Últimas

Por chuvas, Alckmin apela para o 'Cacique Cobra Coral'



Pelo jeito, Alckmin não bota fé no apoio que recebeu dos evangélicos.

É que, como alertávamos aqui no último dia 16 de outubro, parece que não restou outra alternativa ao ultracatólico governador Geraldo Alckmin senão fazer a dança da chuva para regar São Paulo, conforme informa a Veja SP:

Pela primeira vez, Alckmin apela para
Fundação Cacique Cobra Coral

O governador contatou nesta semana o grupo conhecido por ser capaz de manobrar fenômenos naturais e, inclusive, fazer chover

Carolina Giovanelli

Em meio a uma preocupante crise hídrica na cidade, o governador reeleito Geraldo Alckmin contatou pela primeira vez a Fundação Cacique Cobra Coral (FCCC), que se diz capaz de manobrar fenômenos naturais e alterar o clima do planeta. Osmar Santos, porta-voz do grupo, conversou hoje, quarta (29), durante meia hora com um assessor da secretaria particular do governador. O combinado é que o Palácio dos Bandeirantes volte a ligar na semana que vem para agendar um encontro diretamente com Alckmin.

O trabalho da FCCC se dá através da médium Adelaide Scritori, que afirma contar com a ajuda de uma entidade umbandista conhecida como Cacique Cobra Coral. A "parceria" conseguiria promover mudanças em relação a raios, trovões e tempestades. Há convênios com diversas empresas particulares, governos e prefeituras. "Não pedimos dinheiro, mas contrapartidas como construção de obras de geração de energia para beneficiar a população", diz Santos.

No fim de agosto, Scritori chegou a mandar uma notificação por e-mail dirigida a Alckmin, alertando que o período chuvoso atrasaria esse ano e que medidas urgentes precisavam ser tomadas. Não obteve resposta.

Se o convênio com o governador for selado e ele cumprir as exigências, Santos garante que a seca é reversível. Se não, a previsão para o ano que vem se mostra das piores, com chuvas irregulares e insuficientes para recuperar os reservatórios.

Veja SP retirou a matéria do ar, mas a prova de que ela existiu está aí.

Um comentário

Alexandre T disse...
Este comentário foi removido pelo autor.