Quebradeira mundial? Os 15 maiores bancos do mundo são rebaixados. Instituições brasileiras também sofrem queda de rating - LIBERTAR.in - Ministério CASA DE YISRAEL

News

29 de jun de 2012

Quebradeira mundial? Os 15 maiores bancos do mundo são rebaixados. Instituições brasileiras também sofrem queda de rating

 
Entre os rebaixados estão nomes como Bank of America e Citigroup, dos Estados Unidos, e os europeus Credit Suisse, Deutsche Bank, HSBC e Societe Generale.

A Moody’s também rebaixou o Banco do Brasil, Safra, Santander e HSBC Bank Brasil – Banco Múltiplo ao nível do rating de crédito soberano do Brasil, ou seja, o grau de investimento Baa2.
Bradesco, Itaú Unibanco e o banco de investimentos do Banco Itaú BBA foram rebaixados em um grau acima do rating soberano, porque possuem fatores que ajudam a mitigar os riscos, incluindo níveis moderados de diversificação transfronteira e altos níveis de negócios e diversificação de resultados, apesar de, em geral, possuírem altos níveis de participação na dívida soberana.
Banco Votorantim foi rebaixado em um grau abaixo do nível do rating da dívida soberana brasileira para refletir o mau desempenho financeiro do banco, incluindo a fraca qualidade e rentabilidade dos ativos e as perspectivas de desafios constantes para a sua solidez financeira.

Por conta da gravidade da crise internacional, 15 dos maiores bancos do mundo foram rebaixados por uma das principais agências de classificação de risco, a Moody's. O anúncio do rebaixamento foi feito logo após o fechamento dos mercados em Nova York, e causou enorme repercussão.

A Moody's justifica o rebaixamento das notas dos bancos com o fato das principais instituições financeiras do planeta estarem expostas de maneira perigosa à volatilidade causada pela crise na Europa, a lenta recuperação da economia americana e a desaceleração na Ásia.

Entre os rebaixados estão nomes como Bank of America e Citigroup, dos Estados Unidos, e os europeus Credit Suisse, Deutsche Bank, HSBC e Societe Generale. O rebaixamento ofuscou a notícia positiva do dia, vinda da Espanha, que corrigiu para baixo o tamanho do pacote de ajuda para os próprios bancos. Vão ser precisos 62 bilhões de euros e não 100 bilhões de euros.



Fontes:
http://g1.globo.com/jornal-da-globo/noticia/2012/06/agencia-moodys-rebaixa-nota-dos-15-maiores-bancos-do-mundo.html

http://www.youtube.com/user/abraosseusolhos

Via: http://nosdiasdenoe.blogspot.com.br/

Um comentário:

Anônimo disse...

Na verdade o Brasil só não entrou em quebradeira maior ainda porque possui creditos e algumas reservas, é como se você perdesse o emprego ou sua fonte de renda mas tivesse um limite em um banco e alguma poupança e começasse a usar esses recursos para sobreviver. O problema é que esses recursos logo vai acabar aí o bicho vai começar a pegar porque outros paises não vão querer emprestar dinheiro porque apesar de o Brasil ter como pagar um possível emprestimo, ele não tem um nome forte e tradicional como os paises europeus !

Últimos mais vistos

Mais vistos em 10 anos de site