Últimas

Militância disfarçada de 'movimento social' invade supermercado e exige 'cestas básicas' de Natal



Onde estão a 'mãezona' (Dilma) e o 'paizão' (Lula) dos pobres? Ah, mas espera aí, não era o povo de fato, mas militantes 'disfarçados de movimento social' que estavam promovendo o teatro no supermercado.

O clima ficou tenso e perigoso dentro do supermercado Via Brasil, no bairro Itapoã, na região da Pampulha, em Belo Horizonte. Integrantes de ocupações de BH e região invadem, desde às 19h desta terça-feira (23), o estabelecimento comercial. Eles reinvidicam cerca de 200 cestas de Natal para famílias carentes de vários movimentos de Belo Horizonte.

A militância disfarçada de 'Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas (MLB)' alegava que 150 famílias estavam no local, enquanto a Polícia Militar afirma que são 70 pessoas.

O grupo formado por homens, mulheres, crianças e idosos se concentrou com bandeiras do MLB na entrada do supermercado na rua Irlanda, esquina com avenida Portugal.

Segundo o 'diretor' do MLB, Leonardo Perícles, que aparece na foto abaixo com Dilma, a ação é uma campanha nacional, feita todos os anos, que visa promover um Natal sem fome e denunciar o consumismo durante a data religiosa. (QUANTA CARA DE PAU, NÃO?)


O grupo gritou e esbravejou com a gerência do local. "Não é possível que um supermercado deste porte não possa fazer ação social como está", complentou uma das líderes da ação, Charlene Cristiane.

AGORA OLHA BEM QUEM É O TAL MLB - MILITÂNCIA PETISTA/COMUNA

(Na foto: Dilma, Gilvander e Leonardo Péricles, "líderes" da algazarra em MG)



Os clientes do supermercado que estavam no local disseram que o clima era de apreensão.

CLIENTES QUE TRABALHAM E PAGAM SEUS IMPOSTOS SE VIRAM NO MEIO DE VÂNDALOS PERIGOSOS

A dona de casa Maria Auxiliadora Nascimento disse que foi ao estabelecimento para fazer as últimas compras da ceia de Natal e se assustou com a situação. Ela disse que voltou para casa sem fazer as compras. “Fiquei com medo e vou tentar amanhã aqui ou em outro local que estiver aberto”, afirmou.

O tenente Ronni Rodrigues comanda a equipe de 40 militares do 13º Batalhão da PM que acompanhou o 'protesto'. Ele disse que a polícia só atuaria se necessário, mesmo com a algazarra dos vagais.

Inicialmente, a corporação e o MLB afirmaram que o supermercado aceitou a doação de 50 cestas básicas. No entanto, o diretor comercial do Via Brasil, Cássio Guilherme Coutinho, descartou qualquer negociação. Ele disse ainda que a unidade continuaria aberta até o horário de fechamento habitual, às 23h.

No fim da noite, os ocupantes conseguiram a doação de 50 cestas básicas do supermercado Via Brasil. No ano passado, a ação foi realizada em um supermercado do bairro Santa Efigênia, na região Leste de BH, que doou 150 cestas básicas para o grupo. (Fonte: Informações de Hoje em Dia/R7)

Via: http://folhacentrosul.com.br/

Um comentário

Sandra Ribeiro disse...

Forçar doação, invadir supermercado. O nome disso é vandalismo, roubo, assalto ou algo desse tipo. Imagino que usam armas. Ninguém vive mais em segurança nesse país. Também, é só olhar pra quem dirige esta nação. Um bando de arruaceiros. Acorda, Brasil! Isso aqui tá virando uma Venezuela.