Últimas

“CiberCalifado”: Twitter de comando militar dos EUA é hackeado

'Cibercalifado' invadiu Twitter do Comando Central dos EUA (Foto: Reprodução/Twitter/U.S. Central Command)

A conta no Twitter do Comando Central dos Estados Unidos no Oriente Médio foi hackeada nesta segunda-feira (12) por simpatizantes do grupo Estado Islâmico. A imagem de perfil da conta foi alterada e aparece com a mensagem "I love you ISIS" (Eu te amo ISIS, em português). A sigla ISIS é usada em alguns países para se referir ao grupo radical Estado Islâmico, que controla territórios na Síria e no Iraque.

Uma mensagem postada na conta afirma: "Em nome de Alá, o Mais Gracioso, o Mais Misericordioso, o Cibercalifado sob patrocínio do ISIS continua sua Ciberjihad. Enquanto os Estados Unidos matam nossos irmãos na Síria, Iraque e Afeganistão nós invadimos suas redes e dispositivos pessoais e sabemos tudo sobre vocês (...). O ISIS já está aqui, estamos em seus PCs, em cada base militar. Com a permissão de Alá estamos agora no Centcom".

Reprodução de mensagem deixada por hackers (Foto: Reprodução/Twitter/U.S. Central Command)

"Nós não vamos parar! Sabemos tudo sobre vocês, suas esposas e crianças. Soldados dos Estados Unidos, estamos de olho em vocês!", acrescenta a mensagem.

O Comando Central dos Estados Unidos, o Centcom, é um dos nove comandos militares unificados no país que tem uma área de responsabilidade e atuação, o que inclui operações militares. São 20 países do mundo que estão na área do Centcom, o que inclui Iraque, Síria, Afeganistão, Líbano, Egito, entre outros.

YouTube
A conta do comando militar dos Estados Unidos no YouTube também parece ter sido hackeada. Nela foram publicados dois vídeos sobre jihadistas. Após alguns minutos, as duas contas foram suspensas.

Uma autoridade de defesa disse ao site "NBC News" que o episódio "é claramente constrangedor, mas não uma ameaça à segurança". A Casa Branca afirmou que está investigando o caso.
Conta do Comando Central dos EUA no YouTube publicou vídeos sobre jihadistas (Foto: Reprodução/Youtube/U.S. Central Command)

Nenhum comentário