Últimas

MALUCO: ANALISTA PEDE AO GOVERNO RUSSO PARA QUE LANCE UM ATAQUE NUCLEAR À YELLOWSTONE


"As consequências serão catastróficas para os Estados Unidos"

O analista geopolítico russo Konstantin Sivkov apelou a Moscou para que lancem um ataque nuclear no Parque Nacional de Yellowstone, e na falha geológica de San Andreas, observando que as consequências devastadoras podem "desaparecer" os Estados Unidos como um país.

Sivkov fez os comentários numa seção do jornal comercial russo VPK News, e que foram traduzidos pelo jornal australiano Sydney Morning Herald.

Argumentando que a agressão da OTAN contra a Rússia exige a "destruição completa do inimigo", Sivkov retratou um cenário arrepiante.

"Os geólogos acreditam que o super-vulcão de Yellowstone pode explodir a qualquer momento. Há sinais de crescente atividade lá. Portanto, o gatilho para uma explosão é relativamente pequeno, e como exemplo, o impacto da detonação de um megaton iniciará uma erupção. As consequências serão catastróficas para os Estados Unidos - e o país simplesmente desaparecerá", disse ele.

A erupção do super-vulcão de Yellowstone poderia matar milhões de pessoas na explosão inicial e enterrar grande parte dos Estados Unidos em cinzas vulcânicas. De acordo com alguns especialistas, isso poderia causar o fim do mundo. A última vez que um super-vulcão explodiu na Sibéria, 85% de todas as espécies terrestres e 95% de todos os seres vivos do oceano foram completamente eliminados.

Em 2013, foi revelado que o magma sob o Yellowstone é duas vezes e meia maior do que se pensava, dando ao super-vulcão do parque o potencial de causar uma erupção duas mil vezes mais poderosa do que a do Monte Santa Helena. Alguns especialistas dizem que a caldeira vulcânica já passou da hora de entrar em erupção.

Sivkov também disse que, enquanto a geografia da Rússia a protege da ameaça representada pelos tsunamis, tal fato pode ser desencadeado nos Estados Unidos com um ataque na falha de San Andreas.

"Outra área vulnerável dos Estados Unidos a partir do ponto de vista geofísico, é a falha de San Andreas - 1.300 quilômetros entre as placas da América do Norte e do Pacífico... a detonação de uma arma nuclear poderia disparar eventos catastróficos, como um tsunami de alta escala na costa que pode destruir completamente a infra-estrutura dos Estados Unidos", escreveu ele.

Algumas seções da falha de San Andreas possuem grande atividade sísmica. "Os pesquisadores descobriram que três seções do sistema da falha de San Andreas no norte da Califórnia - Hayward, Rodgers Creek e Green Valley - estão perto ou passaram o seu intervalo médio de recorrência e podem ter acumulado tensão suficiente para desencadear terremotos de magnitude 6, 8 ou maior", relata a CBS Notícias.

Temendo que os Estados Unidos estejam planejando "destruir a Rússia", Sivkov diz que Moscou está numa posição muito pior que 50 anos atrás, porque eles tem muito menos aliados e não podem competir contra o poder militar da OTAN e de seus aliados.

Enquanto isso, seria impensável para qualquer um dentro do Kremlin considerar os comentários de Sivkov seriamente, pois sua retórica ilustra o quão tensas são as relações entre Moscou e Washington.

No mês passado, o general Sir Adrian Bradshaw, Supremo Comandante Aliado da OTAN na Europa, alertou que a ameaça de um conflito com a Rússia, "representa uma ameaça existencial para todos nós".

Fontes:

- Infowars: Russian Analyst Calls For Nuclear Attack on Yellowstone National Park
- VPK News
- Sydney Morning Herald

Nenhum comentário