Últimas

INSTITUTO DO TEMPLO SE ENCONTRA COM LÍDERES MUÇULMANOS NA TURQUIA PARA FALAR SOBRE O “MESSIAS” E O MONTE DO TEMPLO. ANÚNCIO IMPORTANTE SERÁ FEITO

Estou publicando esta notícia, pois o Instituto do Templo irá fazer no próximo dia 12 um "anúncio importante", como foi avisado em sua própria página no Facebook, veja aqui. Será que está se abrindo o caminho para a construção do Terceiro Templo ao lado da Mesquita no Domo da Rocha em Jerusalém? Este templo será onde o anticristo (o falso messias judeu, ou o "mahdi" muçulmano) irá se assentar para ser adorado.

O Rabino Yehudah encontrou-se recentemente com o intelectual Islâmico Adnan Oktar, isso é um fato incrível e pode representar um grande evento profético que se descortina, pois há quase um ano traduzi uma entrevista de Adnan Oktar onde ele enfatiza que apoia a reconstrução do Templo ao lado da Mesquita de Omar e ele, como líder Islâmico na Turquia, buscava influenciar outros líderes islâmicos para apoiarem a construção do Templo. Esse encontro entre ambos é significativo e um grande indicativo.



Aqui está o vídeo que traduzi no meu canal onde Adnan fala da construção do Templo, recomendo que assista. Logo no primeiro minuto da entrevista Adnan já comenta sobre isso: https://www.youtube.com/watch?v=SZWjNYhBZOw

Aqui o artigo que fala do encontro do Rabino ativista do Monte Templo e Adnan Oktar e outros líderes: http://www.breakingisraelnews.com/44498/temple-mount-activist-yehuda-glick-travels-turkey-ramadan-peace-middle-east/#8MHgFr1TvQhDGjjK.97

No artigo, tradução abaixo, veja o que Adnan fala para o Rabino: “Sua missão ainda não acabou, sua missão continua, vamos ver o Mashiach (Messias), vamos ver o Templo de Salomão, vamos todos juntos orar lá, se Deus quiser”.

Segue a tradução do artigo:
————————–————————–——-————————–———–
O ativista do Monte do Templo e chefe do Templo do Monte Heritage Foundation, rabino Yehuda Glick, está atualmente (02/07) em Istambul, Turquia, em um encontro com líderes religiosos muçulmanos e juntando-se como um convidado de honra na celebração do feriado do mês do Ramadã.

Várias personalidades religiosas e muftis tinham estendido a mão para Glick, convidando-o para visitar mesquitas turcas e participar de condenações públicas conjuntas do terror e da violência em nome do Islã.

Glick é um israelense de origem americana é dedicado a vida em aumentar o acesso ao Monte do Templo em Jerusalém, o local mais sagrado do judaísmo. Uma figura controversa, ele sobreviveu a uma tentativa de assassinato em outubro, quando um terrorista palestino atirou quatro vezes no seu peito à queima-roupa.

Discutindo a sua decisão de viajar para a Turquia, a qual nos últimos anos não tem sido amigável para com Israel, Glick explicou em uma declaração exclusiva à Israel News, “nos últimos anos tenho estado envolvido na promoção do diálogo entre os crentes em Um e Único Deus. Quando faço uma chamada para a liberdade de culto, dos direitos humanos, o respeito a todas as outras pessoas, eu quero dizer isso. Esta missão está profundamente ligada à visão de nossos profetas que tornaram o Monte do Templo em uma casa de oração para todas as nações”.

Glick condenou a justificativa religiosa usadas por terroristas para realizarem seus atos de violência. “Há muitos líderes religiosos amigáveis que compartilham essa crença de que não só é qualquer uso da violência que não se justifica, mas quando é feito em nome de Deus, é uma desgraça total de Seu Nome”, afirmou Glick.

Refletindo sobre a tentativa de assassinato de sua vida, Glick disse ao Israel News, “logo depois que eu fui ferido, muitos desses líderes vieram condenar publicamente este atentado muito ferozmente, e eles tinham me convidado para expressar essas palavras para mim pessoalmente. Agora, oito meses após a tentativa de assassinato contra a minha vida, eu sinto que, embora eu não estou completamente de volta, a minha saúde atual me permite responder positivamente a esses convites”.

Considerando as atuais tensões políticas e religiosas em Israel, Glick explicou que ele sentiu que esta viagem poderia promover o diálogo e a paz. “Desta vez, eu senti que eu não podia dizer não. Embora nestes dias os muçulmanos estão desonrando o nome de Deus e realizando ataques terroristas ao redor de Israel, fui convidado pelos líderes muçulmanos para comemorar como um convidado de honra durante o mês do Ramadã. Eu fui convidado para vir para suas mesquitas e ouvi-los pregar publicamente para condenar qualquer tipo de terror e violência.

“Esta semana eu estarei reunido com diversos muftis que compartilham essas crenças. Espero que eu esteja fazendo a minha pequena parte na promoção da paz no mundo, em nome de Deus, cujo nome é Shalom (paz), e em nome da cidade de Shalom – Jerusalém”.

Quinta à noite, Glick é esperado para se juntar a representantes de diferentes religiões em uma grande cerimônia celebrando a refeição fast-break tradicional de iftar, que é comido cada noite na conclusão do diário de jejum do Ramadã.

“Encontrei-me com um grande Mufti de Istambul – Ideen Hyman, da Mesquita Dulmabache. Eu também me reuni com o governador de Istambul”, disse Glick.

Em uma entrevista com Adnan Oktar, um proeminente autor e anfitrião de televisão no canal A9 por satélite que falou no passado sobre a fraternidade entre judeus e muçulmanos, Oktar expressou sua admiração de Glick e reafirmou sua condenação da violência.

“A tentativa de assassinato foi terrível”, disse Oktar. “Foi o terrorismo. Denunciamos de forma muito poderosa. Nenhum muçulmano normal pode pensar isso ou fazer isso”.

Agradecendo Oktar por falar em nome de Deus contra a violência, Glick encorajou outros a defenderem a verdade contra o Islã radical.

“Quando alguém faz [a violência] em nome de Deus, e nós sabemos que Deus é a vida eterna, que Ele não pode ser usado para matar, Ele é para a vida, então é isso que é tão doloroso, e é isso que nós, pessoas que são fiéis em Deus, devemos falar contra”, afirmou.

“Eu acho que o Sr. Oktar está a fazer isso todos os dias, chamando as pessoas e dizendo que Deus não é o Deus do mal, Deus é um Deus de misericórdia, isso é tão importante, porque temos de preparar a humanidade para estes dias especiais”.

Falando sobre o verdadeiro custo do terror islâmico, Glick acrescentou: “O dano destas pessoas que estão fazendo [a violência] em nome do Islã não é um prejuízo para nós, é principalmente um dano ao Islã. Nós sabemos que o Alcorão fala sobre o povo judeu como o Povo do Livro, da Terra Santa, e essas pessoas que estão falando em nome do Islã, eles estão causando danos acima de tudo para o nome do Islã”.

Oktar concordou, dizendo: “Você está certo, eles atacam Islã e o Corão, desta forma, fazendo algo parecido com isto. Vamos ver muito belos dias, se Deus quiser. Veremos que os filhos de Abraão irão se abraçar na Terra Santa, e vamos ver o Mashiach (Messias)”.

“Nós consideramos você como um herói”, acrescentou. “Sua missão ainda não acabou, sua missão continua, vamos ver o Mashiach (Messias), vamos ver o Templo de Salomão, vamos todos juntos orar lá, se Deus quiser”.

Fonte: Dionei Vieira – Fotos da Linha do Tempo
http://dcvcorp.com.br/?p=1670

Nenhum comentário