Últimas

Dia triste: Ataque químico de FALSA BANDEIRA mata cerca de 1300 pessoas na Síria. Entre as vítimas, muitas crianças inocentes

Imagens divulgadas pela oposição mostram corpos de vítimas, muitas delas crianças, espalhados pelo chão Foto: AFP
Este dia 21 agosto é um dia muito triste...

Dia que houve o maior ataque químico da história da Síria...

Estou em pranto ao ver estas cenas.

Centenas de pessoas, incluindo muitas crianças inocentes, morreram...

Não dá mais... este mundo chegou ao limite!

O Criador que ama a todos e não faz acepção de ninguém (quem faz é o homem e suas religiões), julgará com muito rigor e vingança este governo globalista assassino!

Deixo estes vídeos (se você for muito sensível, recomendo que não assista).


Falsa bandeira! Não estou defendendo Assad, muito pelo contrário... mas logo após este ataque, a oposição síria, ou seja, os rebeldes (mercenários contratados pelos globalistas), pediram, quase que instantaneamente,  intervenção da ONU.

Confira também esta artigo: EUA apoiou plano para lançar ataque de armas químicas sobre a Síria e culpar o regime de Assad

Peritos independentes estão lançando dúvidas sobre a veracidade do suposto ataque de armas químicas de hoje na Síria, com numerosos observadores rotulando o momento da história como "suspeito".

Veja vídeo:
http://www.youtube.com/watch?v=ZkGa2jr9MBA

Até 1300 as vítimas são relatadas ​​de terem sido mortas no que fontes da oposição estão chamando de "ataque de gás selvagem" nas cidades de Zamalka e Ein Tarma como os inspetores da ONU visitam as proximidades de Damasco para uma investigação pré-planejada sobre as alegações de armas químicas utilizadas por ambos os rebeldes e pelo Exército sírio.



Os clipes de vídeo mostram dezenas de corpos sem ferimentos aparentes. A Coalizão Nacional oposicionista aproveitou o filme para insistir que não há "solução política" para a crise na Síria, uma chamada não tão sutil para uma intervenção militar da OTAN. Ministro do Exterior britânico, William Hague, chamou o suposto ataque de uma "escalada chocante."

No entanto, vários peritos independentes têm dúvidas sobre a narrativa por trás das cenas, observando todos os seus surgimentos muito convenientes, assim como os inspetores da ONU entrando no país.

"Em primeiro lugar, o momento é estranho, beirando a suspeita", escreve o correspondente de segurança da BBC Frank Gardner. "Por que o governo Assad, que foi recentemente retomando territórios dos rebeldes, realizaria um ataque químico, enquanto os inspetores de armas da ONU estão no país?" UND: hahaha. S rindo. É o mesmo que eu pergunto. Por quê? Assad seria tão louco assim de usar armas químicas, num momento em que suas forças estão tendo bons resultados neste momento da guerra civil na Síria? Creio que não...

Suas suspeitas são compartilhadas por diplomata sueco e ex-inspetor de armas da ONU Rolf Ekeus, que disse à Reuters: "Seria muito estranho se fosse o governo a fazer isso no exato momento em que os inspetores internacionais estão no país .... pelo menos, não seria muito inteligente. "

O Sueco especialísta em armas químicas Ake Sellstrom, que está liderando a inspeção atual da ONU na Síria, disse à emissora sueca SVT que o elevado número de mortos e feridos soa "suspeito".

Charles Lister, analista do Terrorismo da IHS Jane e Centro de Insurgência, disse ao Jerusalem Post que o timing de tal ataque é confuso. "Logicamente, não faria muito sentido para o governo sírio a empregar agentes químicos em tal tempo, sobretudo tendo em conta a relativa proximidade das cidades-alvo (para a equipe das Nações Unidas)", disse ele.

É importante ressaltar que nenhum dos indivíduos lançando dúvidas sobre um alegado "ataque de gás" são Bashar Al-Assad e apoiantes. De fato, a BBC tem sido bastante rigorosa em empurrar a narrativa de que a FSA rebelde é a base combatentes da liberdade, principalmente minimizando o enorme número de jihadistas estrangeiros que entraram no país sob a bandeira da Al-Qaeda.

Como já relatado mais cedo hoje, as evidências sugerem fortemente que os ataques anteriores de armas químicas na Síria foram realizados por rebeldes da FSA e depois culpam a Assad, em uma tentativa de cumprir a chamada "linha vermelha" de Barack Obama para uma intervenção militar dos EUA.

Via: Infowars
Postar um comentário