Agitadores comunistas de entidades ligadas ao PT promovem novos atos de vandalismo em São Paulo, Rio e outras cidades do Brasil - LIBERTAR.in - Ministério CASA DE YISRAEL - Igreja da Rua

News

26 de jan. de 2014

Agitadores comunistas de entidades ligadas ao PT promovem novos atos de vandalismo em São Paulo, Rio e outras cidades do Brasil


Fotos que estão no site da Folha de S. Paulo, como estas, comprovam a ação dos comunistas ligados ao PT. Ou alguém vai querer dizer que isso é 'teoria conspiratória'? É mais um esquema da campanha eleitoral do PT. Estamos no começo do que virá mais adiante.



Esta foto do site do Estadão mostra invasão de shopping em Vila Velha, no Espírito Santo.

De novo nas ruas das grandes capitais, a começar por São Paulo, a onda de vandalismo. Cabe uma única pergunta: a quem interessa esse tipo de anarquia? A resposta é apenas uma: ao Lula, Dilma e seus sequazes. Por que? 

Ora, porque todos os movimentos que participaram desse ataque a instalações públicas e privadas são ligados ao movimento esquerdista.

Conforme se pode constatar na matéria do site da Folha de S. Paulo que reproduzo abaixo, fica muito claro e evidente quem são os mentores de mais esse estúpido ato de vandalismo: "Entre os integrantes do protesto, que não se identificaram e disseram não ter liderança, havia movimentos como a Anel (Assembleia Nacional de Estudantes - Livre) e Conlutas (Central Sindical e Popular)."



Como se pode ver, esses movimentos que alegam não ter liderança são todos eles de viés comunista, seus atos são nitidamente anti-capitalistas, portam cartazes com o deletério símbolo comunista.

Portanto, não é necessário acrescentar mais nada. Ainda voltarei ao assunto neste domingo. Leiam:

Uma manifestação contra a Copa do Mundo terminou com ao menos 128 detidos na noite deste sábado (25), em São Paulo. Depredação e confrontos com a polícia permearam o ato, que contou com "black blocs" entre os manifestantes.

A manifestação foi convocada pelo Facebook e começou de maneira pacífica à tarde, na avenida Paulista. Cerca de mil manifestantes, que haviam se concentrado no vão-livre do Masp, começaram a se deslocar pela avenida, no sentido Paraíso, por volta das 17h.

Entre os integrantes do protesto, que não se identificaram e disseram não ter liderança, havia movimentos como a Anel (Assembleia Nacional de Estudantes - Livre) e Conlutas (Central Sindical e Popular). Eles gritavam frases como "Não vai ter Copa" e "Dilma, vê se escuta, na Copa vai ter luta".

No início da passeata, um grupo de aproximadamente 40 "black blocs" fazia a linha de frente dos manifestantes. Segundo o major da PM Larry Saraiva, 2.000 policiais monitoravam o protesto no local, entre oficiais da Tropa de Choque e da Força Tática – um helicóptero Águia participou da operação.
CORRERIA

A tensão começou quando o grupo virou subitamente na avenida Brigadeiro Luís Antônio, seguindo pela pista sentido centro, por volta das 18h30.

Comerciantes e pedestres se assustaram com a presença dos manifestantes e houve corre-corre. Lojas foram fechadas e pessoas que passavam pela via se refugiaram em um supermercado.
O grupo aumentou e, por volta de 19h, cerca de 1.500 manifestantes chegaram ao centro da cidade, segundo a PM.

Mascarados depredaram pelo menos três agências bancárias, uma concessionária de veículos e uma lanchonete do Mc Donald's. Os policiais usaram bombas de gás lacrimogêneo, e os manifestantes fizeram barricadas.

Por volta das 20h, a Tropa de Choque cercou a rua Augusta e encurralou dezenas de manifestantes dentro do hotel Linson, na altura da rua Caio Prado. Eles se fecharam com os manifestantes dentro do hotel.
Entre 21h e 22h, pelo menos 50 manifestantes foram detidos só no hotel. Eles foram conduzidos em dois ônibus, um micro-ônibus e uma base móvel da Polícia Militar para o 78º DP (Jardins).

Às 22h, a PM informou em seu Twitter que 128 manifestantes haviam sido detidos até aquele momento. O número pode aumentar, já que, às 22h45, mais dois veículos saíram do hotel Linson, levando os últimos manifestantes do local.

Em seu Twitter, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) condenou o ato e classificou os manifestantes como "vândalos".

"Como a imensa maioria dos brasileiros de São Paulo, condeno com energia os atos de violência e vandalismo registrados nesta noite. Digo com alegria que esses vândalos não mancharam um dia que foi inteiro de festa para esta cidade corajosa e orgulhosa de seus valores.", afirmou.

Do site da Folha de S. Paulo

Via: http://aluizioamorim.blogspot.com.br/

Um comentário:

Evertynlogic disse...

os vagabundos porque é isso aqueles que não querem estudar nem trabalhar pra ser alguém na vida, se revoltam contra o capitalismo, esse bando que se diz estudante é um bando de maconheiro isso sim a maioria filho de classe media, o país esta sendo literalmente f*dido, imagino a merda que vai ser as eleições, distribuição de renda é educação é emprego, trabalhador nesse país paga caros impostos pra sustentar esses vagabundos, se essa bosta virar um país comunista estarei com as malas prontas, não vou sustentar gente vagabunda muito menos esse desgoverno

Últimos mais vistos

Mais vistos em 10 anos de site