca fomos ofendidos em tantas línguas estrangeiras antes … e olha que moramos em Nova York!)

Isso tudo forçou nossa igreja a reafirmar globalmente a sua posição como uma instituição que não apoia o estilo de vida LGBT e não mais permitir que gays ocupem posição de liderança dentro da igreja. Tem sido frustrante e um pouco agressivo até, ver que uma pessoa louca pode interferir tão facilmente com o diálogo saudável e estável que temos mantido, mas neste mundo novo de mídia social e exposição instantânea, não foi uma surpresa. Felizmente, somos liderados por pastores que se empenham, cheios da graça, em continuar a tentar discernir a vontade de Deus sobre este assunto.

Tendo dito tudo isso, muitos de vocês perguntam: “Por que vocês estão em um lugar que não os aceita totalmente?” Isso nos faz tomar uma decisão difícil. Se nós, como gays, decidirmos pegar nossas coisas e sair de cada igreja onde não nos sentimos muito bem-vindos ou onde sentimos que há uma resistência espiritual, como haverá crescimento? O outro lado da moeda é: “Por que nós, como parte da comunidade gay, que temos vivido como rejeitados durante toda a nossa vida, nos sujeitamos voluntariamente a sermos mais marginalizados? Isso tem exigido muito de nós pessoalmente.

Muitos tentam desacreditar tanto os eruditos da Bíblia quanto os leigos que mudaram sua postura de não apoiar os LGBT, passando a defendê-los, afirmando que “a única razão pela qual eles mudaram de ideia é porque conheceram algum gay”. Isso só confirma para nós que as relações pessoais são transformadoras. Não é algo difícil de aceitar depois que alguém olha para isso através das lentes da relação pessoal, que é um princípio fundamental da fé cristã.

Depois de, mesmo não querendo, termos nos tornado representantes públicos do cristianismo gay, sentimos que fomos chamados e temos a responsabilidade de continuar a afirmar a nossa verdade – especialmente junto à família da igreja que chamamos de lar, a Hillsong NYC – estamos buscando o Senhor, somos cristãos, somos gay, e esta é a nossa jornada.

Agradecemos sua preocupação, suas orações e seu apoio.

Grandes sorrisos e 110% …

Reed e Josh

Via: http://noticias.gospelprime.com.br/casal-gay-hillsong-sempre-aberto-franco/
Por Jarbas Aragão

Nenhum comentário