Israel está determinado a substituir a Mesquita de Al Aqsa, em Jerusalém por um ''templo judaico' - Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar

Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar Allahu Akbar

Últimas

Israel está determinado a substituir a Mesquita de Al Aqsa, em Jerusalém por um ''templo judaico'


O ministro da Habitação Uri Ariel negou as afirmações de Israel, sobre a preservação da Mesquita de Al Aqsa, um dos mais sagrados templos muçulmanos.

Várias horas depois que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu afirmou que Israel não tem intenção de mudar a Mesquita Al Aqsa, o ministro da Habitação de Israel, Uri Ariel disse que um templo judaico seria construído neste local de acordo com as recontagens ' Middle East Monitor '. O ministro israelense ressaltou que Israel não poderia manter a mesquita porque foi construída no local mais sagrado de Israel. A mesquita foi construída em 705 D.C sobre as ruínas do antigoTemplo de Salomão. Ariel acrescentou que a construção do terceiro templo judaico no terreno aonde fica a mesquita Al Aqsa é o primeiro requisito da Torá, porque "é a vanguarda da salvação de judeus "como" Middle East Monitor ' cita o ministro.

Em resposta às crescentes tensões nas áreas que cercam este lugar sagrado, Netanyahu pediu "que todos os membros do Knesset para aliviassem as tensões na Esplanada das Mesquitas e demonstrassem mais responsabilidade tranquilidade. " Os representantes das autoridades israelenses temem que as ações tomadas em relação a este local sagrado possa causar a "Terceira Intifada Palestina", de acordo com o jornal. Os últimos confrontos semana foram relatados em Jerusalém Oriental após As forças de segurança israelenses assassinarem o suposto autor do assassinato do ativista de direita israelense Yehuda Glick. Na verdade, a situação no local sagrado era tão tenso após a morte de Glick que as autoridades israelenses decidiram fechar a área, o que causou indignação entre a população palestina.

O presidente Mahmoud Abbas disse que a zona de bloqueio "é como se fosse uma declaração de guerra." Apesar de fazer a cidade velha de Jerusalém durante a Guerra dos Seis Dias por Israel, os judeus não têm o direito de rezar na Esplanada das mesquitas, enquanto os palestinos podem visitar a mesquita em todos os momentos.

RT e ocorreiodedeus.com.br

Nenhum comentário