Últimas

UMA GRANDE CONSPIRAÇÃO: A CRIAÇÃO DA TIRANIA TECNOCRÁTICA

Comp 3_00000

O ex-assessor da Segurança Nacional do presidente Jimmy Carter e atual assessor de Barack Obama, o elitista e globalista Zbigniew Brzezinski, clama há mais de meio século pelo estabelecimento de uma elite tecnocrática que crie uma rede de controle em massa.

Isso faz 45 anos e ainda causa calafrios ver como seus planos estão se cumprindo ao pé da letra e atualmente de forma sigilosa.

Em seu livro intitulado "Between Two Ages: America’s Role in the Technetronic Era” (Entre duas eras: o papel dos EUA na era tecnocrática), publicado originalmente em 1970, expôs como deveria ser um futuro governado pelas elites tecnocráticas através de uma ditadura científica.


Zbigniew Brzezinski


"Outra ameça, menos evidente mas não menos fundamental, é a qual a democracia liberal enfrenta. Mais diretamente relacionada com o impacto da tecnologia, se trata do aparecimento gradual de uma sociedade mais controlada e dirigida. Tal sociedade seria dominada por uma elite cuja pretensão de poder político, se basearia em seus supostos conhecimentos científicos superiores.

Sem obstáculos devidos às restrições dos valores liberais tradicionais, esta elite não hesitaria em alcançar suas finalidades políticas mediante o uso das mais modernas técnicas para influenciar o comportamento do público e manter a sociedade sob uma estreita vigilância e controle.

Em tais circunstâncias, o impulso científico e tecnológico do país não seria revertido, mas na verdade, alimentaria a mesma situação que explora".

Como vemos, o texto não fala de "técnicas modernas para influenciar o comportamento o público".

Nos fala sobre "manter a sociedade sob uma estreita vigilância e controle".

Foi escrito em 1970, mas o que previa, encaixa-se cada vez mais com o mundo atual.

Provavelmente, se alguém tivesse advertido na década de 1970 do que estaria por vir no futuro, o teriam classificado como "conspiratório"... bem, é o que temos agora.


Catherine Austin Fitts


Lembre-se do vazamento que fez na época Catherine Austin Fitts, ex-subsecretária da habitação e do comissário do Departamento Federal da Habitação durante o governo de George Bush pai.

Fitts revelou uma conversa arrepiante que ouviu por volta de 1984, enquanto trabalhava em Wall Street, onde os executivos discutiam sobre como a tecnologia de sincronização de ondas cerebrais estava prestes a ser implantada através de ondas de televisão.



Fitts disse que se assustou tanto ao ouvir esta conversa que não estava estava autorizada a ouvir, que jogou fora sua TV para sempre. Além disso, adverte que a televisão não é o único dispositivo que utiliza estas técnicas e que agora, provavelmente eles dispõem de técnicas muito mais avançadas para persuadir os consumidores, sufocar a rebeldia e a oposição e fomentar o status quo através de celulares, internet, rádios, etc...



Atualmente, é difícil saber que tipo de técnicas de lavagem cerebral a população está usando.

Sabemos que foram experimentadas armas de frequência extremamente baixa durante a aplicação da Operação MK Ultra da CIA e podemos assegurar que atualmente, este tipo de tecnologia evoluiu para limites difíceis de imaginar.

O filme de John Carpenter, They Live (Eles Vivem), é uma metáfora exata do mundo que provavelmente estamos vivendo.



Os EUA está na vanguarda de todas estas tecnologias de controle mental e de vigilância massiva da população.

E o que é pior, quando aparece uma nova tecnologia que poderia realmente beneficiar toda a humanidade e, possivelmente, criar estruturas sociais muito mais livres, tais tecnologias é sufocada e ocultada do público sob o pretexto de defender a "segurança nacional".

Os exemplos abundam nos EUA e poderíamos falar de um dos maiores gênios da história, Nikola Tesla e sua ideia de abastecimento de energia elétrica barata para todo o mundo, o qual morreu na mais absoluta miséria e todos seus documentos foram confiscados pelo governo dos EUA.


Nikola Tesla


Poderíamos falar das curas pela frequência de Wilhelm Reich, brutalmente perseguido pelo nazismo e pelo governo dos EUA, o qual o prendeu e chegou a queimar seus livros.


Wilhelm Reich


Ou também poderíamos falar de Royal Raymond Rife, um inventor que desenvolveu revolucionários tratamentos contra o câncer e que foi condenado e difamado em vida (especialmente pelos cientistas do Instituto Rockefeller).


Royal Raymond Rife


Poucas pessoas ouviram falar da Lei do Sigilo da Invenção (Invention Secrecy Act) os EUA.

O governo dos EUA classificou milhares de patentes desta forma e ameaçou os inventores os quais nem são deixados falar sobre suas invenções, sob o risco de serem encarcerados em prisão federal por décadas.

Tampouco ninguém ouviu falar nos EUA do Sistema de Alerta de Aplicação Sensível (SAWS), o qual basicamente permite atrasar o processo de aprovação de uma patente o tempo que o governo acreditar ser necessário.

Um grande exemplo (de muitos) de solicitação de patentes atrasadas, é fornecido pelo caso do Dr. Gerald F. Ross que apresentou uma solicitação de patente para um novo invento que havia idealizado e que permitia acabar com a interferência das transmissões eletromagnéticas de frequências específicas. Ross apresentou a patente em 1977, mas somente em 17 de junho de 2014 foi-lhe concedida a patente.




Há milhares de invenções que poderiam melhorar o mundo e que têm sido paralisadas legalmente, sobretudo nos EUA.

Steven Aftergood, da Federação de Cientistas Americanos, realizou uma solicitação sob a lei de Liberdade de Informação, para recuperar a lista de patentes de tecnologia que estavam sendo invalidadas e silenciadas.

No entanto, "a lista de 1971 indicava que as patentes para os geradores solares fotovoltaicos foram sujeitas a revisão e possível restrição, se os sistemas fotovoltaicos oferecessem mais de 20% de eficiência. Os sistemas de conversão de energia estavam igualmente sujeitos a revisão e possível restrição se oferecessem eficácias de conversão de mais de 70% ou 80%."

Dito de outra forma: o governo dos EUA paralisou a patente de qualquer gerador solar ou sistema de conversão de energia que fosse realmente eficiente, sob o pretexto de segurança nacional.

Assim funciona o mundo real.

O governo dos EUA (algo que podemos estender ao resto dos governos ao serviço das elites econômicas), guarda para si o uso de qualquer invenção científica e silencia qualquer invenção que coloque em perigo o status quo, usando-a quando pode para criar armamentos e negando qualquer avanço que implique um benefício para a humanidade.

Como temos visto, os primeiros painéis solares realmente eficientes já foram inventados em 1971... mas estamos na segunda década do século XXI e apenas os estamos usando para gerar energia.

Ainda há pessoas que "não acreditam em conspirações", quando todo o mundo em que vivemos, é uma imensa conspiração.




Como Brzezinski escreveu em seu livro:

"A persistência de uma crise social, o surgimento de uma personalidade carismática e a exploração dos meios de comunicação para obter a confiança do público seriam os passos para a transformação gradual dos EUA em uma sociedade altamente controlada.

As diferentes formas, tanto o doutrinário como o conservador poderiam achar as tentações inerentes às novas técnicas de controle social muito difíceis de resistir. A inclinação da esquerda doutrinária legitima os meios que poderiam levar a justificar um maior controle social sobre a base que o progresso serve. Por sua vez, os conservadores, preocupados com a ordem pública e fascinados pelos aparatos modernos, poderiam se ver tentados a utilizar as novas técnicas, como respostas à distúrbios, já que reconhecem facilmente que o controle social não é única maneira de lidar com as rápidas mudanças sociais".

Ou seja, Brzezinski já previa que tanto a esquerda como a direita, encontrariam pretextos necessários para controlar a população norte-americana (e global); uns sob a desculpa do progresso social e outros sob a desculpa de impor a ordem.




E isto é algo que podemos ver no mundo todo.

Não importa se são os (supostos) comunistas chineses ou os (supostos) democratas capitalistas norte-americanos; não importa se é a direita ou os sócio-democratas: todos aplicam os métodos de controle massivo sobre a população, o monitoramento constante dos cidadãos e as mesmas técnicas de lavagem cerebral massiva, sobre as bases para uma futura ditadura tecnotrônica e científica, na qual as elites tecnocráticas determinarão todos os aspectos da vida dos cidadãos obedientes.




Somos escravos e nossas redes não são como acreditamos: possuem formas de televisores, de smartphones e de tablets e o olho do Big Brother, não é mais que uma tela conectada à internet ou algumas das milhares de câmeras de vigilância que inundam nossas ruas.

Os planos para alcançar esta sociedade controlada e adormecida, foram escritos por um globalista no ano de 1970.

Mas ainda há idiotas "que não acreditam em conspirações"...

Fontes:
- Periodismo Alternativo: Una larga conspiración: La creación de la tiranía tecnocrática
- El Robot Pescador: Una larga conspiración: La creación de la tiranía tecnocrática
- Activist Post: Technocratic Elite Domination via Mind Control and Mass Surveillance: Brzezinski Called It 45 Years Ago

Via: http://www.anovaordemmundial.com/

Nenhum comentário