Últimas

75% DAS CRIANÇAS QUE RECEBERAM VACINAS EM CIDADE DO MÉXICO MORRERAM OU ESTÃO HOSPITALIZADAS! SERIA UM TESTE DE DESPOVOAMENTO?


Apesar das tentativas insidiosas da mídia controlada pelas corporações dos EUA de censurar as histórias sobre os efeitos secundários mortais das vacinas, a verdade continua vindo à tona. A última tragédia ocasionada pela vacina matou dois bebês em La Pimienta, no México e enviou mais 37 para o hospital com reações graves aos aditivos tóxicos da vacina.


“…14 crianças estão em estado grave, 22 estão estáveis ​​e uma está em estado crítico“, disse a Secretaria de Saúde de Chiapas em um comunicado via Fox News Latino.


O que é especialmente alarmante é que apenas 52 crianças foram vacinadas ao todo, o que significa que 75% das que receberam as vacinas estão agora mortas ou hospitalizadas.


As vacinas foram administradas pelo Mexican Social Security Institute, conhecido como IMSS. O IMSS confirmou que as reações mortais ocorreram após as crianças receberem injeções de vacinas para a tuberculose, rotavírus e hepatite B – as mesmas cepas virais das vacinas administradas rotineiramente para crianças nos Estados Unidos e no Brasil.


IMSS suspende vacinação enquanto aguarda investigação complementar


Teste de Despovoamento? 75% das Crianças que Receberam Vacinas em Cidade Mexicana Morreram ou estão Hospitalizadas


De acordo com a Fox News Latino, o IMSS suspendeu as vacinas enquanto aguarda o resultado de uma investigação do por que tantas crianças foram mortas e hospitalizadas.


De acordo com toda a grande mídia dos Estados Unidos – a qual é 100% controlada por interesses corporativos – as vacinas não prejudicam ninguém e são perfeitamente seguras para injetar em crianças em quantidades ilimitadas. Esta perigoso e desumano “Negacionismo da Lesão por Vacina” é galopante em toda a mídia controlada pelas corporações, o que contribui para as mortes de bebês e crianças inocentes, recusando-se a reconhecer a verdade de que as vacinas matam e prejudicam as crianças regularmente.


Na verdade, muito recentemente o governo do Reino Unido concordou em pagar US$ 90 milhões para as vítimas da vacina contra a gripe suína. Essa vacina causou dano cerebral permanente em mais de 800 crianças em toda a Europa. A verdade é que as vacinas regularmente causam danos e até matam crianças inocentes, muito provavelmente por causa dos adjuvantes químicos tóxicos e conservantes que elas ainda contêm.


Como o CDC admite abertamente, as vacinas ainda são intencionalmente formuladas com mercúrio, alumínio, MSG (monossódio glutamato) e formaldeído. Algumas vacinas até mesmo usam ingredientes derivados de tecido humano de fetal abortado. No ano passado, um cientista do CDC fez uma denúncia sobre o CDC cometer fraude científica para cobrir as ligações entre vacinas e o autismo em jovens do sexo masculino afro-americanos.


FONTES:
http://www.naturalnews.com/037653_vaccine_additives_thimerosal_formaldehyde.html


http://www.naturalnews.com/038873_childhood_vaccines_aborted_babies_dna.html


http://forum.noticiasnaturais.com/Topico-denuncia-cdc-falsificou-dados-para-ofuscar-a-liga%C3%A7%C3%A3o-entre-as-vacinas-e-autismo


Simulação para o despovoamento via vacinas?


Como os globalistas agora percebem plenamente que as vacinas são, de longe, a melhor maneira de abater a população humana, porque a maioria das pessoas pode ser enganada em se enfileirar pedir por elas.


Como a indústria de vacinas já chegou a perceber, é muito mais fácil matar as pessoas quando elas voluntariamente consentem com as injeções. Consequentemente a mídia empurra a propaganda agressiva para alcançar a absoluta obediência cega às vacinas de modo que ninguém vai fazer perguntas quando os produtos químicos de esterilização ou eutanásia são usados​​. Isso é, sem dúvida, porque as vacinas foram testadas rotineiramente para programas de despovoamento através de dois métodos principais:


# 1) Realizar esterilizações secretas das populações visadas pela combinação de produtos químicos de esterilização através das vacinas. (A “morte lenta”.)


# 2) Matar diretamente os receptores da vacina inserindo intencionalmente nas vacinas produtos químicos de eutanásia que causam a morte. (A “morte rápida.”)


Método # 1 foi usado repetidamente em toda a África, México e América do Sul para infligir a esterilização sobre grupos-alvo através de programas de imunização e vacinação. No ano passado, na verdade, eu relatei sobre a descoberta de um programa vacinação secreto de despovoamento que está sendo executado no Quênia:


As vacinas contra o tétano dadas para milhões de mulheres jovens no Quênia foram confirmadas pelos laboratórios por conter uma substância química de esterilização que provoca abortos, relata o Kenya Catholic Doctors Association, uma organização pró-vacina.


Uma enorme quantidade de 2,3 milhões de jovens e mulheres estão no processo de receber a vacina, empurrada pela UNICEF e pela Organização Mundial de Saúde (OMS).


“Enviamos seis amostras de todo o Quênia para os laboratórios da África do Sul. Eles testaram positivo para o antígeno HCG,” disse o Dr. Muhame Ngare do Mercy Medical Centre, em Nairobi ao LifeSiteNews. “Todas eles estavam ligadas ao HCG.”


Método # 2 agora parece estar em curso no México, visto que 75% dessas crianças injetadas com vacinas estão agora mortas ou hospitalizadas.


FONTES:
https://www.lifesitenews.com/news/a-mass-sterilization-exercise-kenyan-doctors-find-anti-fertility-agent-in-u


Despovoamento induzido pela vacina foi tentado no México em 1974


Como Truth Stream Medi exaustivamente documentou, um exercício de despovoamento foi executado no México em 1974, usando as vacinas para ocultar a história.
O esquema foi idealizado após o lançamento do National Security Study Memorandum 200, o qual destacou o problema da população global e pressionou os governos a encontrar maneiras de reduzir a população global.


Como o site TruthStreamMedia.com explica:


A concentração sobre este “problema” de como reduzir a população foi planejado para 13 países-chave, incluindo a Índia, Bangladesh, Paquistão, Nigéria, México, Indonésia, Brasil, Filipinas, Tailândia, Egito, Turquia, Etiópia e Colômbia. Destes, o documento destacou o México como tendo uma das maiores taxas de crescimento (e, portanto, mais preocupante) de todos. O documento dizia: “Talvez a tendência mais significativa da população do ponto de vista dos Estados Unidos é a perspectiva de que a população do México vai aumentar de 50 milhões em 1970 para mais de 130 milhões até o ano de 2000.”


Para combater este problema, “médicos fantasmas” – que foram quase certamente financiados pelos EUA – custearam equipes de vacina para o despovoamento – começaram a injetar as mulheres em todo o México com drogas anti-fertilidade disfarçadas de vacinas. Se você duvida disso, leia a história dos EUA. O National Institutes of Health do governo dos EUA foi pego em flagrante executando experiências médicas em prisioneiros humanos na Guatemala. O presidente Obama foi mesmo forçado a pedir desculpas publicamente em 2011, após o acobertamento ter desmoronado! Não há nada que os nazistas fizeram na década de 1930 e 1940 que a indústria farmacêutica não estaria disposta a repetir hoje sob o rótulo da “ciência”.




Mas voltando para o México, conforme o programa de vacinação contra o despovoamento secreto se espalhou por toda a Cidade do México em 1974, os moradores começaram a compreender a fraude, e a resistência pública cresceu. Como esses recortes de jornais revelam, os pais começaram a esconder seus filhos em suas próprias casas para evitar que eles fossem injetados com produtos químicos de esterilização nas escolas públicas. (A Califórnia, por sinal, também tem como alvo as crianças das escolas, a fim de evitar que os pais que tenham a oportunidade de dizer “Não!”)


Cidade do México – Associated Press – Rumores de que pessoas disfarçadas de equipes de vacinação estavam vacinando crianças em idade escolar que lhes esterilizavam forçou as autoridades de saúde a suspender todas as unidades de vacinação hoje e deixar a polícia do lado de fora das escolas da Cidade do México. Milhares de pais invadiram várias escolas na área da Cidade do México na terça-feira e levaram seus filhos para casa.


Também é importante notar que estas vacinas de esterilização estavam sendo administradas essencialmente à mão armada, visto que a polícia estava acompanhando as equipes de vacinação:


Pessoas disseram aos jornais e emissoras de TV que as equipes de esterilização estavam protegidos por escoltas policiais e que incluíam homens e mulheres vestidos de branco “que se pareciam com estrangeiros.”


Esse mesmo cenário está prestes a ser repetido na Califórnia, a propósito, onde o SB 277 criminalizaria os pais de crianças que não são vacinadas, essencialmente à mão armada.


O que é ainda mais interessante é que os mesmos exatos argumentos que ouvimos hoje sobre os céticos da vacina – eles são rotulados de forma punitiva como “anti-vacinas” ou “anti-ciência” – também estavam sendo usados ​​no México em 1974. Como o seguinte recorte de jornal mostra:



"A Associação Médica Mexicana emitiu declarações negando que qualquer tipo de inoculação possa causar esterilidade… As autoridades disseram que a superstição e a ignorância de saúde preventiva [ou seja, “anti-ciência”] foram responsáveis ​​pela crença generalizada de que os rumores eram verdadeiros."


Em outras palavras, embora as equipes de esterilização estavam correndo ao redor do México, injetando pessoas com produtos químicos como parte de uma agenda despovoamento, qualquer pessoa que indicasse isto foi imediatamente rotulada como “anti-ciência” e ridicularizada como “ignorante”.


Muito pouco mudou em quatro décadas, ao que parece: a mesma tática é usada ainda hoje, mesmo quando as crianças estão sendo mortas ou prejudicadas a cada dia devido aos ingredientes tóxicos usados ​​em vacinas.

FONTES:
http://schillerinstitute.org/strategic/NSSM200.htm


http://www.naturalnews.com/033483_guatemalan_prisoners_medical_experiments.html


http://truthstreammedia.com/2015/05/07/who-attempted-the-covert-sterilization-of-mexican-school-children-with-vaccines-in-1974/


Agentes de inteligência do CDC pegos em campanhas de desinformação


O “assédio moral da ciência” por trás de vacinas também permite que governos do mundo executem programas de esterilização e de despovoamento disfarçados de saúde pública. Uma vez que a população está intimidada a aceitar vacinas sem questionamento – a obediência cega é agora exigida em quase toda parte – os governos podem adicionar quaisquer produtos químicos que eles quiserem essas vacinas, incluindo produtos químicos que causam esterilização permanente ou mesmo a morte.


O fato de que todas as lesões causadas pela vacina são sistematicamente negadas existirem, também significa que qualquer pessoa prejudicada ou morta pelas vacinas é imediatamente apagada da memória nacional. Como uma máfia criminosa, a indústria de vacinas trabalha duro para esconder os corpos e, assim, mantém a sua extorsão monopolista na premissa absolutamente falsa de que as vacinas são 100% seguras.


Para impulsionar ainda mais esta propaganda médica extraordinária, o CDC usa agentes da inteligência como a enfermeira Hickox que espalham desinformação através da grande mídia, o qual está sempre feliz em cumprir as agendas destrutivas da indústria das vacinas.


Como o Natural News revelou durante o susto do Ebola de 2014:


A enfermeira Kaci Hickox, que ganhou as manchetes nos últimos dias, ao recusar-se a ficar em quarentena após o retorno das linhas de frente do Ebola na África, acaba por ter sido treinada como uma “oficial de inteligência” sob um programa de dois anos formulado pelo CDC usando modelos militares dos EUA.


Como você pode ver a partir do documento abaixo, Hickox formou-se em um programa de treinamento de oficial de inteligência de dois anos do CDC em 2012. Esta é a mesma enfermeira cuja página do LinkedIn foi recentemente limpa para esconder seus laços com o CDC…


A designação oficial de inteligência concedida à enfermeira Hickox pelo CDC foi “Oficial do Serviço de Inteligência Epidêmica”, e ela é uma pós-graduada do programa EIS de 2012 de acordo com este documento do CDC (PDF). (Consulte a página 138 e 139 para seu nome e foto, ou veja a foto abaixo).


Nesse mesmo ano, o CDC formou 81 semelhantes “agentes de inteligência”, cujos nomes e fotos também estão listados no documento público.







FONTES:
http://www.naturalnews.com/047444_ebola_quarantine_kaci_hickox_intelligence_officer.html


http://www.naturalnews.com/047406_Ebola_quarantines_New_Jersey_CDC.html


http://www.naturalnews.com/files/PDF-2013-EIS-Conference.pdf


Conclusão? Não confie na indústria de vacinas


O que tirar de concreto de tudo isso? As vacinas têm sido e continuarão a ser utilizadas como uma ocultação para programas de despovoamento forçados envolvendo esterilização ou produtos químicos de eutanásia.


A obediência às vacinas permite que as equipes de despovoamento acompanhadas por policiais armados intimidem as pessoas a aceitar qualquer líquido que eles queiram colocar em uma seringa. Esse líquido pode ser uma vacina, ou pode ser um produto químico de esterilização ou mesmo um produto químico de eutanásia.


Qualquer população que está doutrinada a confiar na indústria de vacinas – uma indústria impregnada em repetir atividade criminosa combinada com um total desrespeito pela vida humana – está pronta para ser alvo de despovoamento.


Afinal, por que passar pela dificuldade de construir câmaras de gás e prendendo pessoas para o extermínio em massa quando você pode obter o mesmo resultado sem qualquer resistência se você simplesmente rotula os produtos químicos como “vacinas”?



Fontes:


http://www.noticiasnaturais.com/2015/05/teste-de-despovoamento-75-das-criancas-que-receberam-vacinas-em-cidade-mexicana-morreram-ou-estao-hospitalizadas/


http://www.noticiasnaturais.com/2012/09/bill-gates-financia-vigilancia-de-grupos-anti-vacina/


http://www.noticiasnaturais.com/2011/07/estudo-mortalidade-infantil-aumenta-junto-com-a-quantidade-de-vacinas-administradas-em-criancas-de-ate-um-ano/


http://www.naturalnews.com/023654_pfizer_drug_experiments.html

http://contraanovaordemmudial.blogspot.com.br

Nenhum comentário