Últimas

DOUTRINAÇÃO: PROFESSORA LÉSBICA ENSINA COMO SER ‘GAY’ NA SALA DE AULA


Uma professora lésbica vangloriou-se de usar a sua sala de aula para ensinar as crianças enquanto jovens no jardim de infância em como serem “gays”.

“E eu comecei no jardim de infância”, disse Pam Strong. “O que é um ótimo lugar para começar. Foi onde eu fui ensinada. Então, eu fiquei mais confortável lá”.

Seus comentários estão sendo relatados por Pete Baklinski, que escreveu para o site de Notícias LifeSite sobre os comentários de Pam Strong em uma conferência realizada pela organização ativista homossexual Visão de Jer, agora chamado de Centro Canadense de Gênero e Diversidade Sexual.

Os eventos focaram na Lei 13 do Canadá, que dá autorização aos alunos para os clubes homossexuais em suas escolas, incluindo escolas católicas.

O LifeSite explicou que um repórter participou da conferência e Strong focou seu workshop sobre o que chamou de “poder da conversa” para promover as questões LGBT em uma sala de aula do nível elementar.

Ela disse que está usado literatura pró-homossexual, como “Rei e Rei”.

Mas, principalmente, ela só usa conversas com os alunos para promover o seu próprio estilo de vida lésbico, disse a reportagem.

“As conversas difíceis são uma parte do que fazemos como professores, certo? E quando essas conversas estão devidamente apoiadas por professores dentro da segurança da sala de aula, elas fornecem um ambiente rico para os nossos alunos enquanto eles desembrulham estas questões sociais complexas e refletem sobre os seus próprios preconceitos e direitos de gênero, sexualidade, amor, toda essa diferença de coisas”, disse ela.

Ela explica como um aluno foi provocado por sua leitura de “Rei e Rei”.

O estudante, quando leu sobre os dois príncipes se “casando”, gritou: “Eles não podem fazer isso! Eles não podem se casar. Eles são dois meninos”.

Strong, em seguida, trouxe o seu próprio estilo de vida lésbico e promoveu-o para os estudantes.

“Eu disse, você sabe, nós levamos nossos filhos para o parque. Eu os empurro nos balanços. … Nós rimos juntos. Nós fazemos compras juntos. Leio para eles. Eu lhes faço cócegas, às vezes, até que gritem e riem e quando eles choram, eu os abraço até que eles parem”.

Outra vez suas preferências sexuais surgiram como parte de uma conversa em sala de aula para um aluno novo, que não estava familiarizado com os seus ensinamentos, e deixou escapar: “Oh, meu Deus, eu acho que vou vomitar”, relatou o LifeSite.

Strong disse que ela “tomou o abuso”, mas observou aos outros alunos que “estava muito, muito chateada com esse garoto”.

Suas conversas seguiram.

“Strong contou aos participantes do workshop que seu “novo amiguinho” é agora um campeão dedicado à diversidade. Ela se gabava de como ele era o único em sua classe a contar os dias para o evento pró-homossexual, Dia do Rosa, que teve lugar no início deste mês. Quando Strong tirou uma foto de todas as crianças vestindo camisetas cor-de-rosa em sua sala de aula, ela disse que o menino pediu para estar na frente”, disse o LifeSite.

Ela também tem outros gatilhos para discussões sobre ser “gay”.

“Eu uso os eventos atuais, artigos de notícias, propaganda são ótimas para questões do gênero, principalmente com as crianças do jardim de infância, brinquedos de menina e o rosa e todo o resto. Os comerciais são ótimos, eu uso um agora, a empregada doméstica do comercial do mel”, disse ela.

Ela disse que convence as crianças de que casais homossexuais são idênticos a um casal homem-e-mulher, relatou o LifeSite.

* Artigo traduzido por Dionei Cleber Vieira, link do original aqui: LESBIAN TEACHES BEING ‘GAY’ IN CLASSROOM

Via: http://dcvcorp.com.br/

Nenhum comentário