Últimas

Ebola: a Pandemia do Formol - 'Voluntários' da FEMA contaminaram os africanos?



Na Libéria se descobriu algo chocante. A fontes de água que eram usadas pela população das áreas atingidas pelo Ebola, foram contaminadas com formol - E a água contaminada com formol causa os mesmos efeitos do Ebola: Febre inicial, vômitos, sangramentos, bolhas e corrosão de órgãos e tecidos. Genocidar os negros com formol e vender os órgãos? Pode ser parte da verdade.

Um homem em Schieffelin, uma comunidade localizada no condado de Margibi na Rodovia Robertsfield, foi preso por tentativa de colocar formol em um poço utilizado pela comunidade.

Os relatórios dizem que por volta das 10h, ele se aproximou do poço com pó em uma garrafa. Linchado pela comunidade, ele confessou que tinha sido pago para colocar formol no poço, e que ele não era o único. Ele teria dito a moradores da comunidade:

"Nós somos muitos. Há agentes em Harbel, Dolostown, CorronTree" e outras comunidades ao redor do país, disse ele. A rádio estatal, ELBC, informa que pelo menos 10 pessoas na comunidade Dolostown morreram depois de beber água de poços envenenados. O homem também alegou que algumas empresas de água, particularmente aquelas de embalamento de água mineral para venda, também estão envolvidas.

O veneno, segundo ele, produz sintomas como os do Ebola e posteriormente mata as pessoas.

The Observer já havia sido informado de que pessoas vestidas como enfermeiras estavam entrando em comunidades com vacinas para o Ebola.
Uma vez injetado, a vacina supostamente produz sintomas como os do Ebola e deixa as vítimas em estado de coma. Pouco tempo depois, as vítimas morrem. Comunidades estão agora expulsando os enfermeiros vacinadores para fora de suas comunidades.

Depois de 10 crianças morreram por causa da vacina em Bensonville, os enfermeiros teriam sido expulsos da comunidade em sua próxima visita. É possível que a "vacina" é composta pela mesma mistura de formol+água. Esta publicação recebeu relatos de famílias cujos entes queridos estavam faltando órgãos na devolução dos corpos às famílias.

Famílias suspeitam que uma operação de tráfico de órgãos está sendo capitalizada sobre o surto do vírus Ebola na Libéria. O representante do distrito condenou o ato tão bárbaro, mas chamou os liberianos para não duvidar da existência do vírus Ebola no país. Uma investigação está em curso.
Fonte: http://www.liberianobserver.com/security/breaking-formaldeyde-water-allegedly-causing-ebola-symptoms

Fundo histórico O Passado

Em 1994, na sequência do genocídio de Ruanda, o pastor evangélico americano Pat Robertson solicitou doações para a sua organização de caridade Operation Blessing International (OBI) para fornecer suprimentos médicos para os refugiados no vizinho Zaire (atual Congo), onde o pastor usou todo o dinheiro doado e negociou um contrato de mineração de diamantes com o ditador do Zaire, Mobutu Sese Seko.

De acordo com dois pilotos da Operation Blessing (que testemunharam o incidente para investigação no estado da Virgínia/EUA), em vez de entregar suprimentos para os refugiados, os aviões da organização foram utilizados principalmente para transportar equipamentos de mineração de diamantes nas novas minas de diamante do pastor. http://www.thedailybeast.com/articles/2013/09/07/doc-mission-congo-alleges-pat-robertson-exploited-post-genocide-rwandans-for-diamonds.html

O pastor tinha amplas relações comerciais com o ditador da Libéria, Charles Taylor, com quem o pastor negociou um contrato de milhões de dólares para as operações de mineração de ouro no país. http://www.highbeam.com/doc/1G1-68443640.html

Quando o ditador Taylor da Libéria foi processado por crimes contra a humanidade, o Congresso dos Estados Unidos aprovou um projeto de lei em novembro de 2003, que ofereceu dois milhões de dólares por sua captura.

O pastor Robertson acusou o presidente George W. Bush de "minar um presidente cristão e batista para trazer rebeldes muçulmanos para dominar o país." Na época, o ditador Taylor estava abrigando células operacionais da rede Al Qaeda, que estavam sendo financiadas com suas operações através do tráfico ilegal de diamantes.
http://www.thenation.com/article/pat-robertsons-katrina-cash

Em 4 de fevereiro de 2010, em seu julgamento por crimes de guerra em Haia, o ditador Taylor testemunhou que o pastor Robertson era o seu principal aliado político nos EUA, e que ele se ofereceu para trabalhar o caso da Libéria antes dos funcionários do governo americano, em troca de concessões livres à empresa do pastor, aRobertson Gold Ltd., para qual o ditador Taylor deu um contrato para a mina de ouro no sudeste da Libéria em 2010.
http://blog.foreignpolicy.com/posts/2010/02/05/charles_taylor_pat_robertson_was_my_man_in_washington

O Presente

 A história que você leu anteriormente, citando a contaminação de poços por Formol, está em circulação nos principais jornais da Libéria, surge quando esta mesma ONG evangélica do pastor Pat Robertson, a OBI, que também é uma ONG patrocinada pela FEMA, foi enviada junto a militares americanos para a África, em uma força tarefa para combater o Ebola.

OBI patrocinada pela FEMA. Fonte: Site oficial da FEMA http://www.fema.gov/it/media-library/assets/images/60069

Um novos e estranhos métodos que a ONG evangélica OBI apresenta para combater o Ebola, é a colocação de sal na água, junto a uma fonte elétrica, para liberação de cloro e sanitização da mesma. O que não está explicado é - Se o Ebola não é transmissível por ar ou água, por que agora a água precisaria de tratamentos adicionais? Bem, eles dizem que se trata de uma ação de prevenção.

Pastores americanos pagam pessoas para adicionar um pó branco na água. Fonte: Site da ONG OBI http://www.ob.org/


Água "potável" feita por evangélicos voluntários da FEMA, para distribuição às criancinhas negras e pobres da África.
Soldados americanos chegam armados para combater o Ebola na Libéria. Fonte: Site Oficial do Exército Americano http://www.army.mil/article/136166/15th_Engineer_Battalion_deploys_Soldiers_in_fight_against_Ebola/

Uma pandemia de Ebola poderia se encenada em qualquer lugar do mundo, bastando adicionar Formol na água. Ninguém nunca suspeitaria, pois estão procurando um vírus, e não um contaminante. (Ainda mais que ninguém nunca reclama do flúor mesmo).

Observações

Ninguém está dizendo que Ebola não existe. A Libéria está no epicentro da história, e eles possuem muito mais informações sobre a natureza dos eventos do que apenas é contado para nós por meio da mídia filtrada. A história do Formol pode parecer muito estúpida, mas pode ter um fundo de verdade.

Via: http://verdadesespeciais.blogspot.com.br/, http://www.liberianobserver.com/security/breaking-formaldeyde-water-allegedly-causing-ebola-symptoms

Nenhum comentário