Últimas

ESTUDO REVELA QUE CELULARES ALTERAM A FUNÇÃO CEREBRAL

14402cellphone_inner

Um recente estudo clínico revela que os celulares podem alterar a estrutura e a função do cérebro, incluindo a atividade das ondas cerebrais que estão intimamente conectadas aos processos de cognição, estado de ânimo e conduta das pessoas.O estudo clínico, publicado pelo PLos One e intitulado “EEG Changes Due to Experimentally Induced 3G Mobile Phone Radiation” (Alterações no eletroencefalograma devido ao experimento induzido pela radiação 3G do telefone móvel), revelou que a chamada geração 3G de tecnologia móvel provoca uma alteração na atividade das ondas cerebrais, especialmente das ondas alfa, beta e gama.

A exposição ao telefone móvel em uso normal, (15 minutos diários de conversação com o celular na orelha), provoca mudanças electrofisiológicas que resultaram em alterações mensuráveis em quase toda a estrutura de funcionamento do cérebro. Uma vez que as ondas cerebrais codificam as regras para o comportamento, alterar a atividade das ondas cerebrais poderia ter efeitos consideráveis sobre o comportamento e a consciência das pessoas. A pior parte é que tais experimentos foram realizados com telefones 3G, mas atualmente, estão sendo utilizados dispositivos ainda mais potentes em suas emissões de radiação, como os da quarta geração (4G); alguns estudos já estão demonstrando que os telefones 4G podem alterar significativamente a atividade neural do cérebro com apenas 30 minutos de exposição.



Além disso, um estudo independente mostrou que 87% dos estudos sobre os efeitos da radiação eletromagnética dos celulares sobre as ondas cerebrais são financiados pela indústria e telefonia móvel, o que explicaria o porque da maioria da literatura sobre a exposição ao celular afirma não possuir nenhum tipo de efeito sobre nossa saúde. Inclusive alguns destes estudos financiados pelas empresas chegam a afirmar que a radiação eletromagnética é positiva para o cérebro.

Algo que não deve surpreender ninguém, se levarmos em conta que já em 2013 haviam 6.8 bilhões de inscrições telefônicas ao redor do mundo: não seria um grande negócio deixar escapar estas "más notícia"...

Nenhum comentário