Últimas

Petição à Casa Branca quer ação contra ‘expansão comunista’ operada por Dilma

Petição na Casa Branca pedindo saída do PT do poder atinge 100 mil assinaturas e terá posicionamento oficial da Casa Branca

Há sete dias no ar, uma petição popular americana solicita à Casa Branca que "se posicione" contra a "expansão bolivariana comunista no Brasil promovida pelo governo de Dilma Rousseff", após a reeleição da presidente brasileira. Segundo o pedido, Dilma "continuará o plano de seu partido de estabelecer um regime comunista no Brasil — nos moldes bolivarianos propostos pelo Fórum de São Paulo" e "os EUA precisam ajudar os promotores da democracia e da liberdade no Brasil".

A petição foi publicada no site da Casa Branca dia 28 de outubro, dois dias após o pleito presidencial, no espaço "We the People" (Nós, o povo), criado pelo governo Barack Obama para receber demandas populares. É preciso 150 assinaturas eletrônicas para que a petição seja publicada. A proposta sobre o Brasil já tinha 92.040 assinaturas na tarde desta segunda-feira. Petições endossadas por 150 mil ou mais pessoas recebem resposta da Casa Branca — que tem a prerrogativa de abraçar ou não a causa.

Tanto o criador da petição sobre o Brasil (F.P.) quanto as demais dezenas de milhares de signatários estão identificados apenas por iniciais, sem informação sobre sua cidade de origem. Esta é a apresentação comum no site para qualquer proposta publicada.

Vários textos de justificativa, porém, costumam listar entidades e pessoas que promovem aquela causa, o que não ocorre na solicitação sobre o Brasil. Para criar uma petição, basta ter 13 anos ou mais, abrir uma conta no site whitehouse.gov e passar por verificação de e-mail.

Na justificativa, o autor afirma que, embora aos olhos da comunidade internacional as eleições brasileiras tenham sido "integralmente democráticas", há vários motivos para suspeita: urnas não seriam confiáveis, a cúpula do Judiciário seria, em sua maioria, formada por membros do PT e a população dependente de políticas sociais teriam sido ameaçadas a perder os benefícios caso não votassem em Dilma.

Abaixo, a íntegra do texto da petição:


"Nós peticionamos o governo Obama para:

Se posicionar contra a expansão bolivariana comunista no Brasil promovida pelo governo de Dilma Rousseff.

Em 26/10, Dilma Rousseff foi reeleita e continuará o plano de seu partido de estabelecer um regime comunista no Brasil — nos moldes bolivarianos propostos pelo Foro de São Paulo. Nós sabemos que, aos olhos da comunidade internacional, a eleição foi integralmente democrática, mas as urnas usadas não são confiáveis, além do fato de que a cúpula do Judiciário é, em sua maioria, de membros do partido vencedor. Políticas sociais também influenciaram a escolha da presidente e as pessoas foram ameaçadas com a perda do benefício de alimentação caso não reelegessem Dilma. Conclamamos uma posição da Casa Branca em relação à expansão comunista na América Latina. O Brasil não quer e não será uma nova Venezuela, e os EUA que (sic) precisam ajudar os promotores da democracia e da liberdade no Brasil".

Via: O Globo e Diário do Poder

7 comentários

Gerson Avillez disse...

Ai chegam eles e metem uma ditadura em nosso lombo, que ao meu ver não é tão diferente...

Gustavo carvalho disse...

Link vai direto na petição http://wh.gov/icK4r Cuba não vai ficar mandando no Brasil.

Gambito do Rei rEcUsAdO disse...

ACORDEM do sono futebolístico brasileiros!!!

Julio Severo disse...

Se eu fosse cidadão americano, eu nunca iria assinar uma petição pedindo socorro para o governo da Dilma livrar os EUA do comunismo de Obama. Por que você acha que agora eu iria cometer a estupidez de pedir socorro para o comunista Obama livrar o Brasil do comunismo? Isso é só para louco. Não é para mim. Veja: Obama: o “salvador” da direita brasileira http://bit.ly/1vpVqaW

Jonatan Souza disse...

Reflita um pouco sob como os EUA jogaram dos dois lados na eleição brasileira e como "Aécinho"e"Dilminha"são braços de um mesmo corpo politico.
De a Cesar o que é de Cesar http://dinamicaglobal.wordpress.com/2014/10/30/eleicoes-brasileiras-e-ucranianas-como-os-eua-gostam/

Marcos Paulo Goes disse...

Exatamente isso que eu estava pensando Júlio...

Cheguei até a ouvir por aí a infelicidade: "A esquerda americana não é tão de esquerda como no Brasil..."

Ridículo...

Evertynlogic disse...

Olá Gerson, compreendo o seu medo. Mas sinto lhe informar, estamos em processo de instalação de uma ditadura comunista.
Tem uma matéria interessante nesse link que mostra a difença de Cuba e Japão, antes e atualmente.
http://blitzdigital.com.br/index.php/artigos/828-a-bomba-atomica-do-comunismo