Últimas

Falsa bandeira: Alto comandante do Estado Islâmico admite receber financiamento dos EUA



Pois aí está... Como já sabemos, os globalistas financiam os dois lados da moeda, pois as guerras, além de muito lucrativas (indústria bélica), estabelecem o caos que eles precisam para a sua 'nova ordem'.
O que é de doer, é saber que estes globalistas usam uma nação cristã, como os EUA, para financiarem as decapitações dos próprios cristãos feitas pelo ISIS.

Yousaf Al Salafi, comandante Estado Islâmico preso na semana passada pelos serviços de inteligência paquistanês, confessou que recebeu financiamento dos EUA

"Durante as investigações, Yousaf Al Salafi revelou que o financiamento recebido através dos EUA para operar o Estado Islâmico no Paquistão e recrutar jovens para lutar na Síria", revelou um fonte anônima revelou pertencente a investigação, informa o “The Express Tribune”.

Yousaf Al Salafi, de nacionalidade Sírio-paquistanês e suposto comandante do Estado Islâmico, foi preso na semana passada pelos serviços de inteligência paquistaneses, juntamente com dois companheiros em um ataque em Lahore. A informação confirma que Al Salafi trabalhou durante semanas com Hafiz Tayyab, imán de uma mesquita local preso há cinco meses por recrutar jovens paquistaneses para lutar contra o Estado islâmico na Síria.

"Washington condenou as atividades do Estado islâmico, mas, infelizmente, não tem sido capaz de parar de financiar esta organização, que está sendo distribuída através dos EUA", disse a fonte.

Há também dados indicando que as revelações de Al Salafi foram compartilhadas com o secretário de Estado dos EUA John Kerry durante sua visita a Islamabad. "A questão também foi abordada com o general Lloyd Austin, comandante da CENTCOM (Comando Central dos EUA) durante sua visita a Islamabad no início deste mês", disse outra fonte.

Tradução: Últimos Acontecimentos.

Fonte: RT

2 comentários

fabio disse...

Eis o "X" da questão. os EUA nunca foi uma nação cristã, e sim, sempre foi uma nação MAÇÔNICA. A mais poderosa nação maçônica deste planeta e ninguém percebeu? ...

Paulo Carneiro disse...

Financiada pelos bilionários sunitas e sauditas que tem o seus sistemas financeiros aplicados nos EUA!

"Inverdades e distorções de fatos são permitidos na chamada Guerra Santa, na reconciliação de dois Muçulmanos, entre um marido e suas esposas e entre uma esposa e seu marido (Thirmidhi, birr 26; Musnad Ahmad b. Hanbal 6:459, 461)."

Lê o sub-capítulo Os Muçulmanos estão autorizados a mentir? Do texto Os Muçulmanos e Cristãos Adoram o Mesmo Deus? No site Respondendo ao islã: http://www.answering-islam.org/portugues/deus/deuscomparado.html


"Mohamed repetidamente enfatizou o fato de que a “Guerra é enganação”, a Sharia considera todos os estados não-Islâmicos como território inimigo e (apóia as táticas de mentira, trapaça) e de acalmar o adversário levando-o a uma falsa sensação de segurança."


"Não há um espírito da verdade no Islã como há no Novo Testamento. Embora Allá seja chamado de “O Verdadeiro e Justo” (al-Haqq) mais de uma vez no Alcorão lemos que ele é “o mais Esperto de todos” (khair al-maakireen, Suras Al ‘Imran 3:54; al-Anfal 8:30) e que ele se torna um enganador para qualquer um que o engane (Sura al-Nisa’ 4:142)! Se o objeto de adoração de uma religião contém esperteza e engano, até que ponto seus discípulos seguirão os feitos de seu mestre? E ainda, o Alcorão registra que Allá mandou Mohamed e seus fiéis seguidores a cancelar seus votos precipitados (qad farada allah lakum tahillat aimanikum; Sura al- Tahrim 66:2). Isso significa que nem mesmo um juramento é garantia de verdade."

Existe a falsa bandeira islâmica, caluniando os adversários para livrar da culpa os mandamentos muçulmanos, justificando a Jihad. Se existe também o financiamento de outros anticristãos para o EI com intenção de acabar com cristianismo, então esses só estão dando tiro no próprio pé.